Oncologia

Coronavírus e pacientes oncológicos: quais as principais orientações?

Tempo de leitura: 2 min.

O momento é sério: temos uma pandemia, conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS) informou, já temos a transmissão comunitária do coronavírus em nosso país, mas não há motivo para pânico!

Teremos sim um aumento de casos nas próximas semanas, a maioria serão leves ou até mesmo sem sintomas.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Coronavírus e pacientes oncológicos

Pacientes oncológicos merecem uma atenção especial: portadores de leucemia, linfomas, pacientes transplantados e paciente com diagnóstico de tumores sólidos em quimioterapia, imunobiológicos ou imunoterapia, notadamente idosos, mas não são todos que estão imunossuprimidos e por consequência, sob maior risco. E mesmo esses não devem entrar em pânico. Muitos fazem anti-hormônios e/ou estão apenas em controle periódico, com risco igual ao da população em geral.

Leia também: Coronavírus e câncer: quais os riscos e prognóstico desses pacientes?

Estamos em contato com infectologistas quais são as melhores recomendações no momento, mas com a velocidade das notícias, novas recomendações terão de ser atualizadas.

Recomendações

Algumas recomendações práticas, a partir de agora, devem ser feitas para pacientes oncológicos, em especial em quimioterapia:

  1. Evitar cumprimentos com as mãos, abraçar, beijar, em especial pessoas que não são íntimas. Cumprimentou? Lave a mão ou use álcool gel logo que possível. Evitar colocar a mão em “superfícies” potencialmente perigosas como maçanetas, portas, corrimões, botões de elevador etc., especialmente em locais públicos;
  2. Evitar visitas hospitalares e se possível não venha com vários acompanhantes em consulta; evitar ir à emergência por problemas simples;
  3. Devemos falar à “exaustão” sobre a importância da lavagem corretas das mãos e a “etiqueta” de tosse e espirro, protegendo com o cotovelo, super necessária neste momento;
  4. Não recomendamos no momento a corrida desenfreada para compra de máscaras, mas se for necessário usar transportes públicos e locais com aglomerações, esses pacientes devem usar máscara;
  5. Priorizar os compromissos sociais ou não essenciais, evitando aglomerações e deslocamentos desnecessários; isso vale para uma missa, culto ou sinagoga lotados, cinemas e shoppings muito cheios, shows, jogos de futebol, concertos, etc.;
  6. Adiar consultas e exames muito simples de rotina, reduzindo a exposição aos serviços de saúde, recepções de clínicas e hospitais;
  7. Fazer a vacinação para influenza/H1N1, se o médico liberar;
  8. Não interromper sob nenhuma hipótese seu tratamento oncológico;
  9. Evitar contato com pessoas sabidamente portadoras de sintomas respiratórios;
  10. Evitar contato com pessoas que acabaram de chegar do exterior, mesmo sem sintomas.

Leia mais:

Se tiver sintomas gripais leves, coriza, febre, tosse seca e falta de ar, deve ser recomendado ao paciente que entre em contato com o médico para avaliar a necessidade de procurar o sistema de saúde.

Se não for obrigatório/necessário, pode ser avaliada a realização do teste para o Covid-19 em casa, embora os planos de saúde ainda não cubram o teste por RT-PCR (em breve cubrirão, conforme decisão da ANS recente ainda não regulamentada).

Fiquem atentos a novas instruções e não compartilhem “fake news”!

Autor:

Compartilhar
Publicado por
Gilberto Amorim

Posts recentes

Efeito das lentes de contato rígidas gás permeáveis no Ceratocone

O uso de lentes de contato é uma das medidas muito utilizadas na reabilitação visual…

4 horas atrás

Whitebook: Intoxicação por cloroquina no ECG

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook vamos falar um pouco sobre a…

8 horas atrás

O paciente como um todo: entendendo o indivíduo, a família e o contexto

A experiência que cada paciente tem é única e esse entendimento, pelo médico, é fundamental…

1 dia atrás

As aplicabilidades da escala de coma de Glasgow [podcast]

No episódio de hoje, Felipe Nobrega comenta sobre o uso da escala de coma de…

1 dia atrás

Tempo mínimo de tratamento para a pneumonia adquirida na comunidade: o estudo PCT

A duração difundida do tratamento antimicrobiano para pneumonia adquirida na comunidade, de 5 a 10…

1 dia atrás

Modelo de predição de parto prematuro para mulheres em trabalho de parto prematuro

O paradigma envolvendo o parto prematuro é a dificuldade de diagnóstico, uma vez que seus…

1 dia atrás