Leia mais:
Leia mais:
Placas para fraturas e pseudoartroses de escafoide: uma boa opção?
Fraturas estáveis da parede posterior do acetábulo têm bons resultados se tratadas conservadoramente? 
A fixação provisória com placas de minifragmentos interfere na força de compressão da síntese definitiva?
Existe relação do IMC com o risco de fraturas em crianças pré-escolares?
Vitamina D e cálcio realmente evitam fraturas?

Enxerto ósseo autólogo ou sintético no tratamento de fraturas do platô tibial?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

As fraturas do platô tibial têm impacto substancial na qualidade de vida dos pacientes e são causadas por traumas de alta energia em pacientes jovens e de baixa energia em pacientes osteopênicos. Há risco significante de consolidação viciosa, artrose precoce e infecção profunda, o que debilita gravemente tais pacientes.

Leia também: Placas para fraturas e pseudoartroses de escafoide: uma boa opção?

O enxerto ósseo está indicado no tratamento das fraturas do platô tibial para auxiliar na redução aberta e fixação interna das fraturas intra-articulares melhorando a biomecânica e promovendo crescimento ósseo para preenchimento do defeito. Historicamente, o enxerto ósseo autólogo (tipicamente da crista ilíaca) era o preferido dadas as suas propriedades estruturais e osteogênicas. Entretanto, essa intervenção está sujeita à morbidade no sítio doador, podendo chegar a 40% de dor residual em 6 meses de pós-operatório.

Subsequentemente, nas décadas recentes, cresceu o interesse nos substitutos ósseos sintéticos com a evolução do setor de bioengenharia e biomateriais. Estudos em animais e cadavéricos demonstraram maior rigidez e menores desvios na enxertia com fosfato de cálcio sintético em relação ao enxerto autólogo. Entretanto, não há estudos de qualidade comparando os custos adicionais do enxerto sintético em relação ao autólogo.

Enxerto ósseo autólogo ou sintético no tratamento de fraturas do platô tibial

O estudo

Foi publicado no último mês na revista Bone and Joint Open uma revisão sistemática com o objetivo de demonstrar superioridade clínica do enxerto sintético ou autólogo no tratamento das fraturas do platô tibial. Foram eleitos apenas ensaios clínicos randomizados que compararam o enxerto ósseo autólogo com alternativa sintética. O desfecho primário era depressão articular pós-operatória e os secundários incluíram alinhamento, satisfação com a redução, retorno à função, perda sanguínea, duração da cirurgia, infecção e necessidade de reintervenção.

Seis estudos envolvendo 353 fraturas foram identificados a partir de 3.078 registros. Após a avaliação, cinco estudos (representando 338 fraturas) foram apropriados para meta-análise. Os resultados primários mostraram reduções não significativas dos enxertos ósseos sintéticos na depressão articular no pós-operatório imediato (diferença média -0,45 mm, p = 0,25, intervalo de confiança de 95% (IC) -1,21 a 0,31, I ²= 0%) e a longo prazo (> seis meses, diferença média padrão -0,56, p = 0,09, 95% CI -1,20 a 0,08, I² = 73%).

Saiba mais: Há diferenças nas complicações entre os acessos supra e infrapatelar na fixação intramedular da tíbia?

Quanto aos desfechos secundários, a perda média de sangue foi menor (90,08 ml, p < 0,001, IC 95% 41,49 a 138,67) e a cirurgia foi mais curta (16,17 minutos, p = 0,04, IC 95% 0,39 a 31,94) nos grupos de tratamento sintético. Todas as outras medidas secundárias foram estatisticamente comparáveis.

Conclusão

Esses achados suplantam a literatura anterior e indicam que, apesar das vantagens biológicas percebidas, o enxerto ósseo autólogo não demonstra superioridade aos enxertos sintéticos. Ao selecionar o enxerto, os cirurgiões devem considerar a comorbidade do paciente, fatores ambientais e sociais e prestação de cuidados perioperatórios e pós-operatórios.

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
# Cooper GM, Kennedy MJ, Jamal B, Shields DW. Autologous versus synthetic bone grafts for the surgical management of tibial plateau fractures: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Bone Jt Open. 2022 Mar;3(3):218-228. doi: 10.1302/2633-1462.33.BJO-2021-0195.R1.  
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.