Confira 10 dicas para você orientar seu paciente com conjuntivite

Tempo de leitura: 1 minuto.

Muitos pacientes com doenças virais, como o resfriado comum ou as conjuntivites virais, saem do consultório frustrados por não prescrevermos tratamentos efetivos contra estas infecções. Na verdade muitos queriam a receita de um antibiótico ou uma solução imediata. No entanto, vale ressaltar que essas doenças são virais e não podem ser tratadas com antibióticos.

São autolimitadas, duram em geral de sete a 10 dias e não há medicações que solucionem imediatamente essas infecções. O que precisamos lembrar constantemente é que na conjuntivite viral, por exemplo, o mais importante são as orientações para evitar o contágio e para o alívio sintomático.

Leia maisComo é a abordagem da conjuntivite na atenção primária?

As orientações fazem parte do tratamento e acompanhamento desses pacientes. Quais seriam elas?

  1. Lavar as mãos constantemente e não coçar os olhos;
  2. Não compartilhar toalhas, roupas de cama, etc;
  3. Desinfectar superfícies e itens compartilhados com álcool 70% para evitar transmissão;
  4. Orientar ao paciente que a conjuntivite viral é uma condição autolimitada, podendo haver piora do quadro nos primeiros quatro a sete dias. O quadro pode se arrastar caso o paciente tenha envolvimento corneano;
  5. Evitar contato com pacientes imunodeprimidos, crianças e gestantes;
  6. Restringir atividades para pacientes com exposição significativa a outros indivíduos durante o quadro (atestado);
  7. Compressas geladas aliviam os sintomas;
  8. O uso de lágrimas artificiais, preferencialmente sem conservantes, também pode aliviar os sintomas;
  9. Suspender o uso de lentes de contato até a resolução dos sintomas;
  10. Não existe benefício no uso de antibióticos ou corticoides na conjuntivite viral aguda. Os corticoides têm indicações específicas na fase tardia da doença;

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências: