Hidroanecefalia x hidrocefalia máxima: você sabe a diferença?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

A diferenciação entre hidroanecefalia e hidrocefalia máxima é crucial para a definição do prognóstico neonatal e ao mesmo tempo, se torna um desafio diagnóstico na prática médica, pois elas apresentam espectros distintos de prognóstico, e não apresentam clara diferenciação na literatura. Os principais parâmetros utilizados hoje em dia são: evolução clínica, resultado do Eletroencefalograma (EEG) e avaliação pela Tomografia Computadorizada (TC).

Leia também: Hipertensão intracraniana: como predizer e quando indicar tratamento?

Hidroanecefalia x hidrocefalia máxima você sabe a diferença

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Os artigos que melhor discutem o assunto definem os seguintes aspectos:

Hidroanecefalia

  • Clínico: não apresentaram melhora evolutiva (clínica e radiológica);
  • Tomográfico: parênquima cerebral occipital mínimo, conectado por uma fina ponte de tecido aos gânglios basais intactos;
  • EEG: ausência de atividade cortical no EEG (O traçado EEG tipicamente mostrou um padrão plano na maioria das derivações bipolares).

Hidrocefalia máxima

  • Clínico: apesar de ser necessário shunt, tiveram boa evolução clínica, com desenvolvimento neurológico normal ou próximo do normal;
  • Tomográfico: presença de manto cerebral frontal mínimo. Após derivação, passou a apresentar substância cerebral considerável;
  • EEG: presença de atividade elétrica (não demonstrou um padrão plano na derivação bipolar e referencial, e as atividades foram diferentes de vários eletrodos na derivação referencial).

O potencial evocado visual da hidrocefalia máxima mostrou um padrão normal, enquanto o da hidroanencefalia não mostrou resposta. Exames eletrofisiológicos (como EEG e potencial evocado visual) são úteis para a diferenciação de hidranencefalia e hidrocefalia máxima em casos cujos exames tomográficos não fornecem diferenciação clara.

Acredita-se então que o padrão de cérebro em topografia occipital mínima e atividade ausente do EEG define a verdadeira hidranencefalia, enquanto a presença de pequenas quantidades de tecido cerebral em topografia frontal associada à atividade do EEG parece representar hidrocefalia máxima.

Saiba mais: Veja o que você precisa saber sobre cordomas de base de crânio

As diferenças no padrão de TC, EEG e evolução clínica sugerem uma fisiopatologia diferente para essas duas condições, que ainda não é bem definida na literatura.

O tratamento proposto para ambos os diagnósticos diante de aumento do perímetro cefálico e sinais de hipertensão intracraniana é o shunt liquórico, geralmente sendo a derivação ventrículo peritoneal a primeira escolha. Existem outras opções terapêuticas como coagulação de plexo coroide, porém a sua eficácia gira em torno de 70%, em uma média de 32 meses.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Sutton LN, Bruce DA, Schut L. Hydranencephaly versus maximal hydrocephalus: an important clinical distinction. 1980 Jan;6(1):34-8.
  • Iinuma K, Handa I, Kojima A, Hayamizu S, Karahashi M. Hydranencephaly and maximal hydrocephalus: usefulness of electrophysiological studies for their differentiation. J Child Neurol. 1989 Apr;4(2):114-7. doi: 1177/088307388900400207
  • Pedrosa HAR, Lemos SP, Vieira C, Amaral LC, Malheiros JA, Oliveira MM, Gomez RS, Giannetti AV. Choroid plexus cauterization on treatment of hydranencephaly and maximal hydrocephalus. Childs Nerv Syst. 2017 Sep;33(9):1509-1516. doi: 1007/s00381-017-3470-6.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar