Dia Mundial do Doador de Sangue: como estão as doações em tempos de pandemia?

Tempo de leitura: 3 minutos.

Comemorado hoje, dia 14 de junho, o Dia Mundial do Doador de Sangue serve de alerta para a necessidade da manutenção do estoque de sangue em hospitais, mesmo em tempos de pandemia.

Antes mesmo do surgimento dos primeiros casos no país, os hospitais e hemocentros brasileiros já sofriam com a baixa adesão de doadores de sangue. Após o início da quarentena, em março, os estoques dos bancos de sangue caíram drasticamente, principalmente pelo medo da contaminação.

O Hemocentro do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), por exemplo, registrou 25% de queda nas doações de sangue desde o início das contaminações por Covid-19. O mesmo ocorreu com o Centro de Hematologia do Hospital Irmãos Penteado, localizado na Santa Casa de Campinas. Por dia, são esperadas 60 doações. Mas atualmente, em média, são recebidas apenas 12.

Outra instituição de saúde que precisa de mais doadores de sangue com urgência é a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), responsável em fornecer bolsas de sangue para as unidades da rede estadual de saúde. O número de voluntários caiu drasticamente nos últimos meses, colocando em risco a continuidade dos atendimentos a doentes crônicos e vítimas de acidentes de trânsito, por exemplo.

Leia também: Transfusão de sangue x infecção pelo Zika: devemos nos preocupar?

É importante que os profissionais de saúde lembrem aos seus pacientes que os bancos de sangue continuam abertos, funcionando com toda a segurança para evitar a contaminação.

“Não podemos esquecer que mesmo com o surto do novo coronavírus, as pessoas continuam tendo anemias crônicas, acidentes que causam hemorragias, tratamento de câncer e outras doenças graves que precisam receber bolsas de sangue, esse consumo é diário e contínuo. Ainda não temos um substituto artificial para o sangue, por isso nossa doação voluntária continua sendo questão de vida ou morte para muitos”, enfatiza a pediatra Patrícia Rezende, do Grupo Prontobaby.

Importância da conscientização sobre doação de sangue

Doadores de sangue e plaquetas há mais de 10 anos, Caio Katayama e Charlene Moraes, sócios fundadores da Ótris Soluções Financeiras, iniciaram uma campanha de doação de sangue dentro da empresa, com clientes, colaboradores e fornecedores.

“Estamos em um momento muito complicado e temos que ser solidários. A campanha tem o objetivo de alcançar os clientes e colaboradores, e quem sabe até incentivar as pessoas a praticarem essa ação com mais frequência. Temos franquias em diversos lugares e muitos estão com os bancos de sangue a níveis baixos, esperamos ajudar algumas dessas localidades com a campanha”, explica Caio Katayama.

Orientações para o doador

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde (MS) atualizaram os critérios técnicos contidos para a triagem clínica dos candidatos à doação de sangue relacionados ao risco de infecção pelo novo coronavírus.

De acordo com a nota técnica 13/2020, quem viajou para países com transmissão local de Covid-19 e os casos confirmados da doença serão considerados inaptos para a doação por um período de 14 dias após a chegada da viagem.

Para os candidatos que tiveram contato, nos últimos 30 dias, com algum indivíduo com diagnóstico clínico ou laboratorial confirmado, o período de inaptidão será de 14 dias após o último contato.

Já os candidatos à doação de sangue que estejam em isolamento voluntário ou indicado por equipe médica, devido a sintomas de possível infecção pela enfermidade, serão considerados inaptos pelo período que durar o isolamento (de, no mínimo, 14 dias), caso não apresentem sintomas.

Veja mais: Quais as medidas de precaução para cada tipo de transmissão possível do coronavírus?

Profissionais de serviço de hemoterapia

Durante o tempo de acolhimento do doador e da coleta de sangue, os profissionais dos serviços de hemoterapia deverão estar atentos às medidas de higiene para prevenir a contaminação pelo novo coronavírus, como a lavagem das mãos, a utilização de produtos antissépticos e máscaras.

Os cuidados com a higienização das áreas, instrumentos e superfícies devem ser intensificados por esses profissionais. Para evitar a aglomeração de voluntários no momento da coleta, é recomendado o agendamento da doação.

Outra medida importante é a manutenção do distanciamento seguro entre os doadores durante a coleta de, no mínimo, dois metros de distância.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autora:

Referências bibliográficas:

Relacionados