Estratégias de desmame na cefaleia por uso abusivo de analgésicos

Um estudo demonstrou que 70% de pacientes desmamados de uso abusivo de analgésicos não apresentaram cefaleia após 6 meses de retirada.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

A descontinuação da medicação analgésica em excesso ou uma redução substancial na frequência do seu uso é um componente-chave do tratamento da cefaleia por uso abusivo de analgésicos.  

Em uma metanálise de 17 estudos e 1.101 pacientes, 72% relataram nenhuma cefaleia ou uma redução nos dias de dor de > 50% dentro de um a seis meses após a terapia de retirada.

Leia também: Cinco dilemas sobre antitrombóticos no AVC

Metade da população mundial sofre de cefaleia, aponta estudo norueguês

Estratégia de desmame

A terapia preventiva (profilática) destinada à suspeita de cefaleia primária como pano de fundo (por exemplo, enxaqueca) é um componente importante da estratégia de tratamento.  

Existem várias estratégias de transição que podem ser usadas para ajudar a descontinuar a medicação em excesso e melhorar a cefaleia, segue algumas delas: 

  • Mudar da medicação em uso excessivo para uma terapia sintomática alternativa:

Um desmame rápido pode ser alcançado interrompendo a medicação em uso excessivo enquanto inicia ou otimiza a terapia preventiva e oferece uma medicação sintomática alternativa para ser usada ≤ 2 dias por semana.  

Essa estratégia pode ser apropriada para pacientes em risco de toxicidade da medicação em uso excessivo que não correm risco de retirada com descontinuação abrupta.  

Em uma revisão sistemática de estratégias de tratamento, evidências de baixa qualidade apoiaram a descontinuação precoce dos medicamentos em uso excessivo com o uso de medicamentos sintomáticos e preventivos alternativos. 

  • Continuar a medicação em uso excessivo durante o tratamento inicial

Adicionar uma terapia preventiva eficaz enquanto inicialmente continua a medicação em uso excessivo pode ser apropriado para alguns pacientes incapazes ou não dispostos a interromper a medicação.  

Essa estratégia é usada quando não há preocupações imediatas com toxicidade ou eventos adversos relacionados ao uso excessivo de medicamentos.  

Em um estudo aberto, 726 pacientes foram iniciados com medicação preventiva e randomizados para continuar a medicação em uso excessivo ou mudar para outra classe de medicação sintomática (≤ 2 dias/semana). Nas semanas 9 a 12, a frequência de cefaleia foi menor em ambos os grupos e semelhante para pacientes que continuaram a medicação em excesso versus mudaram para uma medicação diferente. Esses resultados sugerem que a continuação da medicação em uso excessivo durante a transição para uma terapia preventiva eficaz pode ser razoável para alguns pacientes, desde que não haja preocupações imediatas com a toxicidade relacionada à medicação em abuso. 

  • Adicionar medicação temporária adicional (terapia de ponte):

A terapia de ponte consiste em adicionar uma medicação para reduzir a frequência e a gravidade das dores que ocorrem durante o período inicial após a descontinuação da medicação em uso excessivo. É normalmente usado para fornecer alívio sintomático adicional durante a transição inicial para pacientes com dores graves ou frequentes que parecem ter pouca probabilidade de sucesso com um plano de tratamento que consiste na descontinuação da medicação em uso excessivo junto com a terapia sintomática e preventiva.  

A terapia de ponte (transicional) pode ser útil para reduzir os efeitos prejudiciais do uso excessivo de analgésicos, embora existam apenas dados de suporte limitados. Triagem e intervenção para transtornos psiquiátricos podem ajudar a orientar a terapia.

É necessário um regime de tratamento de cefaleia contínuo para terapia aguda e preventiva, uma vez que a maioria dos pacientes continuará a ter dores intermitentes. Um acompanhamento próximo após a descontinuação dos medicamentos em uso excessivo é imperativo para avaliar o progresso e prevenir a recaída.

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades