Página Principal > Oncologia > Confira diretriz revisada para manejo de nódulos pulmonares
pneumologia

Confira diretriz revisada para manejo de nódulos pulmonares

Tempo de leitura: 2 minutos.

Os nódulos pulmonares incidentais são pequenos gânglios identificados incidentalmente durante exames de tomografia computadorizada (TC). A descoberta pode despertar preocupação no médico e desespero no paciente e seus familiares. De acordo com um estudo apresentado pela revista NCBI, entre 2006 e 2012 foram identificados 1,5 milhão de nódulos em exames de imagem do tórax. Houve um aumento anual de 3,9 para 6,6 por 1000 pessoas-ano na taxa de incidência de nódulos pulmonares incidentais do começo até o final do período analisado.

Leia mais: Exames de imagem: 10 dicas sobre como solicitar a melhor modalidade de exame

Com base nestes dados, a Fleischner Society, sociedade médica internacional e multidisciplinar para a radiologia torácica, revisou seu guideline lançado em 2017 para tratamento de nódulos pulmonares incidentais. As novas orientações foram publicadas no periódico Jama Network em novembro de 2018. As orientações são baseadas no risco para o paciente, número de nódulos (único vs. múltiplo) e o subtipo do gânglio (sólido vs. sólido parcial.)

Veja a seguir as principais recomendações da entidade:

  • Nódulos parcialmente sólidos de pelo menos 6 mm requerem acompanhamento médico ou, nos casos de alto-risco, uma avaliação complementar  por meio de biópsia ou PET (Tomografia Computadorizada por Emissão de Pósitrons).
  • É considerado de alto risco o paciente com idade avançada e fumante. Nódulos de alto risco incluem tamanho aumentado, superfície irregular e localização no lobo superior. Os nódulos com baixo risco são menores, superfície regular e se localizam em outras áreas do pulmão. Os de risco moderado têm algumas características dos nódulos de alto e baixo risco, que são influenciados por fatores como fibrose pulmonar, histórico familiar e enfisema.
  • É necessário seguir protocolos apropriados para aplicação de exames de imagem por TC a fim de identificar corretamente o tipo de nódulo, diminuir a exposição acumulada à radiação e verificar qualquer mudança de características ou tamanho nestes nódulos.
  • Para múltiplos nódulos sólidos (de um a seis) de 8 mm ou mais, os nódulos mais suspeitos devem determinar se este paciente necessita de acompanhamento. Em geral, um acompanhamento precoce é recomendado por causa do alto risco de neoplasia maligna.
  • Nos casos de nódulos parcialmente sólidos menores do que 6 mm, a TC deve ser aplicada novamente em três ou seis meses, se ainda houver nódulos, o exame deve ser repetido a cada dois anos durante cinco anos.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Anderson IJ, Davis AM. Incidental Pulmonary Nodules Detected on CT Images. JAMA. Published online November 08, 2018. doi:10.1001/jama.2018.16336
  • Gould MK, Tang T, Liu IL, et al. Recent trends in the identification of incidental pulmonary nodules. Am J Respir Crit Care Med 2015;192(10):1208–1214

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.