Consumo de bebida 'diet' aumenta risco de AVC e demência? - PEBMED

Consumo de bebida ‘diet’ aumenta risco de AVC e demência?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A ingestão de bebidas açucaradas e artificialmente adoçadas já foi associada a doenças cardiometabólicas, o que pode aumentar o risco de acidente vascular cerebral (AVC) e demência.

Em um novo estudo, publicado na Stroke, pesquisadores examinaram se o consumo de bebidas açucaradas ou artificialmente adoçadas está associado ao risco de AVC ou demência. Para isso, foram usados os dados do estudo Framingham Heart.

No total, 2.888 participantes com idade > 45 anos foram analisados para AVC (idade média de 62 anos anos, 45% homens) e 1.484 participantes com idade > 60 anos para demência (idade média de 69 anos anos, 46% homens).

A ingestão de bebidas foi quantificada através de um questionário. Durante o período examinado (cerca de 10 anos), foram observados 97 casos de AVC (82 isquêmicos) e 81 de demência (63 compatíveis com a doença de Alzheimer).

As melhores condutas médica você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Após ajustes por idade, sexo, educação (para análise de demência), ingestão calórica, qualidade da dieta, atividade física e tabagismo, maior consumo recente e maior consumo de refrigerantes artificialmente adoçados foram associados a um risco aumentado de AVC isquêmico, demência por todas as causas e demência da doença de Alzheimer.

Ao comparar a ingestão cumulativa diária por semana, as razões de risco foram 2,96 (intervalo de confiança [IC] de 95%: 1,26-6,97) para AVC isquêmico e 2,89 ([IC] de 95%: 1,18-7,07) para a doença de Alzheimer. Bebidas adoçadas com açúcar não foram associadas com AVC ou demência.

Pelos resultados, os pesquisadores concluíram que o consumo de bebidas artificialmente adoçadas foi associado com um maior risco de AVC e demência.

Veja também: ‘Alimentação está relacionada com metade das causas de doenças’

Referências:

  • Sugar- and Artificially Sweetened Beverages and the Risks of Incident Stroke and Dementia. Matthew P. Pase, Jayandra J. Himali, Alexa S. Beiser, Hugo J. Aparicio, Claudia L. Satizabal, Ramachandran S. Vasan, Sudha Seshadri and Paul F. Jacques. Stroke. 2017; originally published April 20, 2017. https://doi.org/10.1161/STROKEAHA.116.016027

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Um comentário

  1. Ola. Mas não é de se esperar tal resultado, já que grande parte dos ávidos consumidores de bebidas adoçadas artificialmente e adoçantes artificiais é justamente quem já tem problema diabetes ou talvez obesidade? (que comprovadamente está relacionado a um indice maior de morte por doenças de coração).
    De fato infere-se isso seguramente, baseado nesse estudo?
    Obrigado!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar