Leia mais:
Leia mais:
Caso clínico: paciente com exacerbação de asma [vídeo]
Exposição a aves e regiões rurais pode proteger crianças contra asma
Cerca de 1,3 milhão de atendimentos a pacientes com asma foram realizados no SUS ano passado
ATS 2022: Segurança do itepekimab no tratamento da asma
Whitebook: qual a apresentação clínica da asma?

Corticoide oral no tratamento da asma: até onde podemos ir?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

A asma é uma doença inflamatória das vias aéreas, que frequentemente requer o uso de corticoide oral, seja para controle da doença ou para o manejo de exacerbações. Seu uso a longo prazo ou vários cursos ao longo do ano podem ter consequências sistêmicas. Nos últimos anos, vários estudos têm avaliado o potencial efeito de corticoides de forma crônica e um quarto deles envolveu pacientes com asma.

O uso de corticoides orais para o tratamento da asma faz parte dos principais guidelines atualmente disponíveis. Pacientes na etapa 5 do GINA (Global Initiative for Asthma), ou seja, aqueles com dose alta de corticoide inalatório, em uso de broncodilatador de longa duração e anticolinérgicos de longa duração, podem se beneficiar de baixa dose de corticoide oral diário. Entende-se como baixa dose o uso de 7,5 mg/dia de prednisona, que pode trazer algum benefício no manejo da doença sob o risco de diversos efeitos colaterais, como a osteoporose. Felizmente, apenas cerca de 3,7% dos casos são considerados asmáticos graves e desses, cerca de 30% tendem a fazer uso crônico de corticoides orais. A dose média utilizada por esses pacientes ultrapassa os 7,5 mg/dia, chegando a 20 mg/dia na maioria das coortes. Além disso, a maioria dos pacientes que experimentam dose elevada de prednisona tende a apresentar uma resposta no controle da asma, mesmo após suspensão temporária.

Vários estudos têm avaliado o potencial efeito de corticoide de forma crônica e um quarto deles envolveu pacientes com asma.

Efeitos adversos do corticoide

Entretanto, os efeitos adversos dos corticoides sistêmicos são bem conhecidos e devem ser evitados sempre que possível. Entre os mais prevalentes encontram-se a osteoporose, risco aumentado de pneumonias, obesidade, diabetes e hipertensão, além dos custos elevados ao sistema de saúde em pacientes usuários crônicos de prednisona. Já é sabido que não apenas o uso contínuo da medicação, mas também cursos intermitentes por mais de quatro vezes ao ano são equivalentes em termos de aumento de efeitos adversos cumulativos. Estudos recentes associaram o aumento de hospitalizações a despeito do melhor controle da asma em pacientes que utilizaram prednisona por longo prazo, além de maior mortalidade e visitas ao setor de emergência. Ou seja, por um lado há o controle da doença, por outro há uma enxurrada de efeitos colaterais deletérios ao paciente e aos sistemas de saúde.

O uso indiscriminado de corticoides orais em asmáticos deve ser combatido e não deve ser prescrito em exacerbações leves da doença, para que não haja acúmulo de morbidades. Com isso, é recomendada que a dose cumulativa anual de corticoides na asma não deve ultrapassar 1g de prednisona. O uso de imunobiológicos deve figurar entre as estratégias poupadoras de corticoide, além de equacionar a adesão à terapia inalatória e o controle de comorbidades. Se for utilizado, o corticoide oral deve ser utilizado na menor dose e no menor tempo possível.

Mensagens práticas

  • No Brasil, cerca de 3% dos pacientes possuem asma grave e, desses, 28% utilizam corticoide oral de forma prolongada;
  • Cursos de corticoides em exacerbações por mais de 4 vezes ao ano são equivalentes ao uso prolongado da medicação;
  • Doses acima de 5 mg/dia de prednisona já são suficientes para aumentar o risco de osteoporose e obesidade, por exemplo;

Referências bibliográficas:

  • Global Initiative for Asthma – 2021;
  • Rice JB, White AG, Scarpati LM, Wan G, Nelson WW. Long-term Systemic Corticosteroid Exposure: A Systematic Literature Review. Clin Ther. 2017 Nov;39(11):2216-2229. doi: 10.1016/j.clinthera.2017.09.011. Epub 2017 Oct 19. PMID: 29055500;
  • Bleecker ER, Menzies-Gow AN, Price DB, Bourdin A, Sweet S, Martin AL, Alacqua M, Tran TN. Systematic Literature Review of Systemic Corticosteroid Use for Asthma Management. Am J Respir Crit Care Med. 2020 Feb 1;201(3):276-293. doi: 10.1164/rccm.201904-0903SO. PMID: 31525297; PMCID: PMC6999108.
  • Matsunaga K, Adachi M, Nagase H, Okoba T, Hayashi N, Tohda Y. Association of low-dosage systemic corticosteroid use with disease burden in asthma. NPJ Prim Care Respir Med. 2020 Aug 4;30(1):35. doi: 10.1038/s41533-020-00192-x. PMID: 32753647; PMCID: PMC7403577.
Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.