Infectologia

Ivermectina pode ser usada como tratamento para Covid-19?

Tempo de leitura: 3 min.

Atualização: Este texto foi preparado com o artigo em pré-print em maio de 2020. O estudo acabou não sendo publicado em nenhuma revista por ter sido feito com o mesmo banco de dados utilizado no artigo da hidroxicloroquina que recebeu diversas críticas e foi retirado do ar.

Atualização 2: Em 2021, diversas entidades, sociedades e a própria Anvisa reforçam que não há evidências para o uso da ivermectina na Covid-19. O uso indiscriminado de medicações off-label pode acarretar eventos adversos graves.

Enquanto se buscam terapias eficazes contra Covid-19, novos agentes farmacológicos surgem como potenciais tratamentos. O antiparasitário ivermectina é um dos medicamentos que vêm sendo estudados e que recentemente tem chamado a atenção da comunidade científica.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Ivermectina na Covid-19

O racional para o uso desse anti-helmíntico é que estudos in vitro mostraram capacidade da droga em reduzir a replicação de RNA viral do SARS-CoV-2, ao se ligar a proteínas de transporte celular e impedir a entrada do vírus no núcleo da célula. Da mesma forma, sua ação in vitro em outros vírus de RNA também já havia sido demonstrada. Entretanto, existem poucas evidências em relação à sua atividade in vivo.

Leia também: Covid-19: quais as principais terapias em estudo?

Um estudo internacional, multicêntrico, observacional de caso-controle procurou avaliar a eficácia clínica do uso de ivermectina em pacientes com Covid-19. Dados em relação à sobrevivência e mortalidade de pacientes com Covid-19 confirmado por exame de PCR-RT e que tenham usado ivermectina foram coletados eletronicamente.

Cada caso foi pareado com um controle que não usou ivermectina, de forma a que casos e controles fossem semelhantes em gravidade, idade, sexo, presença de comorbidades e uso de outras medicações. O desfecho principal foi a proporção de pacientes que morreram no grupo de ivermectina em relação ao grupo controle. As taxas de mortalidade de pacientes em ventilação mecânica foram calculadas separadamente.

Resultados

Ao total, foram coletados dados de 704 pacientes que fizeram uso de ivermectina provenientes de 169 hospitais em três continentes (América do Norte, Europa e Ásia) e 704 controles. A dose média de ivermectina utilizada foi de 150 mcg/kg. A taxa de mortalidade foi menor no grupo que recebeu ivermectina (1,4% vs. 8,5%; IC 95% = 0,11 – 0,37; p < 0,0001), o que também foi encontrado no subgrupo de pacientes que necessitou de ventilação mecânica (7,3% vs. 21,3%; p < 0,001).

Veja mais: Remdesivir: estudo mostra recuperação mais rápida em pacientes com Covid-19

Os autores destacam que esses resultados colocam a ivermectina como um agente potencial para o tratamento de Covid-19, inclusive em pacientes em uso de ventilação mecânica. Entretanto, vale ressaltar de que se trata de um estudo observacional e que, como tal, não é adequado para estabelecer relação de causa e efeito.

Mais estudos são necessários para estabelecer o real papel da ivermectina no cenário de infecção pelo SARS-CoV-2.

[Atualização] Novas considerações

Os resultados desse estudo pré-print observacional de abril de 2020 não foram até o momento comprovados e o estudo nunca foi publicado em revista indexada.

Outros trabalhos mais recentes e com metodologias mais robustas não demonstraram benefício com o uso de ivermectina. Um exemplo é um ensaio clínico duplo-cego randomizado publicado na JAMA que avaliou a eficácia de um curso de tratamento com ivermectina em pacientes com Covid-19 confirmado laboratorialmente e sintomas leves.

Os participantes foram randomizados para receber ivermectina por cinco dias ou placebo nos primeiros sete dias de sintomas. Os resultados não demostraram diferença entre os grupos em relação a tempo para resolução completa de sintomas, na proporção de voluntários com deterioração clínica e nem na chance de melhora clínica, avaliada por meio de escala ordinal com oito categorias recomendada pela OMS.

Reforça-se que, até o momento, não há indicação do uso de ivermectina para o tratamento e nem profilaxia em casos de Covid-19. O uso indiscriminado de medicações não recomendadas pode acarretar eventos adversos potencialmente graves.

Autora:

Referências bibliográficas:

  • Patel, Amit, Usefulness of Ivermectin in COVID-19 Illness (April 19, 2020). SSRN. Disponível em: https://ssrn.com/abstract=3580524
  • López-Medina, E, López, P, Hurtado, IC, Dávalos, DM, Ramirez, O, Martínez, E, Díazgranados, JÁ, Oñate, JM, Chavarriagia, H, Herrera, S, Parra, B, Libreros, G, Jaramillo, R, Avendaño, AC, Toro, DF, Torres, M, Lesmes, MC, Rios, CA, Caicedo, L. Effect of Ivermectin on Time to Resolution of Symptoms Among Adults With Mild COVID-19: A Randomized Clinical Trial. JAMA março 2021 DOI: 10.1001/jama.2021.3071
Compartilhar
Publicado por
Isabel Cristina Melo Mendes

Posts recentes

Efeito das lentes de contato rígidas gás permeáveis no Ceratocone

O uso de lentes de contato é uma das medidas muito utilizadas na reabilitação visual…

1 dia atrás

Whitebook: Intoxicação por cloroquina no ECG

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook vamos falar um pouco sobre a…

1 dia atrás

O paciente como um todo: entendendo o indivíduo, a família e o contexto

A experiência que cada paciente tem é única e esse entendimento, pelo médico, é fundamental…

2 dias atrás

As aplicabilidades da escala de coma de Glasgow [podcast]

No episódio de hoje, Felipe Nobrega comenta sobre o uso da escala de coma de…

2 dias atrás

Tempo mínimo de tratamento para a pneumonia adquirida na comunidade: o estudo PCT

A duração difundida do tratamento antimicrobiano para pneumonia adquirida na comunidade, de 5 a 10…

2 dias atrás

Modelo de predição de parto prematuro para mulheres em trabalho de parto prematuro

O paradigma envolvendo o parto prematuro é a dificuldade de diagnóstico, uma vez que seus…

2 dias atrás