Página Principal > Medicina Interna > Existem benefícios dos gabapentinóides na dor lombar crônica?
medico segurando um remedio e escrevendo uma prescricao

Existem benefícios dos gabapentinóides na dor lombar crônica?

Tempo de leitura: 3 minutos.

A dor lombar crônica é muito comum, com uma prevalência entre 51% e 80%. Apresenta etiologia multifatorial e, entre as condições crônicas, é a principal causa dos anos vividos com incapacidade.

A maioria dos pacientes com dor lombar crônica é tratado com medicamentos analgésicos de rotina com resultados insatisfatórios, levando a uma exploração frequente de opções de segunda linha, incluindo gabapentinóides.

Pregabalina e gabapentina são gabapentinóides que demonstraram benefícios nas condições de dor neuropática. Apesar de nenhuma razão clara, estes medicamentos são cada vez mais usados para dor lombar crônica inespecífica. Ambos os medicamentos exigem uso prolongado e estão associados a eventos adversos e aumento de custo.

Diretrizes recentes do National Health Service (NHS) da Inglaterra expressaram preocupações com o uso off-label, além do risco de uso indevido. Neste contexto, uma revisão sistemática da literatura publicada no PLOS Medicine foi realizada com o objetivo de avaliar a eficácia e a segurança dos gabapentinóides em pacientes com dor lombar crônica.

Veja também: ‘Deve-se fazer exames de imagem para lombalgia?’

MEDLINE, EMBASE e Cochrane foram as bases de dados utilizadas para a busca até dezembro de 2016. Foram incluídos ensaios clínicos randomizados que relataram o uso de gabapentinóides para o tratamento de pacientes adultos (> 18 anos de idade) com dor lombar crônica com mais de 3 meses de duração.

No total, oito estudos foram incluídos na revisão, três compararam o uso de gabapentina versus placebo e cinco avaliaram a pregabalina. Com exceção de um estudo, a média de idade variou entre 41,6 e 58,5 anos.

Enquanto o gabapentina apresentou melhora mínima da dor em comparação ao placebo, o alívio da dor com pregabalina foi inferior ao grupo analgésico ativo. Gabapentina e pregabalina foram associadas com maior risco de tontura em comparação ao placebo ou comparador ativo, respectivamente. Gabapentina foi adicionalmente associada ao aumento do risco de fadiga e distúrbios visuais em comparação ao placebo. Não houve mortes ou hospitalizações relatadas.

A evidência existente sobre o uso de gabapentinóides na dor lombar crônica é limitada e demonstra um risco significativo de eventos adversos sem qualquer benefício demonstrado. Devido à falta de eficácia, riscos e custos associados, recomenda-se que o uso de gabapentinóides para dor lombar crônica deve ser feito com muita cautela.

E mais: ‘Lombalgia ligada ao trabalho: um problema de saúde pública’

Autora:

Revisado por:

Referências:

  • Shanthanna H, Gilron I, Rajarathinam M, AlAmri R, Kamath S, Thabane L, et al. (2017) Benefits and safety of gabapentinoids in chronic low back pain: A systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. PLoS Med 14(8): e1002369. https://doi.org/10.1371/journal.pmed.1002369

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.