Exsudato amigdaliano = faringite bacteriana. Verdade ou mito?

“Ainda é ilegal fazer autópsia em uma pessoa viva?”
Dr. House

A dúvida diagnóstica faz parte do dia-a-dia do médico. Decisões difíceis como “tratar antes de confirmar o diagnótico”, sobrepôr-se à ansiedade do paciente e de seus familiares (e, ainda, de sí próprio) é uma virtude desenvolvida ao longo de anos na profissão.
Nesse aspecto, uma queixa ambulatorial muito frequente na prática clínica é motivo de muitas dúvidas: a faringite (“dor-de-garganta”). Sabe-se que a epidemiologia da faringite é de predomínio viral (Rhinovirus, Coronavirus, Adenovirus), com menor proporção de Bactérias (principalmente Streptococcus).

Já não é mais rotineiro (e nem aconselhável) o raciocínio imediato de que amigdalite purulenta seja representativo de infecção bacteriana; da mesma maneira, o estado geral do paciente (grau de sintomas) não deve ser a única orientação para que o médico baseie sua prescrição.

Na verdade, hoje se recomenda que toda avaliação de um paciente (na maioria das vezes, criança, mas também aplicável a adultos) com faringoamigdalite se inicie pela identificação de “preditores clínicos” para Faringite Estreptocócica. São eles:

  • Adenopatia dolorosa;
  • Petéquias no palato;
  • Ausência de sintomas gripais;
  • Exsudato amigdaliano;
  • Vômitos.

No caso de uma suspeita clínica, recomenda-se aplicação do escore de probabilidade (cada fator presente acresce 1 ponto):

  • Idade (5-15 anos);
  • Estação do ano (inverno ou próximo dele);
  • Sinais de faringite aguda (edema, eritema, exsudato);
  • Adenomegalia cervical anterior dolorosa (>1 cm);
  • Febre > 38 graus;
  • Ausência de sintomas sugestivos de infecção de vias aéreas superiores

Nota: Observer que o “mito” da exsudação representa apenas um dos critérios para somente 1 ponto no escore.

O diagnóstico da faringoamigdalite estreptocócica deve ter confirmação microbiológica: Aplicar em pacientes de 5-15 anos com faringite de provável etiologia bacteriana, sem sintomas sugestivos de infecção viral; ou crianças com história de contato / áreas de alta prevalência:

– Swab com cultura de orofaringe (escolha);
– Teste rápido de detecção de antígeno (fazer se o escore foi maior ou igual a 5 ou se a cultura demorar mais de 48 horas) – útil nos cenários de consultório/emergência.

Nota: as sorologias (ASO, Anti-DNAse B, hialuronidase, estreptoquinase), embora úteis para confirmação (e, talvez, o exame que todas as pessoas se recordam de solicitar), geralmente se tornam positivas após 2-3 semanas do início da infecção e, portanto, não são recomendadas para o diagnóstico da infecção aguda.

Esperamos que estas informações auxiliem no seu raciocínio diagnóstico e, principalmente, oriente a prescrição (ou, na maioria dos casos, não prescrição) de antimicrobianos.

Aproveitamos para sugerir que você conheça o maior e melhor guia de Diagnósticos Diferenciais, o novo lançamento da PEBmed em 2015: Dr. Diagnóstico !

iOS: https://itunes.apple.com/br/app/id788585899
Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.drdx


Bibliografia:

  • Michael E Pichichero, MD. Treatment and prevention of streptococcal tonsillopharyngitis. UpToDate, 2015.
  • Ellen R Wald, MD. Approach to diagnosis of acute infectious pharyngitis in children and adolescents. UpToDate, 2015.
Compartilhar
Publicado por
Pedro Gemal

Posts recentes

Uso da inteligência artificial para otimização do tratamento da sepse

Estudo avaliou modelo computacional no campo da Inteligência Artificial, capaz de sugerir tratamentos otimizados para…

6 horas atrás

Check-up Semanal: semana da sepse, dieta vegetariana em crianças e mais! [podcast]

Check-up Semanal: confira as últimas notícias sobre semana da sepse, dieta vegetariana em crianças, apendicite…

7 horas atrás

Anestesia e síndrome carcinoide: o que precisamos saber?

A síndrome carcinoide pode surgir quando os peptídeos vasoativos secretados pelas células tumorais entram na…

8 horas atrás

Anvisa aprova uso de baricitinibe em pacientes hospitalizados com covid-19

A Anvisa aprovou uma nova indicação para o baricitinibe: o tratamento de adultos hospitalizados com…

9 horas atrás

Qual é a melhor combinação no tratamento conservador de lesões do manguito rotador?

Um estudo analisou o melhor regime de supervisão dos exercícios e o benefício das infiltrações…

10 horas atrás

AVC: como obter certificação online para aplicação da NIHSS

Foi criada uma escala para quantificar a magnitude e gravidade do AVC, a NIHSS, sendo…

11 horas atrás