Como começar antibiótico ou corticoide na conjuntivite aguda?

Estima-se que mais de 60% dos pacientes com conjuntivite aguda tenham outras infecções virais que não respondem aos antibióticos.

A conjuntivite aguda é uma das condições oculares mais comuns encontradas na prática médica geral, afetando 6 milhões de pessoas nos Estados Unidos a cada ano. Aproximadamente metade de todos os diagnósticos relacionados aos olhos atendidos em consultórios de atenção primária e quase um terço de todos os atendimentos nos departamentos de emergência oculares são de conjuntivite.

Ao contrário de outras condições oculares comuns, como erro refrativo ou catarata, a maioria dos casos de conjuntivite aguda são diagnosticados e tratados por profissionais não oftalmologistas.

Veja também: A complexa genética da cor dos olhos: você sabe quem são os responsáveis?

A diferenciação precisa entre causas virais, bacterianas, alérgicas e outras causas de conjuntivite aguda, pode ser um desafio, porque todas essas etiologias podem apresentar características clínicas semelhantes. No entanto, como a conjuntivite aguda é frequentemente autolimitada, a maioria dos pacientes com esta condição não necessita de terapia antibiótica tópica. Estima-se que mais de 60% dos pacientes com conjuntivite aguda tenham adenovírus ou outras infecções virais que não respondem aos antibióticos.   

conjuntivite aguda

Conjuntivite alérgica 

A conjuntivite alérgica também é bastante comum e não responde aos antibióticos. As infecções bacterianas constituem uma proporção muito menor de casos de conjuntivite aguda. Esses casos são geralmente leves e autolimitados, muitas vezes resolvendo-se dentro de 7 a 14 dias sem terapia antibiótica.

Embora os antibióticos tópicos possam acelerar a resolução dos sintomas em pessoas com conjuntivite bacteriana, esse benefício deve ser ponderado em relação ao risco de toxicidade da superfície ocular,resistência aos antibióticos e o custo associado ao seu uso.  

Corticosteroides tópicos 

Os corticosteroides tópicos são contraindicados na maioria dos casos de conjuntivite aguda porque podem prolongar infecções adenovirais, piorar infecções oculares subjacentes pelo vírus herpes simplex e, se tomados por períodos prolongados de tempo, podem aumentar o risco de catarata e glaucoma. O corticoide deve ser reservado para sua indicação formal que é a de tratamento de infiltrados subepiteliais e pseudomembranas (complicações que acontecem após a fase aguda).  

Estudo relevante 

Um artigo publicado na Ophthalmology avaliou a frequência com que pacientes com conjuntivite aguda recém-diagnosticada preenchem prescrições de antibióticos tópicos e os fatores associados às prescrições de antibióticos.  

Entre 340.372 pacientes com conjuntivite aguda, 198.462 (58%) preencheram ≥ 1 prescrição de antibióticos tópicos; 38.774 receberam prescrições de produtos combinados de antibióticos e corticosteroides.   

Em comparação com brancos, negros (OR, 0,89; IC 95%, 0,86–0,92) e latinos (OR, 0,83; IC 95%, 0,81–0,86) tiveram menores chances de preencher prescrições de antibióticos. Inscritos mais abastados e instruídos tiveram maiores chances de receber prescrições de antibióticos em comparação com aqueles com menor riqueza e educação (P <0,01 para todos).   

Em comparação com pessoas inicialmente diagnosticadas com conjuntivite aguda por oftalmologistas, os inscritos tiveram chances consideravelmente maiores de prescrição de antibióticos se diagnosticados pela primeira vez por um optometrista (OR, 1,26; IC 95%, 1,21-1,31), médico de atendimento de urgência (OR, 3,29; 95% IC, 3,17–3,41), internista (OR, 2,79; IC 95%, 2,69–2,90), pediatra (OR, 2,27; IC 95%, 2,13–2,43) ou médico de família (OR, 2,46; IC 95%, 2,37). As prescrições de antibióticos não diferiram entre pessoas com e sem fatores de risco para o desenvolvimento de infecções graves, como usuários de lentes de contato (P = 0,21) ou pacientes com infecção pelo vírus da imunodeficiência humana ou AIDS.  

Saiba mais: Síndromes infecciosas oculares: saiba como identificar os sinais de alarme

Quase 60% dos pacientes receberam prescrições de antibióticos para conjuntivite aguda, e um em cada cinco usuários de antibióticos prescreveu antibióticos-corticosteroides, que são contraindicados para conjuntivite aguda. Essas práticas potencialmente prejudiciais podem prolongar a duração da infecção, promover a resistência aos antibióticos e aumentar os custos.   

O preenchimento das prescrições de antibióticos parece ser motivado mais por fatores sociodemográficos e pelo tipo de prestador que diagnostica o paciente do que por indicação médica. 

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.
Referências bibliográficas: Ícone de seta para baixo
  •  Shekhawat NS, Shtein RM, Blachley TS, Stein JD. Antibiotic Prescription Fills for Acute Conjunctivitis among Enrollees in a Large United States Managed Care Network. Ophthalmology. 2017.