Leia mais:
Leia mais:
Eructações (arrotos): como abordar?

Eructações (arrotos): como abordar?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Eructações, conhecidas popularmente como arrotos, constituem um fenômeno comum e benigno, mas que, quando em excesso, pode se tornar patológico e interferir drasticamente na qualidade de vida do paciente. Estima-se que 0,7-1% da população apresente eructação patológica. Essa prevalência é maior em pacientes portadores de doenças funcionais, como síndrome do intestino irritável e dispepsia, acometendo até 50-80% desses indivíduos.

Leia também: Índice de massa corporal aumentado pode estar associado à neoplasia colorretal precoce

Eructações (arrotos): como abordar?

O que é a eructação?

A eructação é definida como um escape de ar audível proveniente do esôfago ou estômago na direção da faringe. Baseado nos critérios de ROMA IV, a eructação é considerada patológica quando impacta nas atividades de vida diária do indivíduo mais de 3 vezes por semana, nos últimos 3 meses, sendo os sintomas iniciados pelo menos 6 meses antes do diagnóstico. Pode ser subdividida em eructação supragástrica, quando o escape de ar é proveniente do esôfago, ou gástrica, quando o ar escapa do estômago.

Fisiopatologia

Os mecanismos associados a eructação supragástrica e gástrica são distintos:

  • Supragástrica: o ar entra no esôfago por sucção associado a pressão intratorácica negativa por movimento do diafragma ou por aumento da pressão faríngea. Não é associado a redução na pressão do esfíncter esofagiano inferior, mas ao relaxamento do esfíncter superior que precede a passagem retrógrada de ar pelo esôfago. É considerada uma patologia associada ao comportamento e que resulta em eructação de repetição. Refeições habitualmente não desencadeiam eructações supragástricas e os sintomas tendem a reduzir com a distração do paciente. Os sintomas não estão presentes durante o sono e os pacientes não deglutem ar mais frequentemente que indivíduos sadios.
  • Gástrica: representa uma resposta fisiológica a distensão gástrica e, geralmente, resulta do relaxamento transitório pós-prandial do esfíncter esofagiano inferior. Diferentemente da eructação supragástrica, pode se associar a aerofagia (deglutição excessiva de ar).

Condições associadas

  • Supragástrica: doença do refluxo gastroesofágico, transtornos de ansiedade, bulimia, síndrome de ruminação, transtorno obsessivo-compulsivo, cirurgia antirrefluxo, esôfago sensível ao refluxo.
  • Gástrica: doença do refluxo gastroesofágico, dispepsia funcional, aerofagia.

Diagnóstico

O diagnóstico de provável eructação supragástrica pode ser estabelecido clinicamente em pacientes com história de eructações excessivas e repetitivas que melhoram com a distração ou com o sono. A endoscopia digestiva alta deve ser reservada para pacientes com sinais de alarme. Na presença de dúvida diagnóstica está indicada a realização de pHimpedanciometria. A impedanciometria permite a medida da impedância da corrente elétrica entre pares de eletrodos. A presença de líquido no esôfago causa diminuição da impedância, enquanto a presença de ar causa aumento. A eructação supragástrica é caracterizada por aumentos abruptos na impedância (de 1000Ω ou mais) progredindo na direção descendente, com um rápido retorno à impedância basal movendo-se na direção oposta, significando que o ar entra rapidamente e depois sai do esôfago sem cruzar o esfíncter esofagiano inferior . Já a eructação gástrica é caracterizada por movimento de ar retrógado emanado do estômago que progride na direção ascendente.

Saiba mais: Orientações da nova diretriz de manejo da ascite e complicações na cirrose

Tratamento

  • Supragástrica: o paciente deve ser abordado quando a benignidade do quadro e orientado quanto ao mecanismo associado a eructação. O quadro pode estar associado a transtorno psiquiátrico primário, o qual deve ser tratado. Terapia cognitivo-comportamental e apoio da fonoaudiologia podem ser de grande valia. Recomenda-se tratamento de doença do refluxo gastroesofágico e dispepsia se presentes. Deve-se ainda orientar o paciente quanto a técnicas de respiração diafragmática, as quais podem ajudar no controle das eructações.
  • Gástrica: modificações dietéticas e comportamentais visando a redução de aerofagia devem ser instituídas (ex: evitar alimentos gaseificados, comer devagar, evitar fumar e mascar chicletes). Baclofeno pode ser utilizado para reduzir a frequência de relaxamento do esfíncter esofagiano inferior e de deglutições por mecanismo central. Terapia fonoaudiológica e técnicas de respiração diafragmática também podem auxiliar no controle do quadro.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Rangan V et al. Belching: Pathogenesis, Clinical Characteristics, and Treatment Strategies. J Clin Gastroenterol. 2021 (ahead of print). doi: 10.1097/MCG.0000000000001631.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.