Como tratar infecções graves em imunodeprimidos? [ABRAMEDE 2018]

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Infecções oportunistas são as principais causas de morbidade e mortalidade em pacientes imunodeprimidos, que têm alterações importantes nos seus mecanismos de defesa naturais. Diante disso, qual é o manejo mais adequado para essa população? A palestra “Tratando infecções graves nos imunodeprimidos” no painel sobre sepse da ABRAMEDE 2018 contou com a participação de Pablo Aguilera, que trouxe as principais novidades do tema.

Tratando infecções em imunodeprimidos

Os pacientes sépticos devem ser avaliados como pacientes do trauma, com o protocolo ABCDE (Airway [Via aérea], Breathing [Respiração], Circulation [Circulação], Disability [Incapacidade] e Exposure [Exposição]). Deve-se identificar o choque nesses casos e iniciar o tratamento precoce.

Após a avaliação do paciente, deve-se identificar fatores de risco para sepse e caracterizar a fonte de infecção. Os fatores de risco suspeitos mais comuns são:

  • Diabetes
  • Idade avançada
  • Imunodepressão

Indivíduos imunodeprimidos devem ser rapidamente identificados, através de sinais como: falência renal, SIDA, neoplasias, asplenismo, falência hepática, uso de drogas imunossupressoras.

*HIV-SIDA: tem maior risco de infecções bacterianas, devido a anormalidades na função de células T e desregulação da resposta humoral.

Bacilos gram-negativos, estafilococos e leveduras são agentes comuns em imunossuprimidos. Em 70% dos casos identifica-se uma fonte.

Take-home messages:

A tríade do tratamento de infecções graves em imunodeprimidos é:

  • Identificação precoce dos casos de sepse;
  • Antibioticoterapia precoce;
  • Ressuscitação agressiva e controle da fonte de infecção.

MAIS DO CONGRESSO ABRAMEDE 2018

Lombalgia:

Sepse:

Trauma:

Cetoacidose diabética:

Síndrome coronariana aguda:

Asma grave:

A PEBMED ESTÁ NO ABRAMEDE 2018

Entre os dias 25 e 28 de setembro, a Associação Brasileira de Medicina de Emergência (ABRAMEDE) promove em Fortaleza (CE) a 6ª edição do maior Congresso de Medicina de Emergência Adulto e Pediátrico da América Latina. O evento conta com workshops, cursos e palestras com os maiores especialistas da área. A PEBMED está em Fortaleza e vamos publicar aqui no Portal com exclusividade as principais novidades do evento.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Compartilhar
Publicado por
Eduardo Cardoso de Moura

Posts recentes

ATS 2021: novos tratamentos contra patógenos resistentes – uma pitada de esperança

Uma palestra, no ATS 2021, veio para renovar esperanças com relação à abordagem de patógenos…

27 minutos atrás

ACC 2021: finerenone e redução de fibrilação atrial

Uma análise secundária do FIDELIO-DKD, que avaliou o finerenone em desfechos cardiovasculares e renais, foi…

14 horas atrás

Check-up Semanal: ondansetrona na gestação, mucormicose pós-Covid-19 e mais! [podcast]

Hoje no Check-up Semanal comentamos sobre ondansetrona na gestação, mucormicose pós-Covid-19 e mais. Confira!

15 horas atrás

Extração de colostro: como é em gestantes diabéticas?

Uma revisão selecionou estudos relevantes sobre extração de colostro no período gestacional em mulheres diabéticas.…

16 horas atrás

Inteligência artificial na medicina baseada em evidências: como é?

Através da inteligência artificial, os dados são analisados e interpretados a fim de encontrar padrões…

17 horas atrás

Avaliação placentária através do Doppler das artérias umbilicais

Um artigo da revista Elsevier discutiu possibilidades de avaliação placentária através do Doppler das artérias…

18 horas atrás