Impacto do L. acidophilus NCFM® na saúde digestiva

Conheça o L. acidophilus NCFM®, um dos probióticos mais estudados para a restauração do equilíbrio da microbiota intestinal.

Este conteúdo foi produzido pela PEBMED em parceria com Eno probiótico de acordo com a Política Editorial e de Publicidade do Portal PEBMED.

O microbioma intestinal é um ecossistema complexo composto por cerca de 100 trilhões de microrganismos, incluindo bactérias, vírus, fagos, fungos, eucariotos e arqueias.1 A sua composição é moldada desde o nascimento, sendo afetada por inúmeros fatores, como dieta, ambiente, idade e uso de medicamentos.1 Portanto, acredita-se que o microbioma intestinal de cada indivíduo seja único, semelhante a uma impressão digital.2 Ele desempenha uma função central na saúde humana, com papel importante na manutenção da integridade do epitélio intestinal, na digestão, no metabolismo, na interação com o sistema nervoso central e na síntese de substâncias benéficas, incluindo vitaminas. O microbioma também ajuda a combater infecções e inflamações interagindo e modulando nosso sistema imunológico.1

Muitas doenças estão ligadas a desequilíbrios da microbiota, genericamente denominados de disbiose. A disbiose se caracteriza pela diminuição da diversidade microbiana, a presença de microrganismos potencialmente patogênicos ou a ausência de microrganismos benéficos.3 Em um estado de disbiose, a restauração do microbioma para um estado saudável pré-disbiose pode ser feita por meio da remoção do fator desencadeante (por exemplo, antibiótico) ou de abordagens terapêuticas específicas, como suplementação pré e probiótica.1 Probióticos são definidos como ”microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem um benefício à saúde do hospedeiro”.4 Dentre os probióticos, o Lactobacillus acidophilus NCFM® é um dos mais estudados.5,6

O Lactobacillus acidophilus foi inicialmente isolado das fezes de bebês em 1900 e desde então uma série de características biológicas e funções têm sido descritas.5 L. acidophilus, dentro do gênero Lactobacillus, da família Lactobacillaceae, é um bacilo gram-positivo que não forma esporos.7 Estudos demonstraram que o L. acidophilus apresenta diversas características probióticas positivas, como tolerância a pH baixo, resistência à bile, adesão a células do cólon humano em cultura de células, produção de antibióticos, atividade de lactase e estabilidade.5,6 Além disso, foi demonstrado que a suplementação de L. acidophilus potencialmente reduz o colesterol sérico do hospedeiro, melhora o metabolismo da lactose e melhora/previne diarreia associada a antibióticos.5,6

Restaurando o equilíbrio intestinal com L. acidophilus NCFM®

L. acidophilus participa ativamente da saúde do trato gastrointestinal por meio da produção de metabólitos e regulação da microbiota intestinal. O ácido lático fruto do metabolismo de L. acidophilus pode reduzir o pH, inibindo assim o crescimento e a reprodução de bactérias patogênicas. A competição por sítios de adesão inibe a função de bactérias patogênicas, interferindo assim na invasão de células humanas.5 Estudos demonstraram antagonismo do L. acidophilus NCFM® contra agentes de doenças transmitidas por alimentos, como Staphylococcus aureus, Salmonella typhimurium, Escherichia coli enteropatogênica e Clostridium perfringens.6 Soma-se ainda o fato do Lactobacillus acidophilus NCFM® produzir uma bacteriocina, designada lactacina B, capaz de inibir o crescimento de Enterococcus faecalis in vitro.6 Estudos de Simenhoff e colaboradores revelaram ainda que o L. acidophilus NCFM® pode inibir o supercrescimento bacteriano, reduzir os níveis de metabólitos tóxicos carcinogênicos como dimetilamina e nitrosodimetilamina no sangue e afetar positivamente a colonização intestinal, melhorando assim o estado nutricional dos pacientes.8 Chandhni et al. também mostraram que as proteínas de superfície do L. acidophilus NCFM® podem reduzir danos histopatológicos em um modelo de colite em camundongos, sugerindo que elas têm propriedades imunomoduladoras.9 Entre os pacientes expostos a antibióticos, o L. acidophilus NCFM® combinado com outros probióticos reduziu a incidência de diarreia de 24,6% para 12,5%.10 Por fim, vários estudos também mostraram que o L. acidophilus NCFM® pode melhorar a digestão da lactose e aliviar os sintomas da intolerância à lactose, como inchaço e diarreia.6

Mensagens para casa

O Lactobacillus acidophilus NCFM® é um dos probióticos mais estudados no mundo e exibe grande potencial na manutenção e restauração do equilíbrio intestinal por mecanismos diversos e bem caracterizados. Destaca-se sua capacidade de adesão ao epitélio intestinal, resistência a alterações de pH e efeitos da bile e potencial inibição de microrganismos patogênicos. É importante salientar, no entanto, que quando falamos em probióticos, os efeitos devem ser sempre avaliados a nível de cepa e nunca de maneira geral.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe o Whitebook Tenha o melhor suporte
na sua tomada de decisão.
Referências bibliográficas: Ícone de seta para baixo
  • 1. Bidell MR, Hobbs ALV, Lodise TP. Gut microbiome health and dysbiosis: a clinical primer. Pharmacotherapy. 2022;42(11):849-857.
  • 2. Lee JY, Tsolis RM, Bäumler AJ. The microbiome and gut homeostasis. Science. 2022;377(6601):eabp9960.
  • 3. Buford TW. (Dis)Trust your gut: the gut microbiome in age-related inflammation, health, and disease. Microbiome. 2017;5(1):80.
  • 4. Food and Agricultural Organization of the United Nations and World Health Organization. Health and nutritional properties of probiotics in food including powder milk with live lactic acid bacteria. World Health Organization [online], 2001.
  • 5. Gao H, Li X, Chen X, Hai D, Wei C, Zhang L, et al. The functional roles of lactobacillus acidophilus in different physiological and pathological processes. J Microbiol Biotechnol. 2022;32(10):1-8.
  • 6. Sanders ME, Klaenhammer TR. Invited review: the scientific basis of Lactobacillus acidophilus NCFM functionality as a probiotic. J Dairy Sci. 2001;84(2):319-31.
  • 7. Bull M, Plummer S, Marchesi J, Mahenthiralingam E. The life history of Lactobacillus acidophilus as a probiotic: a tale of revisionary taxonomy, misidentification and commercial success. FEMS Microbiol Lett. 2013;349(2):77-87.
  • 8. Simenhoff ML, Dunn SR, Zollner GP, Fitzpatrick ME, Emery SM, Sandine WE, et al. Biomodulation of the toxic and nutritional effects of small bowel bacterial overgrowth in end-stage kidney disease using freeze-dried Lactobacillus acidophilus. Miner Electrolyte Metab. 1996;22(1-3):92-6.
  • 9. Chandhni PR, Pradhan D, Sowmya K, Gupta S, Kadyan S, Choudhary R, et al. Ameliorative effect of surface proteins of probiotic Lactobacilli in colitis mouse models. Front Microbiol. 2021;12:679773.
  • 10. Ouwehand AC, DongLian C, Weijian X, Stewart M, Ni J, Stewart T, et al. Probiotics reduce symptoms of antibiotic use in a hospital setting: a randomized dose response study. Vaccine. 2014;32(4):458-63.