Saúde Pública

Influenza: Ministério da Saúde amplia vacinação para toda a população brasileira

Tempo de leitura: 3 min.

A campanha de vacinação contra a influenza será ampliada para toda a população brasileira acima dos seis meses de idade, segundo anúncio do Ministério da Saúde. A partir de agora, as secretarias de saúde podem decidir a melhor forma de ampliar a imunização em cada município.

“Campanhas de imunização são prioridade do Ministério da Saúde e resolvemos ampliar a vacinação contra a influenza para todos os grupos. O nosso objetivo é reduzir os casos graves de gripe, que também pressionam o nosso sistema de saúde”, afirmou o ministro da pasta, Marcelo Queiroga.

Leia também: Instituto Butantan inicia testes clínicos de vacina tetravalente contra a Influenza

A campanha terminaria nesta sexta-feira (9/7), mas diante da baixa adesão o Ministério da Saúde decidiu estender o prazo até que todas as vacinas acabem. Mas é importante conferir qual vai ser a estratégia adotada por cada estado e município.

Em nota, a pasta reforçou a necessidade da vacinação contra a influenza. Além das campanhas publicitárias, o Ministério tem mantido contato contínuo com os gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS), formadores de opinião e especialistas para a ampla divulgação e mobilização para a vacinação contra a influenza.

Meta de cobertura da vacina

A cobertura vacinal contra a influenza está bem abaixo do esperado pela pasta. Até agora, 34,2 milhões de brasileiros estão imunizados, o que representa apenas 42% dos grupos prioritários. Desde 2017, a meta é imunizar 90% do público-alvo.

Já entre 2008 e 2016 a meta era imunizar 80% dos grupos prioritários e sempre foi cumprida. No ano passado, primeiro ano de pandemia, houve uma grande procura pelo imunizante e a cobertura ficou em 95%.

Orientações aos médicos

Os médicos devem orientar seus pacientes a participarem da campanha de vacinação contra a influenza, assim como a da Covid-19.

Como as duas campanhas de vacinação estão acontecendo ao mesmo tempo no país, a orientação é para que a vacinação contra a Covid-19 continue sendo priorizada.

Assim, a população-alvo da vacinação contra a influenza e que ainda não recebeu doses contra a Covid-19 deve receber antes a vacina para se proteger do novo coronavírus e fazer o agendamento da aplicação da vacina influenza, respeitando o intervalo mínimo de 15 dias entre elas.

Como a vacina da influenza tem uma duração que pode variar entre seis a 12 meses, deve ser administrada todos os anos. Ademais, como os vírus sofrem rápidas mutações, a nova vacina serve para garantir que o organismo fique protegido contra os novos tipos que foram surgindo ao longo do ano.

Saiba mais: Como é a incidência de influenza na gravidez?

No entanto, as medidas de prevenção recomendadas durante a pandemia permanecem as mesmas. Elas são consideradas eficazes contra qualquer vírus de transmissão respiratória, seja da influenza ou do novo coronavírus.

E os médicos também devem continuar orientando seus pacientes a usarem máscaras, lavarem as mãos com frequência e a utilizarem álcool em gel, além de evitarem aglomerações e a manterem o distanciamento social

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor(a):

Referências bibliográficas:

Compartilhar
Publicado por
Úrsula Neves

Posts recentes

Relembrando o que é o hipoparatireoidismo

O hipoparatireoidismo é uma condição relativamente rara, causada na maioria das vezes pelo dano cirúrgico…

2 horas atrás

Pandemia impactou no aumento de peso e controle da glicemia dos portadores de diabetes tipo 2

A pandemia de Covid-19 teve um impacto bastante negativo no aumento de peso e controle…

3 horas atrás

Anemia Falciforme: você pode ser um portador deste traço

A anemia falciforme atinge um grande número de brasileiros, dessa forma, os diretos do portador…

4 horas atrás

Escabiose: orientações para o sucesso do tratamento

É importante o paciente com escabiose seguir algumas orientações para tratar a dermatose. Saiba quais…

19 horas atrás

Outubro rosa: Câncer de vulva: update 2021

As neoplasias de vulva respondem apenas por 4% das neoplasias ginecológicas. Saiba mais.

19 horas atrás

Palpação convencional x ultrassom para procedimentos neuroaxiais

Procedimentos neuroaxiais, como punção lombar diagnóstica, são realizados através da palpação de pontos de referência…

20 horas atrás