Estratégia analgésica no pós-operatório: o que devo considerar?

A relação médico-paciente é de extrema importância para definir a melhor estratégia analgésica pós-operatória.

Este conteúdo foi produzido pela PEBMED, em parceria com Mundipharma de acordo com a Política Editorial e de Publicidade do Portal PEBMED.

A estratégia analgésica relacionada a um procedimento cirúrgico deve integrar todo o período perioperatório, ou seja, englobando as suas três fases (pré-, intra- e pós-operatório). Dessa forma, as necessidades do paciente será contemplada adequadamente.

Dentre as fases do perioperatório, o período pós-operatório, segundo alguns autores, talvez seja o mais desafiador. Várias técnicas e medicações estão disponíveis para o controle da dor após um procedimento cirúrgico e o grande desafio encontra-se na escolha delas.

Fatores que interferem na escolha da analgesia pós-operatória

Idealmente, não se deve padronizar a estratégia analgésica; o mais recomendado é que haja uma individualização para cada paciente. Para isso, deve-se levar em conta alguns fatores importantes para a escolha da analgesia, entre eles: sexo, idade, cognição, estrutura social e comorbidades prévias do paciente; tipo e porte do procedimento cirúrgico (ambulatoriais; pequeno, médio e grande porte); tipo de abordagem a ser realizada (convencional, videolaparoscópica, robótica); tempo cirúrgico; e recursos disponíveis.

Os estudos mostram que alguns fatores relacionados ao paciente estão associados a maior incidência de dor no período pós-operatório, como: idade jovem; sexo feminino; história de depressão, ansiedade e/ou distúrbios do sono; tabagismo; índice de massa corporal elevado; dor no período pré-operatório; e uso prévio de múltiplos fármacos analgésicos.

Além disso, dependendo do tipo de procedimento cirúrgico a ser realizado, a intensidade da dor pós-operatória também pode variar. Alguns procedimentos estão associados à maior queixa álgica, como: amputação, toracotomia, cirurgia de revascularização miocárdica, cirurgias de mama, reparo de hérnia inguinal e cesariana.

estratégia analgésica

Escolha da melhor estratégia analgésica

A relação médico-paciente é de extrema importância para definir a melhor abordagem. É essencial que o paciente tenha expectativas reais do que esperar em relação à dor, o que pode ser facilitado por um esclarecimento apropriado pela equipe médica.

Os analgésicos são componentes-chave do gerenciamento da dor. O uso de uma abordagem multimodal para analgesia pode maximizar a resposta aos medicamentos. Os diversos protocolos de manejo da dor pós-operatória seguem a abordagem através da escala analgésica, em que a escolha das medicações ou técnicas varia de acordo com a intensidade da dor. O protocolo ERAS (Enhanced Recovery After Surgery) é constituído de uma abordagem multimodal baseada em evidências para o atendimento ao paciente, almejando uma recuperação mais rápida, para que haja alta mais precoce do hospital.

Dipirona e paracetamol são analgésicos comuns que podem ser usados como ponto de partida útil para qualquer plano de analgésico. Para estímulo nociceptivo não-complicado, os anti-inflamatórios não-esteroides (AINEs) são também fármacos de primeira linha, a menos que contra-indicados (em casos de: eventos adversos gastrointestinais anteriores, doença renal, história de doença cardiovascular, idade avançada e aumento do risco de sangramento). Embora possa haver alguma reticência de alguns cirurgiões em prescrever esses medicamentos no período pós-operatório imediato, devido à preocupação com o aumento do risco de sangramento, isso não deve ser motivo para suspender os AINEs no momento em que o paciente estiver na fase de reabilitação.

Para dores mais intensas ou como medicação de resgate, os opioides podem ser utilizados, tendo alta eficácia no tratamento da dor. Entretanto, deve-se ter atenção aos vários efeitos colaterais morfina-like que esses fármacos podem apresentar. Dessa forma, a determinação da dose deve basear-se mais na idade do paciente e na presença de comorbidades do que no peso corporal per se. Há diversos tipos de opioides que podem ser considerados, como morfina, oxicodona e a codeína. A oxicodona está ganhando espaço no contexto da analgesia pós-operatória, devido a sua formulação oral, tendo sido associada a menor incidência de náuseas e vômitos em alguns estudos, quando comparada com a morfina intravenosa.

 

Referências bibliográficas:

  • Richebé P, Capdevila X, Rivat C. Persistent postsurgical pain: pathophysiology and preventative pharmacologic considerations. Anesthesiology 2018;129:590-607.
  • Rajput K, Vadivelu N. Acute pain management of chronic pain patients in ambulatory surgery centers. Curr Pain Headache Rep 2021;25:1.
  • MacPherson R, Pattullo G. Management of postsurgical pain in the community. Aust Prescr 2020;43:191-4.
  • Aldamluji N, Burgess A, Pogatzki-Zahn E, et al. Prospect guideline for tonsillectomy: systematic review and procedure-specific postoperative pain management recommendations. Anaesthesia 2021;76:947-61.
  • Roofthooft E, Joshi GP, Rawal N, et al. Prospect guideline for elective Caesarean section: updated systematic review and procedure-specific postoperative pain management recommendations. Anaesthesia 2021;76:665-80.
  • Lemoine A, Witdouck A, Beloeil H, et al. Prospect guidelines update for evidence-based pain management after prostatectomy for cancer. Anesth Crit Care Pain Med 2021;40:100922.
  • Cheung CW, Wong SSC, Q Qiu, et al. Oral oxycodone for acute postoperative pain: a review of clinical trials. Pain Physician 2017;20:SE33-SE52.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão