Saúde Pública

Covid-19: Pesquisa do Ministério da Saúde vai avaliar comportamento dos brasileiros durante a pandemia

Tempo de leitura: 3 min.

O Ministério da Saúde lançou a Pesquisa de Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil (PrevCOV), que vai identificar o perfil de infecção pelo novo coronavírus utilizando a mesma amostra populacional da Pnad Covid-19, desenvolvida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A Pnad Covid-19 foi realizada para identificar a presença de anticorpos contra a doença na população brasileira. Já a PrevCOV tem como objetivo entender o comportamento da Covid-19 no país e os fatores determinantes para sua propagação, como características socioeconômicas, demográficas e epidemiológicas dos participantes voluntários.

A pesquisa terá com a adesão de 211.129 brasileiros, em mais de 62 mil domicílios de 274 municípios a partir de 1º de junho, que serão testados para identificar a presença de anticorpos do tipo IgG para a doença, apontando quem já foi contaminado ou desenvolveu imunidade após a vacinação.

O teste de anticorpos também indica se o indivíduo foi contaminado ou vacinado anteriormente e se o seu organismo desenvolveu imunidade para a enfermidade.  

O estudo de soroprevalência vai mostrar qual o comportamento do vírus causador da Covid-19 no país, como e em quais estados e capitais a infecção tem sido mais intensa. Os resultados dos exames servirão como uma amostragem para a pesquisa, indicando o cenário epidemiológico em todas as regiões brasileiras.  

A PrevCOV também ajudará o Ministério da Saúde a acompanhar os dados de imunização, indicando quem já tomou a primeira e a segunda dose das vacinas que estão sendo aplicadas em território nacional.

Leia também: Covid-19: papel da homocisteína na estratificação de risco

A meta é conseguir observar as características socioeconômicas e epidemiológicas dos pesquisados, assim como o cálculo da letalidade da Covid-19, fornecendo subsídios para traçar as melhores estratégias com base no comportamento para o enfrentamento da pandemia.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Como vai funcionar a pesquisa

A pesquisa será realizada com pessoas selecionadas na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Covid-19), produzida pelo IBGE. Os dados sobre a identificação dos participantes ficarão em sigilo.

As pessoas serão contatadas por ligação telefônica, com reforço por mensagem de texto ou WhatsApp. Esse contato telefônico vai confirmar alguns dados do participante, além de confirmar quantos e quais moradores daquela residência aceitam participar do estudo. Os menores de 18 anos precisam ter a autorização de pais ou responsáveis.

Depois da confirmação dos dados, o agendamento para coleta de sangue é realizado de acordo com o dia e horário definido pelo participante. Os técnicos estarão uniformizados com crachá de identificação, camiseta e boné com a marca da campanha para realizarem as coletas nas residências dos voluntários.  

Saiba mais:Covid-19: recomendações para a trombocitopenia trombótica imune induzida pela vacina 

Os participantes terão acesso ao exame de forma individual. A pesquisa está prevista para ser concluída em setembro deste ano e os resultados serão divulgados publicamente em coletivas de imprensa.

Parcerias

O estudo vai envolver diversas entidades de saúde nacionais e internacionais, como a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o IBGE.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor(a):

Referências bibliográficas:

Compartilhar
Publicado por
Úrsula Neves

Posts recentes

Hematoma subdural: caso clínico na emergência [podcast]

Neste episódio, o Dr. Felipe Nóbrega vai falar sobre o hematoma subdural no contexto de…

1 hora atrás

Acometimento neurológico em crianças com síndrome hemolítico-urêmica típica: dados de uma revisão retrospectiva

A síndrome hemolítico-urêmica (SHU) é um quadro grave, sendo a principal causa de insuficiência renal…

2 horas atrás

Anestesia e hipotireoidismo

O hipotireoidismo é uma das doenças endócrinas mais comuns e caracterizado pela baixa atividade da…

3 horas atrás

Cinco dicas para falar sobre fertilidade com seus pacientes

De acordo com um estudo realizado em Nova Jersey, nos EUA, apenas 25% das mulheres…

4 horas atrás

CHEST 2021: Abordagem da fístula aérea persistente em pacientes com pneumotórax

Pacientes com pneumotórax são cada vez mais comuns dentro da UTI, especialmente no contexto da…

5 horas atrás

CHEST 2021: Tratamento cirúrgico no DPOC: quando e como indicar?

A DPOC acomete milhões de pessoas em todo o mundo e é a terceira maior…

6 horas atrás