Oncologia

Exame genético reduz em 70% as sessões de quimioterapia para câncer de mama

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Um estudo científico brasileiro inédito foi premiado no XXII Congresso Brasileiro de Mastologia, realizado entre os dias 10 e 13 de abril, no Rio de Janeiro. Nele, ficou comprovado que o exame genético Oncotype DX é capaz de detalhar o risco de agressividade do câncer mamário, possibilitando uma previsão sobre a resposta do tumor aos tratamentos disponíveis e, consequentemente, a decisão terapêutica mais adequada para cada caso.

Como funciona esse exame?

O exame analisa os tipos de cânceres de mama ao avaliar a expressão de um conjunto de genes associados a esses tumores. O teste é realizado no tecido tumoral da mama através de técnicas de biologia molecular e análises de expressão gênica por meio de algoritmo matemático que revelam as características do tumor.

Com isso, é possível verificar um enorme avanço nos campos de prognóstico, monitoramento e escolha do tratamento. E, com essa nova tendência de medicina personalizada é possível gerar um resultado que auxilia a guiar, de forma individual, a decisão terapêutica.

Exame genético Oncotype DX

O exame genético Oncotype DX foi utilizado no estudo internacional TAILORx (Trial Assigning IndividuaLized Options for Treatment). Esse teste foi conduzido pelo Instituto Nacional do Câncer norte-americano com mais de 10 mil mulheres dos Estados Unidos, Austrália, Canadá, Irlanda, Nova Zelândia e Peru.

A pesquisa, apresentada em junho de 2018 no Congresso da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO), em Chicago, nos Estados Unidos, apontou que ao menos 70% dos casos diagnosticados com câncer de mama em estágio inicial não precisariam de quimioterapia e poderiam ser tratados com hormonioterapia.

Os resultados contrapõem a recomendação médica padrão de prescrever quimioterapia para todas as mulheres diagnosticadas com tumores com tamanho igual ou superior a um centímetro. Isso ocorre em razão da dificuldade de predizer se os casos de câncer encontrados evoluiriam de forma agressiva ou não.

“A pesquisa comprovou que, na grande maioria dos casos, o resultado do teste diagnóstico possibilita mudanças na indicação do tratamento que trazem uma grande melhoria na qualidade de vida das pacientes pela redução dos efeitos colaterais e das toxicidades decorrentes da quimioterapia”, explica Edgar Rizzatti, diretor executivo Médico e Técnico do Grupo Fleury.

Metodologia e resultados

Cento e onze pacientes do Hospital Pérola Byington, localizado em São Paulo, com câncer de mama em estágio inicial foram indicadas para a realização do teste genômico Oncotype DX em 2018.

O hospital foi responsável pela coleta do material captado dos tumores das pacientes operadas na unidade e o Grupo Fleury conduziu a fase pré-analítica das amostras e o direcionamento para o processamento do exame no Genomic Health, nos Estados Unidos. 

Antes da realização do teste, 109 das 111 pacientes tinham, por critérios clínicos, indicação de quimioterapia. Após a realização do exame, houve redução do número de indicações de quimioterapia em 69,7% das pacientes (76 das 109). Ao invés da quimioterapia, essas mulheres estão sendo tratadas com hormonioterapia e, algumas delas, com radioterapia. 

Ao retirar as pacientes do tratamento com quimioterapia, a iniciativa proporcionou uma economia equivalente a R$ 420 mil ao hospital.  Isso sem levar em conta os custos indiretos decorrentes, como o afastamento das pacientes do mercado de trabalho, os efeitos colaterais e as possíveis sequelas do tratamento. Aliás, não houve efeito colateral, pois o teste é realizado a partir de um fragmento do tumor retirado da paciente.

Teste possibilita mudanças na indicação de tratamento no câncer de mama

Esse estudo inédito comprova que, na grande maioria dos casos, o resultado do teste diagnóstico possibilita mudanças na indicação do tratamento. E essa mudança traz uma grande melhoria na qualidade de vida das pacientes pela redução dos efeitos colaterais e das toxicidades decorrentes da quimioterapia.

“Para a medicina, esse estudo representa um enorme avanço nos campos de prognóstico, monitoramento e escolha do tratamento. Dentro da tendência de medicina personalizada é gerado um resultado que auxilia a guiar, de forma individual, a decisão terapêutica”, afirma Luiz Henrique Gebrim, mastologista e diretor do Hospital Pérola Byington.

O teste genômico Oncotype DX foi desenvolvido pela empresa norte-americana Genomic Health e está sendo oferecido no Brasil com exclusividade no Grupo Fleury pelo preço de R$ 13.500.   

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autora: 

Referências:

Compartilhar
Publicado por
Úrsula Neves

Posts recentes

Confira: Profilaxia de TVP atualizado

O Whitebook teve 97 conteúdos atualizados, entre eles Profilaxia de TVP. Saiba os detalhes da…

7 horas atrás

Interpretação da Troponina. Como avaliar o exame? [vídeo]

No episódio de hoje, confira o bate-papo entre especialistas sobre a indicação da troponina. Quando…

8 horas atrás

Medicina Baseada em Evidências: como avaliar um guideline?

Os guidelines são importantes instrumentos na prática médica e em outras profissões relacionadas aos cuidados…

9 horas atrás

Covid-19: OPAS/OMS alerta sobre o uso racional de testes de diagnóstico

A OPAS/OMS emitiu um alerta epidemiológico sobre o uso e priorização dos testes diagnósticos (antígeno…

9 horas atrás

Atopia: o que é e como os probióticos auxiliam no tratamento

A atopia é marcada pela presença de anticorpos imunoglobulina E específicos para alérgenos séricos ou…

11 horas atrás

Covid-19: o que esperar para o futuro?

Depois de dois anos de pandemia de Covid-19, ainda existem muitas incertezas sobre o que…

12 horas atrás