Residência Médica

Como trabalhar a sua linguagem corporal para atender melhor os pacientes

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Saber lidar com tipos diferentes de situações e pacientes é fundamental para um bom atendimento. Ao aliar a linguagem corporal com a expertise do profissional de saúde, é possível promover um atendimento mais humano e eficiente, principalmente em casos de pessoas que passam por tratamentos mais sérios e arriscados.

“A linguagem corporal para qualquer pessoa é uma conexão muito importante. Ela é responsável por transmitir confiabilidade e credibilidade entre o profissional de saúde e o paciente. Lembre-se de que a primeira impressão é muito impactante”, comenta Sonia Garcia, especialista em RH.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Como utilizar a linguagem corporal durante o atendimento?

Trabalhar a linguagem corporal significa ter uma atenção maior aos detalhes, como cuidados pessoais, de vestuário, comportamentais – gestos e atitudes –, além da forma como a relação interpessoal se estabelece. O trabalho desses itens de forma consciente pode ajudar a melhorar a qualidade do atendimento aos pacientes.

Outro fator relevante é a confiança transmitida pelo profissional. Com uma demanda de trabalho cada vez mais intensa e menos tempo entre as consultas, pode ser difícil conseguir dar atenção a todos esses detalhes. Entretanto, de acordo com Vivian Wolff, Coach de Vida e Carreira pelo Integrated Coaching Institute (ICI), estima-se que cerca de 50% da nossa comunicação diária seja não-verbal.

“Quando se trata do processo de construir confiança e harmonia com os pacientes, a linguagem corporal pode desempenhar um papel estratégico em nosso desempenho. Ao incorporar hábitos e rotinas de forma intencional para usar essa ferramenta a seu favor, o profissional da medicina poderá desenvolver relações mais empáticas e proporcionar uma interação mais satisfatória e acolhedora para seus pacientes”, pontua.

Incorpore hábitos na rotina para deixar o seu paciente mais confortável

Para lidar com o paciente da melhor maneira possível, é preciso entender que ele encontra-se em uma condição vulnerável durante uma consulta ou atendimento médico. Em função disso, é importante transmitir o máximo de confiança a essa pessoa e fazer com que ela se sinta à vontade. É importante que o profissional de saúde tenha, antes de tudo, humanidade e empatia em seus atendimentos.

“Profissionalmente, na área de saúde, é primordial deixar assuntos pessoais e preocupações de lado para dedicar-se integralmente ao atendimento. Tanto o paciente quanto seus familiares depositam todas as suas esperanças naquele profissional e, em troca, esperam atenção, respeito, dedicação, humanidade e confiança”, ressalta Garcia.

“O ser humano é um ser sociável por natureza e assim sobrevivemos como espécie. Temos um cérebro feito para a troca, para a leitura das emoções e para o entendimento quase imperceptível dos gestos. Usar isso a nosso favor não somente otimiza e melhora nosso trabalho, como proporciona exercitar o respeito e a atenção ao outro”, conclui Wolff.

Autor:
Compartilhar
Publicado por
Portal Conexão - Seguros Unimed

Posts recentes

Uso dos antídotos dos novos anticoagulantes em pacientes com sangramento grave

O manejo do sangramento por anticoagulantes consiste de tratamento de suporte, uso de pró-coagulantes e…

3 horas atrás

Síndrome do Intestino Irritável: causas e sintomas [podcast]

Neste episódio, a Dra. Mariane Sávio, especialista em Coloproctologia e conteudista do Whitebook, falará sobre…

4 horas atrás

Anvisa alerta sobre casos raros de síndrome de Guillain-Barré pós-vacinação

A Anvisa emitiu um alerta para o acompanhamento de casos raros da síndrome de Guillain-Barré…

5 horas atrás

Efeitos adversos associados ao uso de cigarro eletrônico por gestantes

O tabagismo materno, sem dúvidas, é uma causa relevante e evitável de efeitos adversos na…

6 horas atrás

Hipertensão em adolescentes com doença renal crônica: usar definição de adultos ou de crianças?

Foi conduzida uma análise retrospectiva do “Estudo de Coorte de Doença Renal Crônica em Crianças”…

7 horas atrás

Melhores práticas perioperatórias em pacientes obesos

O anestesiologista precisa estar familiarizado com as melhores práticas atuais no manejo perioperatório de pacientes…

8 horas atrás