Como usar os mapas de perfusão cerebral no seu diagnóstico? [vídeo]

Neste episódio, Fernanda Rueda comenta sobre mapas da sequência de perfusão nos estudos de ressonância magnética do crânio. Saiba mais!

Neste episódio, a radiologista, Fernanda Rueda, criadora do canal “Neurorradio em Pauta”, revisa as principais aplicações dos mapas da sequência de perfusão nos estudos de ressonância magnética do crânio. A sequência de perfusão deve ser feita imediatamente junto com a administração do meio de contraste, o gadolínio, e permite avaliar a presença de neovasos, como nos casos dos tumores cerebrais, incluindo metástases ou gliomas primários, onde é possível classificá-los em alto grau por conta da presença da neovascularização, e também é útil na avaliação das áreas cerebrais em risco de infarto nos pacientes que estão no processo de isquemia cerebral, ou seja, no AVC isquêmico.

Confira esse e outros conteúdos do Neurorradio em pauta no youtube.

Mapas da perfusão

A sequência de perfusão pode ser analisada com os dados brutos, o que usualmente é feito por médicos radiologistas, mas a sua face mais conhecida são os mapas cerebrais coloridos gerados pelo pós processamento da sequência. Os mapas de CBV e CBF, que envolvem o volume sanguíneo cerebral e o fluxo sanguíneo respectivamente estão mais relacionados às avaliações tumorais, onde um CBV com área vermelha, mostra o que chamamos de perfusão quente e portanto relacionada a maior neovascularização, o que indica metástase ou glioma de alto grau. Já os mapas relacionados a tempo, como o MTT (tempo médio de passagem do contrate) ou TTP (tempo para o contraste atingir seu pico de concentração na área avaliada) estão mais relacionados ao AVC isquêmico, ou seja, quanto maior a área em que o TTP e o MTT estiverem com cor alterada em relação ao restante do cérebro, maior o tecido cerebral em risco para infartar. Vale lembrar que a sequência de perfusão deve ser olhada em conjunto com a sequência de difusão nos casos de AVC para que seja percebida a real área de risco de tecido cerebral a infartar.

Tópicos abordados no vídeo

  • Tipos de mapas cerebrais obtidos com a sequência de perfusão
  • Como usar cada mapa dependendo da indicação clínica
  • Como os mapas de perfusão auxiliam a chegada ao diagnóstico final
  • CBV, MTT e TTP como determinantes das condutas médicas

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.