Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Saúde & Tecnologia / Desenvolvido óculos que mede nível de glicose, álcool e vitaminas através de uma lágrima
médico anotando em prescrição com estetoscópio ao lado

Desenvolvido óculos que mede nível de glicose, álcool e vitaminas através de uma lágrima

Acesse para ver o conteúdo

Inscreva-se gratuitamente para acessar esse conteúdo e muito mais no Portal PEBMED!

Tenha acesso ilimitado a quizzes, casos clínicos, novos estudos e diretrizes atualizadas.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Picadinho no dedo é coisa do passado! Já se imaginou usando um par de óculos que consegue medir o nível de glicose, álcool e vitaminas no sangue do seu paciente através de uma única lágrima? A leitura das informações nutricionais é realizada por um biossensor simultaneamente com a realização da consulta, com os resultados sendo enviados por bluetooth para o seu computador ou smartphone?

O projeto foi desenvolvido pelos pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Diego, nos Estados Unidos, e contou com a participação da pesquisadora brasileira Laís Canniatti Brazaca, na época doutoranda do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo (IFSC-USP), e hoje pós-doutoranda no Instituto de Química de São Carlos (IQSC-USP).

“Foi desafiante desenvolver uma plataforma capaz de fazer medidas de glicose, álcool e vitaminas usando apenas uma lágrima. Desenvolvemos um dispositivo microfluídico super-hidrofóbico, que é inserido nas plaquetas dos óculos. Dentro do dispositivo se encontra um eletrodo, que é modificado com uma determinada enzima, dependendo do que se deseja detectar. Para o caso da medição de níveis de glicose, por exemplo, usamos a enzima glicose-oxidase. A resposta do biossensor é transmitida a partir de um dispositivo emissor presente em uma das hastes dos óculos”, explicou Laís Canniatti Brazaca, que entre os anos de 2017 e 2018, realizou um estágio sanduíche nos Estados Unidos, com bolsa da FAPESP e orientação do pesquisador Joseph Wang, coordenador do Departamento de Nanoengenharia da Universidade da Califórnia em San Diego.

Como funciona

O médico ou usuário deve escolher o tipo de medição que deseja realizar: glicose, álcool ou vitamina para inserir o dispositivo adequado na plaqueta do par de óculos.

Usando os óculos, o usuário deve utilizar um pequeno bastão com um produto sensível ao olho para estimular a geração das lágrimas. Quando a lágrima escorrer e entrar em contato com o biossensor presente na plaqueta, a reação vai gerar uma variação na corrente do eletrodo. Esse sinal é emitido pelo dispositivo instalado nas hastes para o computador ou smartphone, facilitando a leitura dos dados.

Leia também: Inteligência artificial identifica câncer de pele com precisão de 86%

Existe ainda a possibilidade da mudança de plaquetas, conforme o tipo de leitura desejada, para que a plataforma consiga detectar diversas outras substâncias pelas lágrimas.

Pela primeira vez, pesquisadores conseguiram demonstrar a capacidade de monitorar a glicose lacrimal fora dos olhos e a utilidade de dispositivos portáteis para monitorar os nutrientes vitamínicos em conexão com o detector enzimático de fluxo e a rápida varredura voltamétrica, respectivamente.

Esses desenvolvimentos abrem caminho para a construção de um sistema eficaz de óculos capaz de analisar as lágrimas químicas.

Nanoengenharia

A nanoengenharia por objetivo a integração das fronteiras da nanociência e da nanotecnologia para criar novos produtos, utilizando as técnicas e os conhecimentos gerados pelas outras duas áreas para conceber algo tangível, como um material ou equipamento.

Quer receber as principais novidades em Medicina? Inscreva-se aqui!

Atualmente, diversos países têm ampliado os investimentos em nanociência e nanotecnologia. A Alemanha, por exemplo, mantém atualmente centenas de centros de competência. Somente na área de nanoquímica são 113 unidades, compostas por empresas, universidades e instituições de pesquisa.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor:

Referências bibliográficas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.