Página Principal > Reumatologia > Fibromialgia: maconha medicinal se mostrou eficaz no controle da dor
Maconha na fibromialgia

Fibromialgia: maconha medicinal se mostrou eficaz no controle da dor

Tempo de leitura: 2 minutos.

A fibromialgia é uma síndrome que acomete cerca de 2 a 4% da população com idade entre 18 e 65 anos em todo o mundo. O paciente sente dores por todo o corpo e pode apresentar outros sintomas, como fadiga, insônia, ansiedade, dificuldade de concentração e cefaleia. Por se tratar de uma enfermidade crônica, o tratamento age em torno do controle dos episódios de dor. Para isso, vários recursos são utilizados para atenuar a sensação dolorosa, como terapia farmacológica, exercícios físicos, acupuntura e até a prática de tai chi chuan.

Maconha medicinal x fibromialgia

Pesquisadores israelenses associaram o uso da cannabis medicinal com redução nas dores corporais e em maiores intervalos em que estas se apresentam. A análise foi realizada com dados provenientes de dois centros médicos de Israel especializados no tratamento da fibromialgia. O levantamento foi realizado em 2017 e os resultados foram publicados em agosto de 2018 na edição online do Journal of Clinical Rheumatology.

Leia mais: Leite de mães usuárias de maconha pode conter componentes da droga

A pesquisa contou com 26 pacientes, com idade média de 37,8 anos, diagnosticados com fibromialgia há pelo menos 2 a 4 anos na base. Destes, 73% eram mulheres (n=19). Após consentirem com o estudo retrospectivo, os indivíduos responderam a questionários sobre a doença antes e depois do tratamento com maconha medicinal, que durou por volta de 10 a 11 meses. Cada paciente consumiu uma dose média de 8.3 g por mês.

Resultados

Ao final da pesquisa, 100% dos pacientes relataram melhora nos sintomas da fibromialgia em todos os quesitos que constavam no questionário, principalmente no que se referia à dor. Pelo menos 50% dos participantes (n=13) reportaram ter parado de tomar a medicação tradicional após o consumo da cannabis. Em relação aos efeitos adversos, 30% dos pacientes (n=8) sentiram leves efeitos colaterais como dores de cabeça, náuseas, boca seca, sonolência e fome excessiva.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • HABIB, George, et al. Medical Cannabis for the Treatment of Fibromyalgia. JCR: Journal of Clinical Rheumatology: August 2018 – Volume 24 – Issue 5 – p 255–258. doi: 10.1097/RHU.0000000000000702

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.