Otorrinolaringologia

Corticoide via oral previne surdez em crianças com otite média com efusão?

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A otite média com efusão (OME) é uma inflamação que acomete o ouvido médio, por meio do acúmulo de líquido na cavidade timpânica, e pode levar à perda da audição se não tratada, principalmente em crianças. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), até 60% dos casos de surdez em pessoas com até 15 anos podem ser evitados com o tratamento adequado. A cirurgia é um dos principais métodos para impedir complicações auditivas decorrentes da doença, porém o procedimento gera custos e não é tão prático quanto a medicação via oral, por exemplo.

Com o objetivo de analisar a eficácia de um tratamento alternativo com base em anti-inflamatórios esteroides via oral na prevenção da surdez em crianças com OME, pesquisadores conduziram um estudo na Inglaterra e no País de Gales, entre 2014 e 2016, com 389 pacientes na faixa etária de 2 a 8 anos.

Leia mais: Qual tratamento tem melhor custo-benefício para otite média aguda em lactentes?

O critério utilizado era que os participantes fossem diagnosticados com otite média com efusão há pelo menos 3 meses antes do início da pesquisa ou que tivessem perda auditiva, comprovada por meio de audiometria, no mesmo período retroativo. O levantamento excluiu indivíduos com doenças congênitas ou hereditárias e com comorbidades.

Os participantes foram separados aleatoriamente em dois grupos, o primeiro grupo foi medicado durante 7 dias com prednisolona solúvel (20 mg para crianças de 2 a 5 anos, e 30 mg para as de 6 a 8 anos), o outro grupo recebeu placebo. Após o tempo de acompanhamento, a perda de audição nos pacientes do grupo medicado com o corticoide foi revertida em 40% dos casos (n=73), porém a percentagem foi de 33% (n=59) no grupo do placebo (odds ratio 1,36 p=0,16).

A pesquisa comprovou que, apesar de haver uma melhora na audição das crianças medicadas com prednisolona solúvel, não houve diferença significativa em relação àquelas que receberam apenas placebo. O uso do corticoide via oral também não impactou positivamente nos resultados secundários, na melhora da qualidade de vida do paciente e nem nos custos do tratamento da OME.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook.

Referências:

  • Monasta L, Ronfani L, Marchetti F, et al: Burden of disease caused by otitis media: systematic review and global estimates. PLoS ONE 7: e36226, 2012.  doi.org/10.1371/journal.pone.0036226
  • www.nacoesunidas.org/oms-11-bilhao-de-pessoas-podem-ter-perdas-auditivas-porque-escutam-musica-alta
  • Francis NA et al. Oral steroids for resolution of otitis media with effusion in children (OSTRICH): A double-blinded, placebo-controlled randomised trial. Lancet 2018 Aug 18; 392:557. (https://doi.org/10.1016/S0140-6736(18)31490-9)
Compartilhar
Publicado por
Roberto Caligari
Tags: otite média

Posts recentes

Existe relação entre os parâmetros do plaquetograma e a mortalidade por Covid-19?

Estudo foi realizado para avaliar uma possível relação entre mortalidade intra-hospitalar por Covid-19 e valores…

15 horas atrás

Whitebook: MCCP – Método clínico centrado na pessoa

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do  Whitebook Clinical Decision vamos falar um pouco…

19 horas atrás

Proposta de nomenclatura universal para insuficiência cardíaca (IC)

As definições da insuficiência cardíaca (IC) são extremamente heterogêneas, isso dificulta definir a doença para…

1 dia atrás

Miopatias em pacientes adultos com hipotireoidismo

Pacientes com hipotireoidismo mais grave ou não tratados têm maior probabilidade de desenvolver doença muscular…

2 dias atrás

Você ainda se lembra das manifestações oftalmológicas da Zika congênita? 

Em artigo publicado em maio de 2021, Ventura at al. relataram as manifestações oftalmológicas da…

2 dias atrás

Covid-19: gestantes e puérperas que tomaram a primeira dose da vacina Astrazeneca

Algumas gestantes apresentaram desfechos desfavoráveis por eventos tromboembólicos após a vacinação com a vacina Astrazeneca/Oxford.

2 dias atrás