Imunologia

FDA aprova antirretroviral injetável de longa duração

Tempo de leitura: 2 min.

A agência americana U.S. Food and Drug Administration (FDA) aprovou o primeiro tratamento para HIV constituído completamente por medicação antirretroviral injetável de longa duração.

Leia também: Uso de IGRA no diagnóstico de tuberculose em crianças HIV positivas

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Como funciona

O medicamento com o nome comercial de Cabenuva é uma coformulação de cabotegravir — um inibidor de integrase — e rilpivirina — um inibidor de transcriptase reversa não análogo de nucleosídeo — que pode ser administrada na forma de injeção intramuscular mensal. Antes de iniciar a administração das injeções mensais, o paciente deve tomar diariamente as formulações orais de cabotegravir e de rilpivirina por um mês para comprovar boa tolerância às drogas e monitorar eventos adversos.

A aprovação se deu baseada nos resultados de dois ensaios clínicos abertos que incluíram 1.182 pacientes HIV positivos com carga viral indetectável antes do início da medicação. Ao fim de ambos os estudos, os participantes mantiveram supressão viral e não houve mudanças nos níveis de linfócitos T-CD4.

Vantagens

A principal vantagem do novo esquema aprovado é a comodidade posológica, retirando a necessidade de ingestão diária de comprimidos, o que é uma barreira frequente para adesão. Os eventos adversos mais comumente reportados foram reações locais, febre, fadiga, cefaleia, mialgia, náuseas, distúrbios do sono, vertigem e rash cutâneo. Nos estudos que avaliaram a não inferioridade do esquema a frequência desses eventos adversos diminuiu ao longo do tratamento.

Saiba mais: Terapia antirretroviral para HIV: Usar duas drogas é mais eficaz que a terapia tripla?

Até o momento, o uso de Cabenuva está aprovado somente para pacientes com carga viral indetectável com o mesmo esquema antirretroviral nos últimos 6 meses sem história de falha terapêutica e sem história conhecida ou suspeita de mutações de resistência ao cabotegravir ou rilpivirina. Entretanto, resultados de outros estudos como o HPTN 083, que mostrou bons resultados da coformulação como droga de PrEP, podem levar à ampliação das indicações do novo esquema.

Autor(a):

Referências bibliográficas

  • FDA Approves First Extended-Release, Injectable Drug Regimen for Adults Living with HIV. Disponível em: https://www.fda.gov/news-events/press-announcements/fda-approves-first-extended-release-injectable-drug-regimen-adults-living-hiv
  • Swindells, S, Andrade-Villanueva, JF, Richmond, GJ, Rizzardini, G, Baumgarten, A, Masiá, M, Latiff, G, Pokrovsky, V, Bredeek, F, Smith, G, Cahn, P, Kim, YS. Long-Acting Cabotegravir and Rilpivirine for Maintenance of HIV-1 Supression. N Engl J Med. 2020; 382:1112-1123. doi: 1056/NEJMoa1904398
  • Orkin, C, Arasteh, K, Hérnandez-Mora, MG, Pokrovsky, V, Overton, ET, Girard, PM, Oka, S, Walmsley, S, Bettachi, C, Brinson, C, Philibert, P, Lombaard, J. Long-Acting Cabotegravir and Rilpivirine after Oral Induction for HIV-1 Infection. N Engl J Med. 2020; 382:1124-1135. doi: 1056/NEJMoa1909512
Compartilhar
Publicado por
Isabel Cristina Melo Mendes
Tags: hiv

Posts recentes

Meu paciente séptico é cardiopata ou renal. Devo expandir a volemia?

A ressuscitação volêmica inicial efetiva é crucial para estabilização da hipoperfusão induzida pela sepse ou…

49 minutos atrás

Anvisa determina a suspensão da importação do medicamento etesevimabe + banlanivimabe

A Anvisa suspendeu a importação da combinação de anticorpos etesevimabe e banlanivimabe, fabricada pela empresa Eli Lilly.…

2 horas atrás

Crianças acima de 6 anos que vivem com HIV têm nova opção de tratamento

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária ampliou a recomendação do uso do Tivicay (Dolutegravir 50…

3 horas atrás

O gasto energético total não varia dos 20 aos 63 anos

Estudo publicado em agosto buscou avaliar a variação no gasto energético total ao longo da…

6 horas atrás

Síndrome da Gaiola

A pandemia têm levado jovens a não querer sair de casa, preferindo o isolamento, desenvolvendo…

7 horas atrás

Adolescentes meninos procuram três vezes menos atendimento médico que as meninas

Assim como os homens adultos, os adolescentes meninos vão menos ao médico. Os dados foram…

8 horas atrás