Infectologia

Efeito da terapia antimicrobiana guiada por procalcitonina em pacientes com infecção e sepse na UTI

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

O Sepsis 3, último consenso publicado em 2016, define sepse como uma disfunção orgânica ameaçadora à vida causada por uma resposta desregulada do hospedeiro a uma infecção. Apesar dos crescentes estudos sobre o assunto, a sepse ainda é uma importante causa de mortalidade no mundo, especialmente no contexto de unidades de terapia intensiva.

Além da detecção precoce, com início rápido de terapia antibiótica e de medidas de suporte, a monitoração da resposta ao tratamento, com escalonamento ou descalonamento na terapia quando indicado, também contribui para melhores desfechos. Entretanto, como o uso de parâmetros clínicos na avaliação de resposta adequada é muitas vezes difícil, a busca por marcadores laboratoriais que pudessem auxiliar na monitoração tem se intensificado nos últimos anos.

A procalcitonina sérica é um biomarcador que parece refletir a resposta do hospedeiro a insultos bacterianos, aumentando com o desenvolvimento de infecção e reduzindo durante o período de recuperação. Com isso, fornece informações adicionais diagnósticas e prognósticas ao exame clínico. Vários ensaios clínicos vêm procurando mostrar se há benefício no uso da dosagem sérica de procalcitonina para guiar o início e o tempo de tratamento antimicrobiano em pacientes sépticos em unidades de terapia intensiva (UTI), mas dados definitivos sobre a segurança e os benefícios dessa estratégia são limitados ou inconclusivos.

Leia mais: Choque séptico: mono versus dupla terapia antimicrobiana

Recentemente, uma metanálise publicada na Critical Care buscou avaliar o impacto da terapia antibiótica guiada por procalcitonina na mortalidade de pacientes sépticos em UTI, globalmente e estratificando-se por gravidade e tipo de infecção. Somando-se os 11 estudos incluídos, foram analisados os dados de 4.482 pacientes. Os protocolos para o uso da procalcitonina foram semelhantes entre os estudos, com foco principalmente na descontinuação de antibióticos quando os valores séricos caíam abaixo de 0,5 µg/L ou em 80% do valor de pico.

Os resultados mostraram uma menor mortalidade no grupo que usou a terapia guiada por procalcitonina em relação ao grupo controle (21,1% vs. 23,7%; OR = 0,89, com IC 95% = 0,8 – 0,99%; p = 0,03). Tal diferença se manteve quando os dados foram ajustados por gravidade (indicada pelo escore SOFA, presença ou não de choque séptico, insuficiência respiratória e necessidade de suporte dialítico) e por tipo de infecção (incluindo trato respiratório, trato urinário, abdominal, pele e partes moles e sistema nervoso central). Entretanto, na análise dos dados agregados, a diferença entre o grupo que usou procalcitonina e os controles não foi significativa (OR = 0,88, com IC 95% = 0,76 – 1,01).

Em relação ao tempo de tratamento, encontrou-se uma redução moderada no grupo da terapia guiada por procalcitonina em relação ao grupo controle, com uma diferença ajustada de -1,19 dias (IC 95% = -1,73 a -0,66; p < 0,001). O efeito foi semelhante entre pacientes com critérios de sepse, segundo o Sepsis 3, e os demais; mas foi maior entre aqueles com valores menores de escore SOFA (-2,62 dias para os com SOFA entre 0 e 6 vs. 0,01 dias para os com valores entre 7 e 9 vs. -0,63 dias para os com SOFA entre 10 e 24) e nos com infecções de pele e partes moles, porém sem diferença estatística significativa neste último subgrupo (-4,6 dias; IC 95% = -10,36 a 1,23). Não houve efeito da terapia guiada por procalcitonina sobre a duração da internação.

Os pesquisadores concluíram que o uso da procalcitonina sérica como fator adjuvante para guiar o uso de antimicrobianos teve um impacto favorável em pacientes com infecção bacteriana internados em UTI, com menor mortalidade e uma redução moderada no tempo de tratamento. Entretanto, deve-se destacar que os resultados foram muitas vezes marginais, o que levanta o questionamento da custo-efetividade dessa estratégia na realidade da maioria dos hospitais brasileiros.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Referências:

  • Singer, M, Deutscham, CS, Seymour, CW, Shankar-Hari, M, Annane, D, Bauer, M, Bellomo, R, Bernard, GR, Chiche, JD, Coopersmith, CM, Hotchkiss, RS, Levy, MM, Marshall, JC, Martin, GS, Opal, SM, Rubenfeld, GD, van der Poll, T, Vincent, JL, Angus, DC. The Third International Consensus Definitions fpr Sepsis and Septic Shock (Sepsis-3). JAMA 2016; 315(8):801-810. doi:10.1001/jama.2016.0287
  • Wirz, Y, Meier, MA, Boudama, L, Luyt, CE, Wolff, M, Chastre, J, Tubach, F, Schroeder, S, Nobre, V, Annane, D, Reinhart, K, Damas, P, Nijsten, M, Shajiei, A, deLange, DW, Deliberato, RO, Oliveira, CF, Shebabi, Y, van Oers, JAH, Beishuizen, A, Girbes, ARJ, Jong, E, Mueller, B, Schuetz, P. Effect of procalcitonin-guided antibiotic treatment on clinical outcomes in intensive care unit patients with infection and sepsis patients: a patient-level meta-analysis of randomized trials. Critical Care 2018 22:191. doi: 10.1186/s13054-018-2125-7
Compartilhar
Publicado por
Isabel Cristina Melo Mendes

Posts recentes

Modelo de reconhecimento de caligrafia para detectar doença de Parkinson é desenvolvido por adolescentes americanos

Foi publicado um estudo sobre o aprendizado de máquina baseado em um conjunto de algoritmos…

9 horas atrás

Highlights do ATS 2022 [podcast]

Confira os destaques do ATS 2022, um dos maiores encontros em pneumologia, cirurgia torácica e…

10 horas atrás

PEBMED e ILAS: terapia antimicrobiana na sepse [podcast]

Neste episódio, saiba mais sobre a terapia antimicrobiana na sepse. Confira!

10 horas atrás

Fernanda Pautasso esclarece os principais aspectos sobre enfermeiro navegador

Convidamos a Enfermeira Mestre Fernanda Pautasso para bater um papo super interessante sobre enfermeiro navegador.

11 horas atrás

Resultados da denervação seletiva para rizartrose

A rizartrose é extremamente comum, com prevalência estimada em 15% dos pacientes acima de 30…

13 horas atrás

Há como predizer quem vai ter uma parada cardiorrespiratória (PCR) em FV ou TV?

Estudo buscou desenvolver um algoritmo para identificar quem teria maior risco de parada cardiorrespiratória (PCR)…

14 horas atrás