Conheça novas recomendações da SBP sobre anemia ferropriva

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Apesar do grande avanço nas ações de combate a anemia ferropriva nos últimos anos, esse tema ainda possui importante relevância no meio pediátrico. Ainda que os estudos quanto a prevalência dessa patologia em nosso meio não sejam consistentes, sabemos que sua incidência ainda continua alta. Reconhecendo a dificuldade no diagnostico precoce e na gravidade do problema a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), divulgou uma nova diretriz sobre o assunto.

Por definição, a anemia ferropriva se caracteriza pela concentração sanguínea de hemoglobina abaixo dos valores esperados, sendo assim insuficiente para as necessidades fisiológicas de acordo com idade, sexo, gestação e altitude. Estima-se que 60% do casos de anemia, no mundo, sejam caudados pela deficiência de ferro, sendo que no Brasil 53% dos casos estão localizados na região norte e nordeste devido a associação com as camadas sociais mais baixas.

De fato os efeitos da anemia ferropriva a longo prazo levam a diversos comprometimentos no crescimento e desenvolvimento da criança, acredita-se que tais prejuízos possam permanecer por longos períodos mesmo após o tratamento. As manifestações clínicas podem variar de acordo com os estágios de depleção, podendo levar a sinais e sintomas como: redução da acidez gástrica, gastrite atrófica, sangramento da mucosa intestinal, irritabilidade, distúrbios de conduta e percepção, distúrbio psicomotor, inibição da capacidade bactericida dos neutrófilos, diminuição de linfócitos T, diminuição da capacidade de trabalho e da tolerância a exercícios, palidez da face, das palmas das mãos e das mucosas conjuntival e oral, respiração ofegante, astenia e algia em membros inferiores, unhas quebradiças e rugosas e estomatite angular

Leia mais:  Uso do ferro em dias alternados é melhor que diário em mulheres com anemia ferropriva?

O primeiro estágio de deficiência de ferro é a diminuição dos depósitos de ferro no fígado, baço e medula óssea, tal deficiência pode ser diagnosticada pelos níveis séricos de ferritina , que possui forte relação com o armazenamento de ferro nos tecidos, lembrado que esse parâmetro pode ser alterado com a presença de doenças hepáticas, infecciosas e inflamatórias.

Valores de ferritina, de acordo com a idade, que sugerem deficiência na reserva de ferro:

Idade Valores de referência
Menores de 5 anos Inferior a 12μg/L
Entre 5 e 12 anos Inferior a 15μg/L

No segundo estágio, teremos a própria redução de ferro sérico, aumento da capacidade total de ligação da transferrina e a diminuição da saturação de transferrina; e por fim o terceiro estágio, seria a diminuição dos níveis séricos de hemoglobina, hematócrito e alterações hematimétricas. Cabe ainda ressaltar que alterações como leucopenia e plaquetose podem estar relacionadas a anemia ferropriva e a contagem do reticulócitos pode ajudar no diagnóstico precoce da deficiência de ferro.

Como as manifestações clínicas da deficiência de ferro são tardias, a SBP recomenda que uma triagem seja feita aos 12 meses de idade em todos os paciente, como hemograma, contagem de reticulócitos e ferritina.

A medidas preventivas como: ações de educação alimentar, incentivo ao aleitamento materno exclusivo prolongado, introdução alimentar adequada e a contraindicação a introdução do leite de vaca in natura, não processado antes dos 12 meses, constituem o pilar para a prevenção da anemia ferropriva. Desde 2005, no Brasil, foi criado o Programa de Suplementação de Ferro (PNSF) que contempla as crianças de 6 meses a 24 meses de idade, porém a SBP recomenda a suplementação profilática dos 3 meses aos 24 meses de idade, de acordo com a tabela abaixo:

Situação Recomendação
Recém-nascidos a termo, de peso adequado para a idade gestacional em aleitamento materno exclusivo ou não 1 mg de ferro elementar/kg peso/dia a partir do 3º mês até 24º mês de vida
Recém-nascidos a termo, de peso adequado para a idade gestacional em uso de menos de 500mL de fórmula infantil por dia 1 mg de ferro elementar/kg peso/dia a partir do 3º mês até 24º mês de vida
Recém-nascidos a termo com peso inferior a 2500g 2 mg/kg de peso/dia, a partir de 30 dias durante um ano. Após este período, 1mg/kg/ dia mais um ano
Recém-nascidos pré-termo com peso entre 2500 e 1500g 2 mg/kg de peso/dia, a partir de 30 dias durante um ano. Após este prazo, 1mg/kg/dia mais um ano
Recém-nascidos pré-termo com peso entre 1500 e 1000g 3 mg/kg de peso/dia, a partir de 30 dias durante um ano. Após este período, 1mg/kg/ dia mais um ano
Recém-nascidos pré-termo com peso inferior a 1000g 4 mg/kg de peso/dia, a partir de 30 dias durante um ano. Após este período, 1mg/kg/ dia mais um ano

Quando o quadro de anemia ferropriva já está confirmado seu tratamento deve ser feito com a reposição de ferro por via oral na dose de 3 a 5 mg/kg/dia de ferro elementar por mínimo de oito semanas, além de medidas de orientação nutricional. O acompanhamento do tratamento deve ser feito a cada 30 dias com exames laboratoriais e o duração do tratamento deve ser até que a reposição do estoque de ferro esteja nos níveis adequados.

Por fim, cabe lembrar a importância da prevenção da anemia ferropriva no meio pediátrico, a fim de evitar seu terrível desfecho no crescimento e desenvolvimento das nossas crianças.

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Compartilhar
Publicado por
Carolina Monteiro

Posts recentes

Covid-19: FDA autoriza uso emergencial da vacina Pfizer em adolescentes de 12 a 15 anos

O Food and Drug Administration (FDA) autorizou o uso emergencial da vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 em…

57 minutos atrás

Screening de hipertensão arterial em adultos: recomendações da USPSTF

Em abril, houve a publicação de um documento da USPSTF recomendando o screening de hipertensão…

2 horas atrás

Orientações ao Paciente ganha nova estrutura; saiba mais!

Acesse o post e fique por dentro das mudanças na categoria Orientações ao Paciente, que…

17 horas atrás

Covid-19: experiências exitosas e o protagonismo do enfermeiro

Em meio à pandemia de Covid-19, o trabalho da enfermagem vem se destacando e sendo…

18 horas atrás

Top 10 abril: ECMO na Covid-19, ivermectina, hidroxicloroquina e muito mais

O mês de abril foi muito intenso no meio médico. Confira os principais destaques de…

20 horas atrás

Musicoterapia para sedação em crianças em terapia intensiva pediátrica

Um estudo realizado no Canadá explorou a viabilidade da musicoterapia em crianças em tratamento intensivo…

21 horas atrás