Neurologia

Estudo analisa relação entre vacinação e doença neurológica desmielinizante

Relatos sugerem que vacinas podem desencadear mielite transversa ou encefalite aguda disseminada, mas as evidências são inconclusivas. Para esclarecer essa questão, pesquisadores analisaram a associação entre imunização e o subsequente desenvolvimento de doença neurológica desmielinizante.

Através de uma base de dados populacional, pesquisadores examinaram quase 10 milhões de pacientes e 64 milhões de doses de vacina, para verificar se existe uma relação entre vacinação e mielite transversa ou encefalite aguda disseminada.

O intervalo de 5 a 28 dias após a vacinação foi considerado como o mais provável para identificar uma doença neurológica desmielinizante associada à vacinação. Os pesquisadores compararam a incidência de eventos neste período com outros ocorrendo entre 43 dias e 9 meses após a vacinação.

Veja também: ‘Como diagnosticar encefalites auto-imunes?’

No total, foram identificados 67 casos de mielite transversa e 47 de encefalite aguda disseminada ocorridos no prazo de 9 meses após a vacinação. O risco para mielite transversa entre os imunizados no intervalo de 5 a 28 dias não foi significativamente maior em comparação com os imunizados durante os 9 meses restantes.

Para doença neurológica desmielinizante, a vacina dTpa (tríplice bacteriana) foi significativamente associada a um risco aumentado, mas muito pequeno (0,385 por milhão de doses), durante o intervalo de 5 a 28 dias, mas não durante um intervalo expandido de 2 a 42 dias.

E mais: ‘Imunoglobulinas no tratamento de doenças neurológicas’

Os achados permitem concluir que não houve associação entre a mielite transversa e a imunização prévia. Foi identificado uma possível associação da encefalite aguda disseminada com a vacina dTpa, mas o excesso de risco não foi significativo.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências:

  • Baxter R et al. Acute demyelinating events following vaccines: A case-centered analysis. Clin Infect Dis 2016 Dec 1; 63:1456. (https://dx.doi.org/10.1093/cid/ciw607)
  • https://www.jwatch.org/na42974/2016/12/08/vaccination-and-autoimmune-demyelination-little-if-any
Compartilhar
Publicado por
Vanessa Thees

Posts recentes

Os novos anticoagulantes orais estão sendo mais utilizados que os antagonistas da vitamina K em pacientes com FA?

Os novos anticoagulantes surgiram como uma alternativa e mostraram eficácia e segurança semelhante ou melhor…

12 horas atrás

Whitebook: coombs indireto – o que é e como solicitar?

Essa semana, falamos sobre o coombs indireto em obstetrícia. Em nossa publicação de conteúdos do…

16 horas atrás

Diagnóstico de policitemia vera: conceitos importantes

Policitemia vera é uma síndrome mieloproliferativa caracterizada por aumento da massa eritrocitária. Saiba mais.

1 dia atrás

AAP 2021: avaliação de sepse tardia e terapia empírica em prematuros extremos

O objetivo de um estudo apresentado na AAP 2021 foi definir a frequência da sepse…

1 dia atrás

Podcast da Pebmed: dissecção da artéria vertebral. Como diagnosticar e tratar? [podcast]

No episódio de hoje, Henrique Cal, vai discutir sobre causas que podem levar à dissecção…

1 dia atrás

Destaque das diretrizes no manejo do tabagismo

O tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo. Atualmente são cerca de…

1 dia atrás