Página Principal > Cardiologia > Como diagnosticar infarto do miocárdio no ECG se o paciente tiver BRE?
infarto agudo do miocárdio (IAM)

Como diagnosticar infarto do miocárdio no ECG se o paciente tiver BRE?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Uma das apresentações do eletrocardiograma (ECG) em uma síndrome isquêmica aguda (SIA) pode incluir um bloqueio completo ou do terceiro grau do ramo esquerdo. E você sabe como usar o ECG nesse caso para diagnosticar um infarto do miocárdio com supradesnível do segmento ST (IMCSST)?

Já ouviu falar nos critérios de Sgarbossa? Pois, o autor desenvolveu critérios para esse tipo de diagnóstico. Entretanto, apesar da alta especificidade para o diagnóstico de IMCSST (96%), a sensibilidade dos critérios era muito baixa (36%). Smith et al modificaram os critérios de Sgarbossa de modo que a sensibilidade dos critérios fosse aumentada para 91% com mínimo efeito sobre a especificidade (98-90%).

Leia maisQual é a relação entre infecção e infarto agudo do miocárdio?

Esses critérios são comumente extrapolados para pacientes em uso de marcapasso que estejam passando por um SIA. A essa altura você já deve estar curioso para conhecer os critérios. Pois, vamos apresentá-los a seguir.

Critério derivado modificado de Smith, publicado em 2012:

  1. Ao menos 1mm de elevação concordante de ST em ao menos uma derivação (5 pontos)
  2. Ao menos 1mm de depressão concordante de ST em ao menos uma derivação de V1 a V3 (3 pontos)
  3. Ao menos 1mm de elevação discordante de ST E uma elevação da razão elevação de ST/ onda S de pelo menos 25% ao menos em uma derivação

Em nota, o único critério diferente dos de Sgarbossa é o terceiro que, originalmente, era ao menos 5 mm de elevação discordante de ST em ao menos uma derivação (2 pontos). Segundo o autor, seriam necessários no mínimo três pontos para o diagnóstico de infarto do miocárdio. Com os critérios modificados, não é necessária pontuação. Qualquer um sendo positivo já faz o diagnóstico.

Vejamos um exemplo de ECG:

ecg
Notamos no traçado que há presença dos 3 critérios de Smith. Há elevação concordante de ST nas derivações DII e V6 bem como depressão nas derivações V1, V2 e V3. E existe uma excessiva elevação de ST nas derivações DIII e aVF.

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

  • Simpson et al. Enhancing the Sgarbossa criteria for the diagnosis of ST elevation myocardial infarction. JAMA. Feb 2019.
  • Meyers et al. Validation of the modified Sgarbossa criteria for acute corornary occlusion in the setting of left bundle branch block: a retrospective case-control study. American Heart Journal. Dec 2015.V 170.N6.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.