Pediatria

Crianças com doença renal crônica apresentam maior mortalidade que aquelas com outras doenças crônicas?

Tempo de leitura: 3 min.

Um estudo publicado no American Journal of Kidney Diseases mostrou que a internação por doença renal crônica (DRC) infantil foi associada a maior tempo de permanência, custos mais elevados e maior risco de mortalidade quando comparada a hospitalizações em crianças por outras doenças crônicas.

A DRC, definida como anormalidades da estrutura ou função renal em longo prazo, continua sendo um crescente problema de saúde pública. Crianças portadoras de doença renal crônica podem progredir para doença renal em estágio terminal (DRET), necessitando de diálise ou, até mesmo, de um transplante. Mesmo os pacientes com DRC sem DRET apresentam várias outras condições crônicas, incluindo hipertensão, doença cardiovascular, dificuldades de crescimento, anomalias eletrolíticas e doença óssea metabólica. Além disso, esses pacientes também estão em risco de deterioração aguda secundária a infecção, a desidratação e aos efeitos colaterais associados às medicações.

Leia também: Doença renal crônica e o risco de infecções

No entanto, os desfechos de crianças com DRC e quais recursos elas requerem quando são hospitalizadas permanecem obscuros. Essa escassez de dados impulsionou a realização do estudo Inpatient Pediatric CKD Health Care Utilization and Mortality in the United States, cujo objetivo foi descrever a prevalência de DRC pediátrica entre crianças hospitalizadas nos Estados Unidos e examinar a associação da DRC em desfechos hospitalares.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Características do estudo

Foi realizada uma pesquisa nacional transversal avaliando-se as altas hospitalares de crianças com idades > 28 dias a 19 anos com diagnóstico de doença crônica incluídas no banco de dados Health Cost and Utilization Project Kids Inpatient Database para os anos de 2006, 2009, 2012 e 2016. Os pesquisadores avaliaram a presença de DRC primária ou coexistente, conforme identificado pelos códigos de diagnóstico, além de analisar o tempo de internação hospitalar (TIH), custos e mortalidade.

Os pesquisadores observaram que uma doença crônica esteve presente em 6.524.745 altas estimadas no período do estudo e a DRC esteve presente em 3,9% dessas altas (96,1% sem DRC). Os pacientes com DRC tiveram um TIH mais longo, com uma mediana de 2,8 dias, quando comparados aos pacientes sem um diagnóstico de DRC, que tiveram uma mediana de 1,8 dias (p < 0,001). O gasto médio foi maior no grupo DRC em comparação ao grupo sem DRC ($ 8.755 e $5.016 por hospitalização, respectivamente – p < 0,001). A proporção de mortalidade intra-hospitalar nas altas relacionadas à DRC foi de 0,9%, quase o dobro de altas por outra doença crônica (0,5%). As altas com diagnóstico primário de DRC representaram 93% da mortalidade hospitalar entre o grupo com DRC na análise ajustada. Além disso, os pacientes portadores de DRC que receberam alta tiveram 51% mais chances de óbito quando comparados aos pacientes sem DRC que receberam alta. Ao longo dos quatro anos da coorte, a mortalidade permaneceu estável em ambos os grupos.

Conclusão

Portanto, de acordo com esse estudo, a presença de DRC foi associada a um TIH mais longo (29,9%,), maiores custos hospitalares (61,3%) e maior risco de mortalidade (odds ratio 1,51). Os pesquisadores descreveram que esses resultados parecem ser decorrentes da maior complexidade das altas hospitalares de pacientes com DRC em comparação às altas de pacientes com outras doenças crônicas. No entanto, novas pesquisas são necessárias para identificar as características modificáveis dos pacientes e a prestação de cuidados de saúde com o objetivo de desenvolver e testar intervenções para reduzir os resultados adversos à saúde da DRC pediátrica nos Estados Unidos.

Saiba mais: É mito ou verdade: dieta vegetariana como fator protetor na doença renal crônica

Para a equipe de pesquisa responsável por esse estudo, é provável que os custos relatados representem apenas uma pequena parte dos gastos com DRC pediátrica, uma vez que muitos dos cuidados com a DRC são realizados em regime ambulatorial. Sendo assim, pesquisas adicionais sobre os custos médicos e individuais diretos para as famílias de crianças com DRC são necessárias para compreender totalmente o ônus econômico que a DRC pediátrica tem para as famílias e o sistema de saúde em geral.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Modi ZJ, Waldo A, Selewski DT, Troost JP, Gipson DS, Inpatient Pediatric CKD Health Care Utilization and Mortality in the United States, American Journal of Kidney Diseases (2020), doi: 1053/j.ajkd.2020.07.024.
Compartilhar
Publicado por
Roberta Esteves Vieira de Castro

Posts recentes

Diagnóstico e manejo da miocardite em pediatria: novo posicionamento da AHA

Um recente posicionamento com relação ao diagnóstico e manejo da miocardite em pediatria foi divulgado…

2 horas atrás

Existe relação entre os parâmetros do plaquetograma e a mortalidade por Covid-19?

Estudo foi realizado para avaliar uma possível relação entre mortalidade intra-hospitalar por Covid-19 e valores…

1 dia atrás

Whitebook: MCCP – Método clínico centrado na pessoa

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do  Whitebook Clinical Decision vamos falar um pouco…

1 dia atrás

Proposta de nomenclatura universal para insuficiência cardíaca (IC)

As definições da insuficiência cardíaca (IC) são extremamente heterogêneas, isso dificulta definir a doença para…

2 dias atrás

Miopatias em pacientes adultos com hipotireoidismo

Pacientes com hipotireoidismo mais grave ou não tratados têm maior probabilidade de desenvolver doença muscular…

2 dias atrás

Você ainda se lembra das manifestações oftalmológicas da Zika congênita? 

Em artigo publicado em maio de 2021, Ventura at al. relataram as manifestações oftalmológicas da…

2 dias atrás