Urologia

Estudo identifica excesso na prescrição de antibióticos por urologistas

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A diretriz da Sociedade Americana de Urologia prevê a prescrição de antimicrobianos por 24 horas ou menos tempo após o paciente passar por procedimentos urológicos. Manter a profilaxia terapêutica por um período maior pode causar maiores riscos de eventos adversos do que vantagens para o indivíduo.

Antibioticoterapia na urologia

Para verificar se os urologistas seguem à risca a recomendação da entidade americana, pesquisadores dos Estados Unidos realizaram um estudo multicêntrico e de coorte no qual analisaram 29.530 registros, prescrições e informações administrativas do banco de dados de cinco centros médicos do país. Os dados foram coletados entre 2016 e 2017 e os resultados foram publicados em janeiro no periódico Jama Network.

Leia mais: Saiba quais são os antimicrobianos mais prescritos incorretamente

Após a análise, foram identificados 375 pacientes (idade média 64,2 anos) que foram submetidos a 1-3 procedimentos urológicos como ressecção transuretral para retirada do tumor na bexiga, ressecção transuretral da próstata, ureteroscopia, entre outros.

Resultados

Após revisão manual dos registros médicos e análise das prescrições de antibióticos, seja na fase periprocedural quanto na pós-procedural, os pesquisadores identificaram a discordância com o guideline da  Sociedade Americana de Urologia em 217 atendimentos (57,9%). Houve administração de antimicrobianos por mais de 24 horas em 211 pacientes (56,3%) e os médicos contrariaram as diretrizes vigentes em 177 casos (83,9%), com duração média de três a cinco dias de antibioticoterapia desnecessária.

Administrar antibióticos desnecessariamente pode contribuir para o aumento da resistência das bactérias e tornar o tratamento menos eficaz e, por consequência, elevar a probabilidade de prescrição de doses maiores para que o fármaco tenha o efeito desejado.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

Referências:

  • Khaw C et al. Assessment of guideline discordance with antimicrobial prophylaxis best practices for common urologic procedures. JAMA Netw Open 2018 Dec 21; 1:e186248. (https://doi.org/10.1001/jamanetworkopen.2018.6248)
  • Llor  C, Bjerrum  L.  Antimicrobial resistance: risk associated with antibiotic overuse and initiatives to reduce the problem.  Ther Adv Drug Saf. 2014;5(6):229-241. doi:10.1177/2042098614554919
Compartilhar
Publicado por
Roberto Caligari

Posts recentes

Anvisa: Aprovadas duas novas opções de tratamento de bebês e crianças com HIV

Foi aprovado pela Anvisa o uso de duas novas opções de tratamento para crianças e…

39 minutos atrás

Mediastinite fibrosante: o que precisamos saber

A mediastinite fibrosante (MF) é uma doença rara, caracterizada pela proliferação de fibrose localmente invasiva…

15 horas atrás

Check-up Semanal: oseltamivir na prática clínica, infecção urinária na gestação e mais!

No check-up semanal de hoje, confira: oseltamivir na prática clínica, infecção urinária na gestação e…

16 horas atrás

Como aplicar uma evidência na prática: decisão médica compartilhada

A nova edição da Revista PEBMED abordará Medicina Baseada em Evidências. Aqui, comentamos sobre o uso…

17 horas atrás

Critérios para insuficiência hepática aguda pediátrica: Orientações baseadas a partir do painel PODIUM 

A insuficiência hepática aguda é uma síndrome complexa, grave e rara em crianças e apresenta…

19 horas atrás

Existe algum grupo de maior risco entre os pacientes com score de cálcio 0 na tomografia de coronárias?

O score de cálcio 0 é associado com baixo risco de eventos cardiovasculares e pode…

20 horas atrás