Página Principal > Colunistas > Inteligência artificial: algoritmo para detecção de fraturas é aprovado
raio x e um estetoscopio

Inteligência artificial: algoritmo para detecção de fraturas é aprovado

Tempo de leitura: 2 minutos.

A inteligência artificial, que antes parecia apenas um assunto de Hollywood, está se tornando realidade na medicina. Esta semana, a humanidade deu um novo passo nesse sentido: a Food and Drug Administration (FDA) dos EUA aprovou um software de detecção e diagnóstico assistido por computador chamado OsteoDetect para acelerar o diagnóstico de fraturas de punho em adultos.

A aprovação foi baseada em dois estudos retrospectivos com um total de 1.200 casos. No estudo com maior amostragem, a taxa de detecção do software foi comparada com a de três cirurgiões ortopédicos certificados em 1.000 casos. Ambos os estudos demonstraram que o desempenho dos leitores na detecção de fraturas no punho foi melhorado quando auxiliado pelo OsteoDetect, em comparação com o desempenho não assistido de acordo com a prática clínica padrão.

O OsteoDetect, da Imagen, em Nova York, usa um algoritmo de inteligência artificial para detectar fraturas no rádio distal, analisando imagens de raios-x padrão. O software marca a localização da fratura na imagem para auxiliar o leitor na detecção e no diagnóstico.

O interessante é que o programa é projetado para uso em várias configurações, incluindo atenção primária, departamentos de emergência, atendimento de urgência e clínicas especializadas. Mas fiquem calmos! O software depende da revisão adicional por um clínico, ainda não foi projetado para substituir um médico, segundo comunicado da FDA.

Esta é a segunda aprovação da FDA para um dispositivo baseado em inteligência artificial. O primeiro dispositivo, IDx-DR, foi aprovado em abril para uso na detecção de retinopatia diabética em adultos. Foi projetado para uso por
não-especialistas. Enfim, a inteligência artificial chegou e precisamos estar preparados para nos adaptarmos a esta nova realidade.

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autora:

Referências:

Um comentário

  1. Sergio Guilhon

    Há expectativas ou msm já estudos em andamento para detecção de fraturas em vértebras?
    Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.