Oncologia

Incremento no risco de câncer de mama após TRH

Tempo de leitura: 2 min.

A menopausa pode ser um período onde a qualidade de vida das mulheres pode sofrer diversas alterações por diversos sintomas, em virtude disso pode-se realizar terapias de reposição hormonal (TRH) para amenizar esses sintomas. Todavia, diversas pacientes apresentam preocupação com a correlação com risco de câncer de mama, as diretrizes mais atuais recomendam o uso por um período máximo de 5 anos.

Leia também: Como a terapia hormonal pode retardar a progressão da aterosclerose?

Diante desse receio apresentado pela maioria das paciente com critérios para TRH, o Reino Unido realizou um estudo para avaliar o risco de câncer de mama associados aos diferentes tipos e duração de TRH. A pesquisa contou com dados de estudos caso controles com diagnóstico primário de câncer de mama entre 1998 e 2018, visando avaliar os riscos de câncer de mama associados a diferentes tipos e durações de terapia de reposição hormonal (TRH).

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Características do estudo

A população do estudo consistiu em 98.611 mulheres entre 50 e 79 anos com diagnóstico primário de câncer de mama entre 1998 e 2018, sendo comparadas com 457.498 mulheres do grupo controle pareadas por idade e hábitos de vida (tabagismo, consumo e álcool, comorbidades, história familiar e outros medicamentos). Em números gerais, 34% (33.703) das mulheres diagnósticas com neoplasia mamaria e 31% (134.391) do grupo controle, haviam usado TRH a menos de um ano do diagnóstico.

Quando avaliado o tipo de TRH e o fato de nunca ter realizado a terapia ou uso recente (< 5 anos) ou a longo prazo (≥5 anos), tanto terapia combinada com estrogênio e progesterona como a exclusiva com estrogênio foram associadas a um incremento no risco de câncer de mama de 79% e 15%, respectivamente. Quanto ao uso de progestágenos isolados, o incremento foi maior para noretisteriona e menor para didroesterona.

Saiba mais: Terapia hormonal pode prevenir cifose em idosas?

Quanto ao uso prévio a longo prazo (≥5 anos) de terapia exclusiva com estrogênio e uso recente (< 5 anos) de TRH combinada, quando comparados os grupos não houve aumento dos riscos. Todavia, usuárias previas de TRH combinada por longo prazo manteve um incremento no risco. Em usuárias recentes exclusivamente estrogênio, seriam esperados entre três (em mulheres mais jovens) e oito (em mulheres mais velhas) casos extras por 10.000 mulheres/ano, e em usuárias de TRH combinada entre nove e 36 casos extras por 10.000 mulheres/ano.

Conclusão

Através desse estudo foi possível evidenciar um possível incremento no risco câncer de mama em associação as TRH, todavia vale ressaltar que irá variar com o tipo e a duração do tratamento.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Vinogradova Y, et al. Use of hormone replacement therapy and risk of breast cancer: nested case-control studies using the QResearch and CPRD databases. BMJ. 2020;371:m3873. doi: 10.1136/bmj.m3873
Compartilhar
Publicado por
Camilla Luna

Posts recentes

CHEST 2021: fibrose pulmonar idiopática – atualizações baseadas em evidências

A fibrose pulmonar idiopática (FPI) é a doença intersticial com maior prevalência no mundo. Em…

17 horas atrás

Os novos anticoagulantes orais estão sendo mais utilizados que os antagonistas da vitamina K em pacientes com FA?

Os novos anticoagulantes surgiram como uma alternativa e mostraram eficácia e segurança semelhante ou melhor…

2 dias atrás

Whitebook: coombs indireto – o que é e como solicitar?

Essa semana, falamos sobre o coombs indireto em obstetrícia. Em nossa publicação de conteúdos do…

2 dias atrás

Diagnóstico de policitemia vera: conceitos importantes

Policitemia vera é uma síndrome mieloproliferativa caracterizada por aumento da massa eritrocitária. Saiba mais.

3 dias atrás

AAP 2021: avaliação de sepse tardia e terapia empírica em prematuros extremos

O objetivo de um estudo apresentado na AAP 2021 foi definir a frequência da sepse…

3 dias atrás

Podcast da Pebmed: dissecção da artéria vertebral. Como diagnosticar e tratar? [podcast]

No episódio de hoje, Henrique Cal, vai discutir sobre causas que podem levar à dissecção…

3 dias atrás