Página Principal > Cardiologia > DPOC: suplementação de vitamina D pode reduzir exacerbações?
dpoc

DPOC: suplementação de vitamina D pode reduzir exacerbações?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A vitamina D já foi relacionada à redução do risco cardiovascular e câncer, prevenção do comprometimento cognitivo, entre outros. Um novo artigo, publicado no British Medical Journal (BMJ) em janeiro, indica que a vitamina D pode ajudar também a reduzir as exacerbações da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Para chegar nessa conclusão, pesquisadores realizaram uma meta-análise com as bases do PubMed, Embase, Cochrane Central Register of Controlled Trials e Web of Science. Foram incluídos nesse estudo quatro ensaios clínicos randomizados envolvendo a suplementação de vitamina D em pacientes com DPOC exacerbado (n = 560 participantes).

LEIA TAMBÉM: DPOC na emergência – mitos e verdades

Vitamina D e DPOC

Vitamina D3 oral foi dada aos participantes de todos os ensaios analisados, com doses e horários variados, de 220.000 UI em seis meses a 1,2 milhões de UI por ano.

A suplementação não influenciou a taxa global de exacerbações moderadas / severas da DPOC (taxa de incidência ajustada [aIRR]: 0,94, IC 95%: 0,78 a 1,13). A análise de subgrupos revelou que os efeitos protetores foram observados em participantes com níveis basais de 25-hidroxivitamina D < 25 nmol / L, reduzindo a exacerbação em até 45% (aIRR: 0,55, IC 95%: 0,36 a 0,84; p = 0,015).

O mesmo efeito não foi observado naqueles com níveis basais de 25-hidroxivitamina D ≥ 25 nmol / L (aIRR: 1,04, IC 95%: 0,85 a 1,27; p = 0,015). A vitamina D não influenciou a quantidade de participantes que sofreu, pelo menos, um evento adverso grave (odds ratio ajustado: 1,16, IC 95%: 0,76 a 1,75).

Conclusões

Pelos achados, os autores do estudo concluíram que a suplementação com vitamina D pode reduzir, de maneira segura, a taxa de exacerbações moderadas / severas da DPOC em indivíduos com níveis basais de 25-hidroxivitamina D < 25 nmol / L.

VEJA TAMBÉM: Intervalos de referência da vitamina D – sociedades fazem posicionamento oficial

DPOC

A DPOC deve ser pesquisado em todo paciente com dispneia, tosse e/ou expectoração, os três principais sintomas da síndrome, bem como nos pacientes assintomáticos com exposição aos fatores de risco. O diagnóstico de DPOC deve ser pesquisado com base em dois pilares: avaliação clínica dos sintomas e espirometria.

A decisão de quando e como tratar depende da caracterização de três fatores: espirometria, escala de sintomas e frequência das exacerbações. Pacientes com piora da dispneia, da tosse e/ou da expectoração são considerados em exacerbação, que pode ser classificada em:

  1. Leve: resolve apenas com broncodilatadores.
  2. Moderada: necessita de corticoide sistêmico.
  3. Grave: há necessidade de hospitalização, mesmo que apenas na emergência.

Saiba mais em nosso artigo sobre manejo do DPOC.

Referências:

  • Jolliffe DA, Greenberg L, Hooper RL, et al Vitamin D to prevent exacerbations of COPD: systematic review and meta-analysis of individual participant data from randomised controlled trials Thorax Published Online First: 10 January 2019. doi: 10.1136/thoraxjnl-2018-212092

Um comentário

  1. Magno Cabral

    Redução de risco relativo em análise de subgrupo de desfechos substitutivos? Para mim… autores concluem que dá para lucrar cada vez mais dinheiro com a venda de vitamina D com apenas sugestões incertas. Sem relação causa-efeito. Cheira a podre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.