Leia mais:
Leia mais:
Medidas seriadas de peptídeo natriurético tipo B (BNP) podem predizer risco de doença cardiovascular em diabéticos?
Nefropatia diabética: como identificar e tratar? [podcast]
Como rastrear a doença renal crônica (DRC)? [podcast]
Estados Unidos aprovam sensor subcutâneo de glicose que dura seis meses 
Qual método de revascularização escolher no paciente diabético?

Estados Unidos aprovam sensor subcutâneo de glicose que dura seis meses 

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

A Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos aprovou a comercialização de um novo monitor contínuo de glicose (CGM) para diabetes com um sensor que pode durar até seis meses. Anteriormente, o sensor aprovado com o tempo mais longo durava somente três meses. 

O Eversense E3 mede 18 mm por 3,5 mm, sendo implantado no tecido subcutâneo de forma simples e rápida por um profissional de saúde treinado. Por ser muito pequeno, não exige pontos de sutura após a colocação. 

Para a sua colocação é necessário que um transmissor seja acoplado na pele justamente acima do local de implantação para que haja uma comunicação entre o sensor e o smartphone do paciente com diabetes. 

Leia também: Desenvolvido óculos que mede nível de glicose, álcool e vitaminas através de uma lágrima

Esse transmissor pode ser retirado quando a pessoa quiser, entretanto sem ele, os dados de glicose em tempo real são perdidos. O Eversense E3 pode ser utilizado em usuários de smartphones com os sistemas Android e/ou IOS. 

Estados Unidos aprovam sensor subcutâneo de glicose que dura seis meses 

O que é um CGM? 

Os sistemas de monitorização contínua da glicose (CGMs) rastreiam os níveis e tendências de açúcar no sangue em pacientes com diabetes tipo 1 e tipo 2 para ajudá-los a tomar decisões informadas sobre sua dieta e estilo de vida. Os monitores rastreiam essas informações 24 horas por dia, sete dias por semana e muitos fornecem atualizações ao usuário a cada cinco minutos, como é o caso do Eversense E3. 

Assim, é possível criar alertas sonoros e/ou vibratórios para que a pessoa com diabetes tome providências, caso a glicose suba ou caia demais. E mais: o usuário pode ser acordado pelo sensor de madrugada, por exemplo, devido a uma hipoglicemia que ele nem mesmo suspeitava. Incrível, não acham? 

Entretanto, apesar do produto ter uma excelente acurácia, ainda será necessária a utilização do glicosímetro convencional para medir a glicose duas vezes ao dia nos primeiros 21 dias após o implante e, em seguida, diariamente, até completar 90 dias. Os responsáveis pela nova tecnologia explicam que esse procedimento é fundamental para a sua correta calibração. 

Mesmo depois desse processo, se houver dúvida na medição, é essencial realizar a dupla checagem com o glicosímetro convencional. 

Dependendo da marca, um sensor CGM pode ser trocado em casa ou no consultório médico. A troca dos sensores em um Eversense E3 requer um procedimento especial, sendo necessário o agendamento de uma consulta médica quando os seis meses terminarem. 

Saiba mais: Estudantes da UnB desenvolvem pulseira para diabetes que mede glicose

“Aumentar ainda mais a duração do sistema CGM mais duradouro para seis meses representa um grande salto à frente para os pacientes e em direção à nossa missão de transformar vidas na comunidade global de diabetes”, disse o presidente e diretor executivo da Senseonics, Tim Goodnow, em um comunicado de imprensa. 

Ele acrescentou que a revisão do produto foi adiada em um ano devido à pandemia e que o lançamento atual ajudará a estabelecer uma base para o crescimento. 

Maior utilidade 

Segundo especialistas, os sensores de medição de glicose são mais úteis para pessoas com diabetes tipo 1, que não podem produzir insulina por conta própria e precisam de dados frequentes sobre seus níveis para saber quantas injeções ou bombas de insulina devem ser administradas. 

É acessível? 

O valor do novo sensor que será comercializado nos Estados Unidos ainda não foi divulgado, porém geralmente é alto, especialmente para quem paga do próprio bolso, com os custos podendo chegar a milhares de dólares por ano. Ainda assim, diversas companhias de seguros privados e o Medicare cobrirão o valor para alguns pacientes. 

Por enquanto, não há previsão da chegada do produto no Brasil. 

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

 

Referências bibliográficas: 

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.