Página Principal > Gastroenterologia > Doença inflamatória intestinal aumenta o risco de eventos arteriais agudos
medico examinando barriga de paciente

Doença inflamatória intestinal aumenta o risco de eventos arteriais agudos

Tempo de leitura: 2 minutos.

As doenças inflamatórias do intestino são doenças crônicas, de etiologia desconhecida, mas capazes de desenvolver uma reação inflamatória na mucosa digestiva de natureza imunológica.

A inflamação sistêmica crônica está envolvida na patogênese da aterosclerose e associada com o maior risco de eventos arteriais agudos. No entanto, esse risco em pacientes com doença inflamatória intestinal não está claro, em contraste com outros distúrbios inflamatórios crônicos, como artrite reumatoide e lúpus eritematoso sistêmico.

Neste contexto, um grupo de pesquisadores franceses conduziram um estudo com o intuito de avaliar o risco de eventos arteriais agudos, incluindo cardiopatia isquêmica, doença cerebrovascular e doença arterial periférica em pacientes com doença inflamatória intestinal em comparação com a população em geral. Adicionalmente, o estudo avaliou o impacto da idade e da atividade da doença sobre o risco de eventos arteriais agudos.

O estudo foi conduzido utilizando um banco de dados da França. Todos os pacientes com 15 anos de idade ou mais e diagnosticados com doença inflamatória intestinal foram identificados e acompanhados.

Veja também: ‘Doença de Crohn: diretrizes indicam a terapia pós-cirúrgica mais adequada’

No total, foram avaliados 210.162 indivíduos com doença inflamatória intestinal, sendo 97.708 com doença de Crohn e 112.454 com colite ulcerativa. A mediana de acompanhamento foi de 3,4 anos (intervalo interquartil: 1,8 a 4,0). A maioria dos pacientes com doença inflamatória intestinal eram mulheres (53,8%), com proporções significativamente maiores em pacientes com doença de Crohn (57,7%) quando comparado com colite ulcerativa (50,5%) (p<0,0001).

Um total de 5.554 eventos arteriais agudos ocorreram, incluindo 3.177 (57,2%) cardiopatias isquêmicas, 1.715 (30,9%) doenças cerebrovasculares e 662 (11,9%) doenças da artéria periférica.

Ambos os pacientes com doença de Crohn e colite ulcerativa tiveram um aumento estatisticamente significativo no risco de eventos arteriais agudos (taxa de incidência padronizada: 1,35; intervalo de confiança [IC] de 95%: 1,30 a 1,41 e taxa de incidência padronizada 1,10; IC 95%: 1,06 a 1,13, respectivamente). O maior risco foi observado em pacientes com idade inferior a 55 anos, em ambas as patologias.

Os períodos de três meses anteriores e posteriores à hospitalização relacionada a doença inflamatória intestinal foram associados com um risco aumentado de eventos arteriais agudos na doença de Crohn e na colite ulcerativa (hazard ratio [HR]: 1,74; IC 95%: 1,44 a 2,09 e HR: 1,87; IC 95%: 1,58 a 2,22, respectivamente).

Os resultados mostraram, portanto, que pacientes com doença inflamatória intestinal apresentam maior risco de eventos arteriais agudos, com maior risco em pacientes mais jovens para todos os grupos de doenças arteriais. Estratégias para otimizar o controle da inflamação devem ser avaliadas para diminuir o risco de eventos arteriais agudos neste subgrupo de pacientes.

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

Autora:

Referências:

  • Kirchgesner J, Beaugerie L, Carrat F, et al. Gut. 2017 Jun 24. pii: gutjnl-2017-314015. doi: 10.1136/gutjnl-2017-314015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.