Coronavírus

Eliminação viral e produção de anticorpos em crianças infectadas com o vírus SARS-CoV-2

Tempo de leitura: 2 min.

Segundo o estudo Kinetics of viral clearance and antibody production across age groups in SARS-CoV-2 infected children publicado no The Journal of Pediatrics, anticorpos IgG anti-SARS-CoV-2 foram detectados em amostras de sangue de algumas crianças infectadas, antes que o vírus pudesse ser eliminado.

Leia também: Transmissão da Covid-19 por crianças: o que sabemos até agora?

Método

Nesse estudo, foram analisados, de forma retrospectiva, dados de crianças testadas para SARS-CoV-2 por RT-PCR e anticorpo IgG no Children’s National Hospital, um hospital pediátrico autônomo quaternário em Washington, DC, no período entre 13 de março a 21 de junho de 2020. Foram incluídos 6.369 pacientes submetidos a testes de RT-PCR e 215 pacientes que foram submetidos a teste de anticorpos. Durante o período inicial do estudo, a realização dos testes foi focada principalmente em crianças sintomáticas. Já o último período de estudo incluiu pacientes assintomáticos que foram submetidos a testes de pré-admissão ou triagem pré-procedimento. Os pesquisadores relataram a proporção de testes positivos e negativos, o tempo para eliminação viral e o tempo para a soropositividade.

Saiba mais: Covid-19: estudo detecta carga viral mais alta em crianças menores de 5 anos

A taxa de positividade variou ao longo do tempo devido à circulação viral na comunidade e à transição do teste direcionado de pacientes sintomáticos para uma triagem mais universal de pacientes hospitalizados. A duração média da liberação viral (positividade de RT-PCR) foi de 19,5 dias e o tempo desde a positividade de RT-PCR até a negatividade foi de 25 dias. Em 10 pacientes, esse tempo foi superior a 30 dias, com um máximo de 62 dias.

Os pesquisadores ressaltaram que pacientes de 6 a 15 anos demoraram mais para negativar o RT-PCR (mediana de 32 dias), enquanto pacientes de 16 a 22 anos obtiveram negatividade após 18 dias (P = 0,015). Já os pacientes com idade entre 0 e 5 anos tiveram um tempo mediano de 22 dias para negativar. Apesar das diferenças entre os grupos etários, não foi encontrada nenhuma diferença geral no tempo para negativação para pacientes do sexo feminino (mediana = 26 dias) versus do sexo masculino (mediana = 25 dias).

Limitações

O estudo apresenta algumas limitações: é retrospectivo e o tempo de detecção de vírus e o teste de anticorpos foram feitos a critério do fornecedor do pedido, e não em intervalos de tempo definidos. Não foram incluídos o início dos sintomas porque o projeto foi baseado exclusivamente na avaliação de dados laboratoriais. Além disso, o ensaio sorológico usado no estudo teve 94,3% de concordância positiva e 100% negativa com um teste comparativo ligado a ensaio por enzimas imunoadsorvidas. Por fim, dada a baixa concordância positiva ideal, alguns resultados falsos negativos são esperados.

Conclusão

Esse estudo concluiu que a maioria dos pacientes crianças demonstrou um período prolongado de eliminação viral após a infecção com SARS-CoV-2, porém não se sabe se isso se correlaciona com infectividade persistente. Apenas 17 de 33 pacientes demonstraram anticorpos neutralizantes adequados durante o período de coleta da amostra. Entretanto, ainda não se sabe se o anticorpo IgG contra estruturas da proteína de pico se correlaciona com a imunidade e por quanto tempo os anticorpos e a proteção potencial persistem.

 

Autor(a):

 Referências bibliográficas:

  • Bahar B, Jacquot C, Mo YD, DeBiasi RL, Campos J, Delaney M. Kinetics of viral clearance and antibody production across age groups in SARS-CoV-2 infected children. J Pediatr. 2020 Sep 2:S0022-3476(20)31114-8. doi: 10.1016/j.jpeds.2020.08.078. Epub ahead of print. PMID: 32891640; PMCID: PMC7468315.
Compartilhar
Publicado por
Roberta Esteves Vieira de Castro

Posts recentes

Blog do Nurse: Bloco de Enfermagem Cirúrgica ganha atualização!

Nursebook recebeu atualizações no Bloco de Enfermagem Cirúrgica entre outras. Confira a lista completa!

5 horas atrás

Anemia megaloblástica na gestação – Parte 2

Segunda parte do artigo sobre anemia megaloblástica, a segunda principal causa de anemia durante a…

8 horas atrás

10 mitos relacionados ao diagnóstico e tratamento das infecções do trato urinário – Parte I

Confira 10 mitos relacionados ao diagnóstico e tratamento das infecções do trato urinário e os…

10 horas atrás

Glicocorticoide em pacientes com angiopatia amiloide cerebral

Embora a terapia com glicocorticoides seja mais frequentemente usada nesse cenário, tratamentos imunossupressores também têm…

11 horas atrás

Vírus respiratórios: quais são eles?

É extremamente importante estar atento a outras possibilidades de vírus respiratórios que não o SARS-CoV-2,…

11 horas atrás

Microbioma pulmonar: a importância da flora bacteriana nos pulmões

Estudos recentes mostram que o microbioma pulmonar pode ser mais semelhante ao microbioma gástrico quando…

12 horas atrás