Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Cirurgia Pediátrica / Intubação endotraqueal em pediatria: qual laringoscópio direto utilizar?
médico realizando intubação endotraqueal em criança

Intubação endotraqueal em pediatria: qual laringoscópio direto utilizar?

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Falamos recentemente sobre o tubo a ser utilizado na intubação endotraqueal em pediatria, mas outra questão é muito importante. A definição correta de qual o tamanho e o formato da lâmina de laringoscópio direto a ser utilizado é extremamente relevante para o sucesso da intubação.

Intubação endotraqueal: laringoscópio direto

O laringoscópio direto é formado por duas estruturas: o cabo e a lâmina.

Cabos

Os cabos estão disponíveis nos tamanhos pediátrico e adulto. Ambos diferem em relação ao diâmetro e ao comprimento, mas a escolha pode ser determinada de acordo com a preferência do médico.

A fonte de luz encontrada nas lâminas de laringoscópio direto pode ser tanto um bulbo incandescente ou um canal de fibra óptica com um bulbo de halogênio ou xenônio no cabo. Cabos de fibra óptica apresentam uma faixa verde.

Lâminas

A lâmina é a parte do laringoscópio que é introduzida na boca. As lâminas de laringoscópio direto são curvas ou retas. Esses dois tipos são recomendados quando não se espera que o procedimento de intubação endotraqueal seja difícil.

As lâminas curvas possuem uma grande flange que facilita o deslocamento da língua, e uma curva, que permite fácil posicionamento na valécula. Já a lâmina reta permite que o levantamento direto da epiglote exponha a abertura glótica, o que pode ser preferível em bebês e crianças com menos de dois anos de idade em que a epiglote é geralmente maior e com ângulo mais agudo. Uma lâmina reta também pode ser preferida em pacientes nos quais há suspeita de lesão na coluna cervical, porque a laringoscopia com lâmina reta pode resultar em menos movimento.

Leia também: Intubação em pediatria: videolaringoscopia versus laringoscopia direta

Todavia, a escolha entre uma lâmina curva ou reta é mais bem feita com base na experiência e preferência do médico. Ambas devem estar disponíveis.

A lâmina de tamanho apropriado para um determinado paciente deve ser grande o suficiente para controlar a língua e alcançar as estruturas glóticas. Marcos anatômicos também ajudam a identificar o tamanho apropriado da lâmina do laringoscópio. De acordo com a literatura, a intubação apresenta mais chances de sucesso na primeira tentativa quando o comprimento da lâmina usada para laringoscopia se encontra a um centímetro da distância entre os incisivos superiores e o ângulo da mandíbula.

Em nosso meio, as lâminas mais usadas em Emergências e Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica são as de Miller (reta) e Macintosh (curva). O tamanho das lâminas de laringoscópio varia de 00 (para o bebê extremamente prematuro) a 4 (para adultos grandes) – Quadro 1.

Quadro 1: Tipos de lâminas e tamanhos sugeridos de laringoscópio direto em pediatria

Lâmina de laringoscópio
Faixa etária Tipo Número
Prematuro com peso < 1kg Miller 00
Prematuro com peso 1 – 2 kg Miller 00 – 0 
Prematuro com peso 2 – 3 kg  Miller 0
Neonato Miller 0
1 – 6 meses Miller 0
6 – 12 meses Miller 1
1 – 2 anos Miller 1 – 2
3 – 4 anos  Miller ou Macintosh 2
5 – 6 anos Miller ou Macintosh 2
7 – 8 anos Miller ou Macintosh 2 – 3 
9 – 10 anos  Miller ou Macintosh 3
11 – 12 anos Miller ou Macintosh 3
>16 anos Miller ou Macintosh 3 – 4 

Fonte: Adaptado de Müller, Trotta e Piva (2015).

Confira a série completa sobre intubação endotraqueal em pediatria:

Autor:

Referências bibliográficas:

  • MÜLLER, H.; TROTTA, E. A.; PIVA, J. P. Acesso à via aérea – Sequência rápida e técnicas especiais de intubação. In: PIVA, J. P.; GARCIA, P. C. R. Medicina Intensiva em Pediatria. Segunda edição. Revinter: Rio de Janeiro, 2015. Capítulo 2. p.13-33
  • NAGLER, J. Emergency endotracheal intubation in children. In: STACK, A. N.; WILEY, J. F. (Eds). Uptodate. 2019. Disponível em: https://www.uptodate.com Acesso em: 29 de dez. 2019
  • DALVI, N. P.; SAYED, N. I. Laryngoscopes. In: BAHETI, D. K.; LAHERI, V. V. (Eds). Understanding Anesthetic Equipment & Procedures: A Practical Approach. Fifth edition. Jaypee: New Delhi, India, 2015. Chapter 12. p.
  • CAVE, D. et al. Airway management. In: NICHOLS, D. G.; SHAFFNER, D. H. (Eds). Roger’s Textbook of Pediatric Intensive Care. Fifth edition. Wolters Kluwer: Philadelphia, 2016. Chapter 24. p.305-328

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.