Home / Cirurgia / Dia Mundial da Tuberculose: como identificar as tuberculoses gastrointestinais?

Dia Mundial da Tuberculose: como identificar as tuberculoses gastrointestinais?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

Apesar de ser amplamente relacionado a lesões pulmonares, a tuberculose também pode apresentar em sítios extrapulmonares, especialmente em pacientes imunocomprometidos. Mesmo com os novos fármacos disponíveis, nos últimos anos a tuberculose apresentou um aumento da sua incidência.

Em relação às tuberculoses do trato gastrointestinal, temos duas principais formas de apresentação: a intestinal e a peritoneal. Felizmente sua ocorrência é rara, o diagnóstico pode ser complexo e o manejo é multidisciplinar, visto que a base do tratamento é medicamentosa podendo necessitar de cirurgia. De uma maneira generalizada, os pacientes com tuberculose do trato gastrointestinal estão em um contexto de doença crônica e os sintomas diretamente relacionados a infecção pelo bacilo estão presentes há semanas.

Em relação às tuberculoses do trato gastrointestinal, temos duas principais formas de apresentação: a intestinal e a peritoneal.

Tuberculose intestinal

Geralmente a infecção intestinal pelo Mycobacterium tuberculosis ocorre após a deglutição do bacilo e o mesmo se aloja em íleo distal (85% a 90%), causando o processo infeccioso, com espessamento da parede, fístulas e massa inflamatória ao redor. O diagnóstico definitivo é feito com a detecção direta do bacilo através do exame de BAAR, cultura ou até indiretamente pela técnica de PCR. Para dificultar ainda mais o desafio diagnóstico, o número de bacilos presentes nos focos infecciosos é pequeno e, portanto, raramente com positividade nos exames de BAAR.

A grande questão das infecções intestinais por tuberculose é que sua apresentação clínica, radiológica, endoscópica e até mesmo histopatológica podem ser bastante semelhantes a doença de Crohn, cujo tratamento envolve uso de corticoides que poderia ser desastroso nas infecções por tuberculose. Nos casos extremos onde não se chega à conclusão se faz necessário uma prova terapêutica com antituberculínicos e somente aqueles que não apresentassem resposta seriam candidatos a tratamento com corticoides ou outros imunomoduladores.

O tratamento da tuberculose intestinal é clínico com uso das drogas recomendadas para a tuberculose e por tempo um pouco maior quando comparada a tuberculose pulmonar. A atribuição do cirurgião no curso do tratamento da tuberculose intestinal está na necessidade de obtenção de material nos casos duvidosos e até o tratamento das complicações decorrentes da infeccção crônica como as obstruções por fibrose e fistulas.

Tuberculose peritoneal

O principal achado da tuberculose peritoneal é uma ascite de difícil controle, normalmente em pacientes com outras comorbidades que por si só poderiam justificar a ascite como as hepatopatias e renais crônicos. Métodos de imagem são incapazes de fazer o diagnóstico e até mesma uma simples paracentese raramente confirma o achado de tuberculose, com rendimentos menores que 3%.

Nos casos de tuberculose peritoneal, será necessária uma amostra para o histopatológico e cultura. Os achados macroscópicos podem se assemelhar a uma carcinomatose peritoneal com focos brancacentos menores que 5 mm dispersos por toda a cavidade, no entanto a histopatologia irá demostrar a necrose caseosa. A forma mais indicada para obter a amostra é por videolaparoscopia, porem nos casos de impossibilidade técnica a laparotomia convencional se faz necessária.

Veja também: Dia Mundial da Tuberculose: tuberculose e coração

Para levar para casa

Apesar de a tuberculose ser uma patologia pouco frequente no trato digestivo, o contexto clínico do paciente, com um quadro arrastado e dados iniciais inespecíficos, devem levantar à hipótese de infecção pelo M. tuberculosis. O importante é não desistir de um diagnóstico preciso mesmo que os primeiros resultados sejam inconclusivos.

Leia os outros textos sobre o Dia Mundial de Combate à Tuberculose no site.

Autor:

Referências bibliográficas:

  • Kedia S, Das P, Madhusudhan KS, et al. Differentiating Crohn’s disease from intestinal tuberculosis. World J Gastroenterol. 2019;25(4):418-432. doi:10.3748/wjg.v25.i4.418
  • Sabiston tratado de cirurgia : a base biológica da prática cirúrgica moderna / Courtney M. Townsend … [et al.] ; tradução GEA ; [colaboração Cary B. Aarons … [et al.]]. – 20. ed. – Rio de Janeiro : Elsevier, 2019. – p. : il. ; 270 cm.”-Sabiston Tratado de Cirurgia, Copyright| Courtney M. Townsend Jr., R. Daniel Beauchamp, B. Mark Evers and Kenneth L. Mattox.

Um comentário

  1. Avatar
    Rosangela Souza Soares de Albergaria Medeiros

    Muito Educativa, informativo, podemos continuar com mais aprendizado para trocas de Conhecimentos e informações no Território em que moro.Parabens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.