Página Principal > Colunistas > Implante de liberação controlada de anti-inflamatório reduz progressão da retinopatia?
estetoscópio pendurado no pescoço do médico

Implante de liberação controlada de anti-inflamatório reduz progressão da retinopatia?

Como já foi conversado por aqui, a retinopatia diabética é causa importante de cegueira no Brasil e no mundo. Nos últimos 10 anos, as modalidades de tratamento vêm evoluindo bastante e permitindo o controle mais efetivo com melhores resultados visuais finais.

As injeções intra-oculares de antiangiogênicos vêm desempenhando um papel importantíssimo não só na manutenção da visão, como na melhora visual e regressão do estágio da doença, porém têm efeito pouco duradouro, e as repetidas abordagens se tornam frequentemente uma causa de abandono do tratamento pelo paciente.

Já sabemos, por exemplo, que injeções mensais de antiangiogênicos têm resultado final igual ou melhor do que a fotocoagulação retiniana, mas o efeito de longo prazo e definitivo da última a mantém como a principal forma de tratamento indicada pelos especialistas em retina.

Veja também: ‘Retinopatia diabética: principais pontos da nova diretriz’

No último encontro da ASRS – American Society of Retina Specialists, um trabalho mostrou o efeito de implante intraocular de polímero de liberação controlada de anti-inflamatório na não progressão da retinopatia. O estudo mostrou que olhos tratados com implantes de liberação lenta de fluorcinolona têm menor progressão da retinopatia para formas proliferativas, e foi utilizado como grupo controle o olho contralateral, o que anula vieses no estudo advindos de questões sistêmicas específicas de cada paciente.

Ainda não temos disponível para comercialização o implante de fluorcinolona, porém contamos com implante de liberação prolongada e controlada de dexametasona, que analogamente ao medicamento estudado, age na cascata inflamatória, que é cada vez mais entendida como fator fundamental na progressão da retinopatia diabética.

Claro que não podemos esquecer que a retinopatia diabética é decorrente de uma doença sistêmica, e seu controle é fundamental para o sucesso no tratamento da retinopatia, bem como o controle de outras condições que podem coexistir, como anemia, hipertensão arterial sistêmica e dislipidemia.

É médico e também quer ser colunista do Portal PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Autor:

Referências:

  • Long-term Benefit of Sustained-Delivery Fluocinolone Acetonide Vitreous Inserts for Diabetic Macular Edema. Campochiaro, Peter A. et al. Ophthalmology , Volume 118 , Issue 4 , 626 – 635.e2. http://dx.doi.org/10.1016/j.ophtha.2010.12.028

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.