Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Como diferenciar as lesões melanocíticas oculares?
Quais os tipos de lesão melanocítica ocular?

Como diferenciar as lesões melanocíticas oculares?

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

A lesão melanocítica ocular tem um amplo espectro de apresentações, desde as consideradas benignas até as malignas. Quais seriam elas?

Leia também: Tumores de sítios extraoculares podem dar metástase iriana?

Tipos de lesão melanocítica ocular

Melanose epitelial conjuntival (racial)

Condição benigna associada a produção de melanina aumentada, principalmente em pacientes de pele negra. Ambos os olhos são afetados. Aparece nos primeiros anos de vida. Geralmente não aumenta no adulto. A pigmentação é plana e pode ser difusa pela conjuntiva mas geralmente é mais proeminente no limbo. Podem ser mais intensas ao longo dos ramos perfurantes dos vasos ciliares anteriores e ao redor do nervo intraescleral (Axenfeld loop).

Saiba mais: Existem evidências reais de alterações retinianas relacionadas ao Covid-19?

Nevus conjuntival

É o tumor melanocítico mais comum. O risco de transformação maligna é em torno de 1%. Pode ser classificado histologicamente como juncional, composto e subepitelial. A apresentação geralmente é na primeira e segunda décadas de vida. Lesão bulbar intraepitelial, pigmentada, unilateral e única, de tamanho variável, frequentemente na área justalimbar (segundo mais frequente é carúncula e plicata), frequentemente com espaços císticos dentro do nevus. Deve-se ter atenção para os sinais de malignidade potencial que são a localização não usual (ex: pálpebra e fórnice), vasos nutridores proeminentes, crescimento súbito ou aumento da pigmentação e desenvolvimento depois da segunda década.

Melanose adquirida primária

Condição unilateral que tipicamente afeta indivíduos de pele branca. Ocorre geralmente após os 45 anos. A lesão geralmente é unifocal ou multifocal, irregular, pigmentação com áreas marrons, douradas e pretas, que tipicamente envolvem o limbo e a região interpalpebral. Qualquer parte da conjuntiva pode ser afetada, por isso é importante everter as pálpebras. A lesão pode se expandir ou permanecer estável por longos períodos de tempo. Pode também clarear ou escurecer. A transformação para melanoma deve ser suspeitada pelo aparecimento súbito de um ou mais nódulos nas lesões que eram planas.

Whitebook

Melanoma

Surge de um nevus pré-existente em 20% dos casos. O melanoma primário é menos comum. Melanoma a partir de uma melanose adquirida primária com atipia ocorre em 75% dos casos. A apresentação geralmente é na sexta década exceto em pacientes com síndrome do nevus displásico que é raro. O melanoma primário ou de um nevus pré existente aparece como um nódulo preto ou cinza vascularizado, que pode ser fixo a episclera. Um local comum é o limbo, mas pode ocorrer em qualquer lugar da conjuntiva. Lesões múltiplas que ocorrem a partir da melanose com atipia são caracterizadas por áreas de espessamento e nodularidade.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Kanski JJ, et al. Clinical Ophthalmology, a sistematic approach, 7th Edinburgh; New York: Elselvier Saunders, 2011.
  • Ehlers JP, et al. Manual de doenças oculares do Wills Eye Hospital – Diagnóstico e tratamento no consultório e na emergência, 5ª edição. Porto Alegre: Editora Artmed, 2009.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.