Categorias: Cardiologia

Deixar de tomar café da manhã aumenta risco de aterosclerose

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Os hábitos diários, incluindo o número e a qualidade das refeições, são alvos potenciais para estratégias de prevenção primária com grandes impactos na saúde. Em novo estudo publicado no Journal of the American College of Cardiology essa semana, pesquisadores analisaram a importância do café da manhã na prevenção da aterosclerose subclínica.

“Pular” o café da manhã é considerado um hábito frequente e não saudável, que está associado a um aumento do risco cardiovascular. Pensando nisso, pesquisadores realizaram uma análise com 4.052 adultos (entre 40 e 54 anos) sem história de doença cardiovascular. Os participantes responderam questionários sobre estilo de vida e foram submetidos à avaliação da placa aterosclerótica via ultrassom.

Três padrões de consumo de café da manhã foram estabelecidos:

1. Café da manhã de alta energia: ao contribuir para > 20% do consumo total de energia diária (27% da população);
2. Café da manhã de baixa energia: entre 5% e 20% do consumo total de energia diária (70% da população);
3. “Pular” o café da manhã: < 5% do consumo total de energia diária (3% da população).

Independente da presença de fatores de risco cardiovascular, em comparação com o café da manhã de alta energia, “pular” a refeição foi associado a uma maior prevalência de aterosclerose subclínica (odds ratio: 1,55; intervalo de confiança de 95%: 0,97 a 2,46) e generalizada (odds ratio: 2,57; intervalo de confiança de 95%: 1,54 a 4,31).

Com base nesses achados, os pesquisadores concluíram que deixar de tomar o café da manhã com frequência pode elevar o risco de aterosclerose, independente da presença de fatores de risco cardiovasculares. Para os autores, o “hábito” de pular a refeição pode servir como um marcador para uma dieta ou um estilo de vida geral não saudável, que, por sua vez, está associado ao desenvolvimento e progressão da doença.

Fique ligado: ‘Você come na hora certa? Veja a diretriz da AHA sobre o assunto’

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Journal of the American College of Cardiology. The Importance of Breakfast in Atherosclerosis Disease – nsights From the PESA Study. DOI: 10.1016/j.jacc.2017.08.027
Compartilhar
Publicado por
Vanessa Thees

Posts recentes

ACC 2021: oclusão do apêndice atrial em cirurgia cardíaca + anticoagulação pode reduzir risco de AVE?

O estudo LAAOS 3 avaliou se a oclusão do apêndice atrial esquerdo, adicionada à posterior…

7 horas atrás

ACC 2021: sacubitril + valsartana ou ramipril para pacientes com IAM e IC?

O trial PARADISE-MI, apresentado no congresso do ACC 2021, testou a eficácia e segurança do…

8 horas atrás

ACC 2021: aspirina na prevenção secundária – qual a melhor dose?

O estudo ADAPTABLE, apresentado no congresso do ACC 2021, buscou entender se doses maiores de…

12 horas atrás

Whitebook: murcormicose

Em nossa publicação semanal de conteúdos do  Whitebook Clinical Decision vamos falar sobre a apresentação…

13 horas atrás

Ceratite infecciosa e lentes de contato: O que precisamos saber?

A ceratite infecciosa é a complicação mais séria que pode decorrer do uso de lentes…

1 dia atrás

Hemorragia intracraniana em pacientes que tomam anticoagulantes orais

A hemorragia intracraniana é potencialmente devastadora associada à terapia anticoagulante. Sua reversão é uma emergência. Saiba…

1 dia atrás