Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Cirurgia Pediátrica / Intubação endotraqueal pediátrica: quais são os dispositivos de aspiração?

Intubação endotraqueal pediátrica: quais são os dispositivos de aspiração?

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Os dispositivos de aspiração são um dos equipamentos que devem ser checados para a realização de uma intubação endotraqueal com sucesso. Esses dispositivos eliminam partículas ou secreções fluidas ou espessas. Um dispositivo de aspiração é composto por aspirador, circuito e sonda.

Aspiradores de parede ou dispositivos portáteis

Nesses aparelhos, as pressões devem ser limitadas a 80 a 120 mmHg para diminuir o risco de trauma na mucosa das vias aéreas. Ademais, pressões elevadas podem provocar reação vagal ao estimular a hipofaringe.

Leia também: Intubação endotraqueal em pediatria: como fazer a preparação?

Sondas de aspiração

Uma sonda de aspiração é um dispositivo cilíndrico, oco, que é utilizado para se remover os fluidos da via aérea de um paciente. Existem dois tipos: sondas rígidas e sondas flexíveis.

As sondas do tipo Yankauer (“ponta de amígdala”) são rígidas. São formadas por aço inoxidável ou plástico. São mais apropriadas para a sucção de material particulado (por exemplo, secreções espessas e vômitos). Deve-se ter cuidado pelo risco de quebrar dentes.

Sondas de sucção flexíveis (French) podem ser usadas para secreções finas no nariz, boca e hipofaringe, bem como para a aspiração profunda através do tubo endotraqueal. São também usadas em traqueostomias, pois não se pode, nesse caso, usar uma sonda rígida.

cadastro portal

A sonda a ser utilizada deve ser a de menor calibre possível que permita uma aspiração adequada. Quanto menor o calibre da sonda, maior a passagem de ar, o que evita uma queda brusca da capacidade residual funcional, possibilitando o surgimento de atelectasias. Todavia, pode haver necessidade de se usar uma sonda de maior calibre, em caso de presença de secreção mais viscosa.

Veja mais: Intubação endotraqueal em pediatria: qual laringoscópio direto utilizar?

O Quadro 1 contém um resumo do tamanho da sonda de aspiração flexível que deve ser usada de acordo com cada faixa etária.

Quadro 1: Tamanho da sonda de aspiração flexível (French) de acordo com a faixa etária

Faixa etária

Tamanho da sonda de aspiração

Prematuro com peso < 1kg 4 – 5 
Prematuro com peso 1 – 2 kg 4 – 5
Prematuro com peso 2 – 3 kg  5 – 6 
Neonato 6
1 – 6 meses 6
6 – 12 meses 8
1 – 2 anos 8
3 – 4 anos  10
5 – 6 anos 10
7 – 8 anos 10
9 – 10 anos  10
11 – 12 anos 12
>16 anos 14

Fonte: Adaptado de Müller, Trotta e Piva (2015).

Confira a série completa sobre intubação endotraqueal em pediatria:

Autor:

Referências bibliográficas:

  • CAVE, D. et al. Airway management. In: NICHOLS, D. G.; SHAFFNER, D. H. (Eds). Roger’s Textbook of Pediatric Intensive Care. Fifth edition. Wolters Kluwer: Philadelphia, 2016. Chapter 24. p.305-328
  • VILLA FRANCISCO, C.; CARAVACA CABALLERO, A. Tratamiento de la dificultad respiratória. Mantenimiento de la vía aérea y ventilación. In: CARAVACA CABALLERO, A. El ABC de la Resucitación Cardioplulmonar Pediátrica. Madrid: Arán, 2008. Cap.5. p.93-126
  • NAGLER, J. Emergency endotracheal intubation in children. In: STACK, A. N.; WILEY, J. F. (Eds). Uptodate. 2019. Disponível em: https://www.uptodate.com Acesso em: 29 de dez. 2019
  • AAOS. Manejo de la vía aérea. In: POLLACK, A. (Ed). EMT Spanish: Atención Prehospitalaria Basica. Undécima edición. Jones & Bartlett Learning: Burlington, MA, 2019. Cap.10. p.385-452
  • AMATO, A. C. M. Intubação traqueal. In: _________. Procedimentos Médicos – Técnica e Tática. São Paulo: Roca, 2008. Cap.22. p.183-191
  • SOUZA, L. A. Aspiração das vias aéreas. http://www2.ebserh.gov.br/documents/147715/393018/Aspiracao_de_vias_aereas_SEE2013.pdf Acesso em: 29 de dez. 2019
  • MÜLLER, H.; TROTTA, E. A.; PIVA, J. P. Acesso à via aérea – Sequência rápida e técnicas especiais de intubação. In: PIVA, J. P.; GARCIA, P. C. R. Medicina Intensiva Pediátrica. Segunda edição. Revinter: Rio de Janeiro, 2015. Capítulo 2. p.13-33

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.