Categorias: Uncategorized

Consumir até 25 xícaras de café por dia não afeta o coração

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Um novo estudo publicado recentemente na Conferência da British Cardiovascular Society (BCS), em Manchester, no Reino Unido, indica que tomar café – mesmo em doses diárias altas – não favorece o endurecimento das artérias.

“Descobrimos que beber mais de três xícaras de café por dia não aumenta significativamente a rigidez dos vasos sanguíneos em comparação com outras pessoas que bebem uma xícara ou menos por dia”, disse Kenneth Fung, que liderou a análise de dados para a pesquisa da Universidade Queen Mary, de Londres, no Reino Unido. Os resultados ainda mostraram que mesmo que quem bebe até 25 xícaras de café diariamente não possui maior risco cardíaco do que aqueles que tomam menos de uma xícara.

Este novo estudo desmistifica estudos anteriores que afirmavam que beber café aumenta a rigidez arterial. Pesquisas anteriores que mostraram resultados de que beber café acarreta em artérias mais rígidas são inconsistentes e podem ser limitadas por números menores de participantes, de acordo com a equipe por trás dessa nova pesquisa. O estudo, liderado pelo professor Steffen Petersen, do Instituto de Pesquisa William Harvey, da Rainha Mary, no Reino Unido, foi parcialmente financiado pela British Heart Foundation (BHF).

Metodologia

Os pesquisadores acompanharam 8.412 pessoas em todo o Reino Unido. Os participantes foram divididos em três grupos: no primeiro foram colocados os aqueles que ingeriam menos de uma xícara de café por dia; no segundo, os indivíduos que bebiam entre uma e três xícaras diárias; e no terceiro, as pessoas que bebiam de 3 a 25 xícaras por dia. Os pesquisadores excluíram qualquer participante que ingeria mais do que esta quantidade.

Para verificar o estado das artérias dos voluntários, foram realizados exames de ressonância magnética e testes de ondas de pulso. Os cientistas também avaliaram fatores de riscos para endurecimento das artérias e problemas cardíacos, incluindo informações como idade, sexo, etnia, peso, alimentação, tabagismo e alcoolismo.

Leia maisDia Mundial do Café: veja 5 benefícios da bebida preferida dos brasileiros

Os resultados mostraram que a probabilidade de um indivíduo que bebe café desenvolver rigidez arterial é praticamente a mesma para quem toma muito ou pouco. “Apesar da enorme popularidade do café em todo o mundo, diferentes relatórios podem tirar a vontade das pessoas de apreciá-lo. Embora não possamos provar um nexo de causalidade neste estudo, a nossa pesquisa indica que o café não é tão ruim para as artérias como estudos anteriores sugeriram”, ressaltou Kenneth Fung.

Embora o estudo tenha incluído indivíduos que bebem até 25 xícaras por dia, a ingestão média entre o grupo de maior consumo de café foi de cinco xícaras por dia. “Gostaríamos de estudar essas pessoas mais de perto em nosso trabalho futuro para podermos ajudar a aconselhar limites seguros”, destacou o pesquisador.

Apesar disso dos resultados do estudo, os pesquisadores orientam que as pessoas evitem ingerir café acima da média recomendada pelas autoridades mundiais de saúde, que são 400 miligramas ou quatro xícaras diárias, uma vez que altas doses de cafeína podem causar insônia, agitação e dor no estômago por estimular a produção de suco gástrico.
O NHS, serviço público de saúde do Reino Unido, recomenda que gestantes não bebam mais que 200 miligramas de cafeína por dia, o equivalente a duas xícaras.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Compartilhar
Publicado por
Úrsula Neves
Tags: café

Posts recentes

ACC.21: o que já sabemos sobre anticoagulantes em pacientes com Covid-19?

Uma sessão inteira do congresso do ACC 2021 foi dedicada à discussão o uso de anticoagulantes…

7 horas atrás

ACC 2021: dapagliflozina seria benéfico em pacientes com Covid-19 e fatores de risco?

Um estudo que avaliou o uso da dapagliflozina na Covid-19 em pacientes com fatores de…

8 horas atrás

ATS 2021: síndrome pós-Covid-19 e reabilitação pulmonar

A síndrome pós-Covid-19 e seu manejo foram temas de uma das sessões do congresso da…

10 horas atrás

ATS 2021: novidades na abordagem de tromboembolismo pulmonar

Uma das temáticas abordadas no ATS 2021 foram as novidades em tromboembolismo pulmonar (TEP), que…

12 horas atrás

ATS 2021: abordagem de nódulos e massas pulmonares – práticas atuais

Um dos principais assuntos discutidos no congresso da American Thoracic Society, ATS 2021, foi nódulos…

14 horas atrás

ACC 2021: oclusão do apêndice atrial em cirurgia cardíaca + anticoagulação pode reduzir risco de AVE?

O estudo LAAOS 3 avaliou se a oclusão do apêndice atrial esquerdo, adicionada à posterior…

1 dia atrás