Covid-19: CDC expande lista de fatores de risco para evolução com gravidade

Tempo de leitura: 2 min.

A pandemia de Covid-19 ainda preocupa por seus números de infectados e de casos graves, já tendo chegado à marca de mais de 50 mil óbitos no Brasil. Com base em uma revisão detalhada de conteúdos publicados até momento, o Centers for Disease Control and Prevention (CDC) atualizou lista de quem corre maior risco de evoluir com gravidade, caso infectado pelo SARS-CoV-2.

Como já sabíamos, os idosos e pessoas com comorbidades continuam no centro das preocupações. Porém, agora algumas condições subjacentes endossaram a nossa lista.

Novos fatores de risco para Covid-19

Segundo o CDC, os ajustes nos fatores de risco, foram:

  1. Remoção do limite de idade específico da classificação de adultos mais velhos. Agora, o risco aumenta constantemente à medida que você envelhece, e não são apenas aqueles com mais de 65 anos que têm maior risco de doenças graves.
  2. Atualização da lista de condições médicas subjacentes que aumentam o risco de doenças graves, agora temos: doença renal crônica; doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC); obesidade (IMC de 30 ou mais); estado imunocomprometido (sistema imunológico enfraquecido) do transplante de órgão sólido; condições cardíacas graves, como insuficiência cardíaca, doença arterial coronariana ou cardiomiopatias; anemia falciforme; diabetes tipo 2.
  3. Outras condições que podem aumentar o risco de uma pessoa ter doença grave: asma, hipertensão, condições neurológicas (demência, AVC) e gravidez.

Leia também: Covid-19 na gravidez: características de gestantes com infecção confirmada

Fatores de risco versus abertura gradual

Apesar de alguns lugares no Brasil, viverem um clima de abertura gradual de atividades comerciais e de lazer, precisamos estar atentos aos fatores de risco e à curva de casos nessas regiões. Todo contato com outras pessoas tem algum grau de risco no momento. Saber se seu paciente corre um risco aumentado de doença grave e entender os riscos associados a diferentes atividades da vida diária pode ajudá-lo a tomar decisões sobre em que momento retornar às atividades.

Veja mais: Existe uma inter-relação entre diabetes e Covid-19?

Neste contexto, todos devem continuar a contribuir para implementação de estratégias de prevenção, como priorizar atividades em que o distanciamento social pode ser mantido, lavar as mãos, limitar o contato e desinfetar superfícies comumente tocadas ou itens compartilhados e usar máscaras de pano quando estiver com outras pessoas com quem não reside.

Autora:

Referência bibliográfica:

Compartilhar
Publicado por
Dayanna de Oliveira Quintanilha

Posts recentes

ATS 2021: novidades na abordagem de tromboembolismo pulmonar

Uma das temáticas abordadas no ATS 2021 foram as novidades em tromboembolismo pulmonar (TEP), que…

1 hora atrás

ATS 2021: abordagem de nódulos e massas pulmonares – práticas atuais

Um dos principais assuntos discutidos no congresso da American Thoracic Society, ATS 2021, foi nódulos…

3 horas atrás

ACC 2021: oclusão do apêndice atrial em cirurgia cardíaca + anticoagulação pode reduzir risco de AVE?

O estudo LAAOS 3 avaliou se a oclusão do apêndice atrial esquerdo, adicionada à posterior…

17 horas atrás

ACC 2021: sacubitril + valsartana ou ramipril para pacientes com IAM e IC?

O trial PARADISE-MI, apresentado no congresso do ACC 2021, testou a eficácia e segurança do…

18 horas atrás

ACC 2021: aspirina na prevenção secundária – qual a melhor dose?

O estudo ADAPTABLE, apresentado no congresso do ACC 2021, buscou entender se doses maiores de…

23 horas atrás

Whitebook: murcormicose

Em nossa publicação semanal de conteúdos do  Whitebook Clinical Decision vamos falar sobre a apresentação…

23 horas atrás