Cardiologia

Estatinas antes de angioplastia previne eventos cardiovasculares?

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Diversos estudos asseguram a eficácia das estatinas na prevenção primária e secundária de doenças cardiovasculares. Como elas atuam nessa prevenção? As estatinas estabilizam as placas de ateroma vulneráveis à ruptura, regulam a síntese de óxido nítrico, reduzem os níveis circulantes de marcadores pró-inflamatórios e a atividade das metaloproteinases. Ou seja, o benefício da estatina pode se estender além do efeito de redução do colesterol de lipoproteína de baixa densidade.

Algum estudo recente assegura benefício em dose de ataque de estatina? Uma pesquisa recente realizada no Brasil (SECURE-PCI Randomized Clinical Trial) incluiu pacientes com síndrome coronariana aguda com supra (STEMI) ou sem supra (NSTEMI) de segmento ST ou com angina instável que não utilizavam estatina em doses máximas. Um grupo recebeu uma dose de ataque de atorvastatina 80 mg antes da intervenção coronariana percutânea e 80 mg 24 horas após o procedimento, enquanto o outro grupo recebeu placebo. Todos pacientes receberam atorvastatina 40 mg durante 30 dias.

Leia mais: Efeitos adversos da utilização das estatinas: realidade e mito

O momento ideal de início da estatina no cenário de síndrome coronariana aguda ainda é incerto. De fato, a dose de ataque de atorvastatina não reduziu significativamente os desfechos primários em 30 dias: infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico e morte. No entanto, no subgrupo submetido à angioplastia, a dose de ataque reduziu em 28% o desfecho primário.

O horário de administração antes do procedimento influenciou no desfecho final? O horário da administração não provocou diferença significativa, mas quanto mais próxima a administração do horário da angioplastia, melhor o desfecho.

As diretrizes recomendam a administração precoce? A administração precoce de estatina antes da angioplastia primária não é recomendada em diretrizes baseadas em evidências, mas os achados do estudo podem orientar a tomada de decisão médica neste cenário.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

  • BERWANGER, O; SANTUCCI, EV; BARROS E SILVA, PGM. Effect of Loading Dose of Atorvastatin Prior to Planned Percutaneous Coronary Intervention on Major Adverse Cardiovascular Events in Acute Coronary Syndrome. JAMA, v. 319, n. 13, p. 1331-1340, 2018
Compartilhar
Publicado por
Maiane Pauletto

Posts recentes

Proposta de nomenclatura universal para insuficiência cardíaca (IC)

As definições da insuficiência cardíaca (IC) são extremamente heterogêneas, isso dificulta definir a doença para…

2 horas atrás

Miopatias em pacientes adultos com hipotireoidismo

Pacientes com hipotireoidismo mais grave ou não tratados têm maior probabilidade de desenvolver doença muscular…

3 horas atrás

Você ainda se lembra das manifestações oftalmológicas da Zika congênita? 

Em artigo publicado em maio de 2021, Ventura at al. relataram as manifestações oftalmológicas da…

4 horas atrás

Covid-19: gestantes e puérperas que tomaram a primeira dose da vacina Astrazeneca

Algumas gestantes apresentaram desfechos desfavoráveis por eventos tromboembólicos após a vacinação com a vacina Astrazeneca/Oxford.

5 horas atrás

Estatinas: FDA solicita a remoção da contra-indicação de seu uso durante a gravidez

A FDA diz que, apesar da mudança, a maioria das pacientes deve interromper as estatinas…

6 horas atrás

Explorando a saúde, a doença e a experiência da doença

Vimos que o MCCP é composto por quatro componentes e hoje veremos o primeiro deles:…

7 horas atrás