Saúde Mental

Janeiro Branco: como promover dentro da enfermagem?

Tempo de leitura: 3 min.

Um novo ano se inicia e com ele novas esperanças, possibilidades e sonhos. É o momento em que somos incentivados a pensar no passado e repensar o futuro, fazendo lista de intenções para o ano que chegou. Em 2020 muitas coisas aconteceram, mudando a vida de todos nós. Foram modificações em todos os níveis, seja no aspecto relacional, profissional ou afetivo. A pandemia modificou toda a nossa vida e muitos de nós fizeram diversas reflexões sobre o seu bem estar emocional. No entanto, há aqueles que não refletiram sobre esse aspecto e possuem diversos sofrimentos psíquicos, que se relacionam ou não com os acontecimentos da pandemia. Indubitavelmente a pandemia modificou a forma de pensarmos no mundo. Muitos tiveram um aumento da vulnerabilidade, já outros conseguiram, mesmo em meio a pandemia, refletir e criar novas rotas de fuga para problemas conhecidos. Por isso o Janeiro Branco é um assunto tão importante hoje.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

A campanha Janeiro Branco

A campanha Janeiro Branco surge para falar sobre saúde mental e sua importância durante o mês. A tentativa é criar uma cultura de saúde mental na humanidade e em sua 8ª edição se torna cada vez mais necessária. Por causa da pandemia, a campanha necessitou criar ações com ajuda da tecnologia e está sendo realizada com lives, palestras online, rodas de conversa, postagem na rede social, entre outras coisas.

É importante que nós possamos, enquanto profissionais de saúde, não só em janeiro, mas durante todo ano, criar novas possibilidades de promoção da saúde mental das pessoas. O enfermeiro tem papel crucial nessas atividades, uma vez que reúne todas as prerrogativas de gerar essas ações em relação a saúde mental e sua promoção. Duarte et.al (2020) revelam que: estudo iniciais consideram a necessidade de aumentar o número de profissionais com conhecimento em saúde mental na busca de assistir necessidades dos membros da comunidade, diante do sofrimento psíquico. Vale o conhecimento discutido por Schmidt, Crepaldi & Neiva-Silva (2020):

“A saúde mental e o bem-estar psicológico dos profissionais da saúde podem ser afetados pela exposição aos seguintes estressores: risco aumentado de ser infectado, adoecer e morrer; possibilidade de inadvertidamente infectar outras pessoas; sobrecarga e fadiga; exposição a mortes em larga escala; frustração por não conseguir salvar vidas, apesar dos esforços; ameaças e agressões propriamente ditas perpetradas por pessoas que buscam atendimento e não podem ser acolhidas pela limitação de recursos; e, sentimento de isolamento, pelo afastamento da família e amigos”.

Outro estudo de Barros et.al.(2020), revela que:

 “A dimensão do impacto da pandemia e do isolamento social sobre aspectos da saúde mental teve maior impacto nos adultos jovens e nas mulheres sinaliza segmentos demográficos de maior vulnerabilidade, a demandar a aplicação e o aprimoramento das estratégias de preservação e atenção à saúde mental durante a pandemia”.

O que o profissional de enfermagem pode fazer

Por esse motivo, apoiamos a iniciativa Janeiro Branco. Acessando o site do Janeiro Branco podemos então compreender um pouquinho mais das possibilidades de saúde mental. É uma campanha que busca uma cultura de saúde mental e por isso, uma humanidade mais saudável. Acontece logo no início do ano, data propícia para reflexão, ou uma tela em branco que podemos construir novas possibilidades de viver. E dentro desse processo busca-se com essa campanha adicionar proposições de saúde mental a vida das pessoas.

A finalidade é falar de saúde mental. O Janeiro Branco também busca conscientizar o governo sobre a necessidade da criação de políticas de promoção à saúde mental da população e os serviços online podem ajudar muito.

Caso o profissional compreenda a necessidade de avaliação especializada para si, familiar ou usuários do serviço de saúde, deve-se buscar imediatamente os recursos disponíveis nas localidades de atenção em saúde. A iniciativa procura prevenir assim o adoecimento mental. Assim como pretendido pelo psicólogo e fundador Leonardo Abrahão pires Rezende, o movimento que possui voluntários em todo o Brasil, vem crescendo no conhecimento popular e já é uma realidade.

Realize um movimento de cuidado com nós mesmos e com outras pessoas, construindo uma rede de solidariedade e cuidado da saúde mental. Entre no site, cuide de você e compartilhe. Além disso, busque discutir sobre saúde mental em sua rede e promova a saúde mental de outras pessoas. A saúde é um princípio constitucional que deve ser valorizado e protegido por todos. Para se ter saúde é muito importante refutar a dicotomia mente-corpo e pensar no cuidado na sua integralidade.

Referências bibliográficas:

  • Barros, M. B. Aet.al. Relato de tristeza/depressão, nervosismo/ansiedade e problemas de sono na população adulta brasileira durante a pandemia de COVID-19. Epidemiologia e Serviços de Saúde29(4), e2020427. Epub 20 de agosto de 2020
  • Duate M.Q. et. al. COVID-19 e os impactos na saúde mental: uma amostra do Rio Grande do Sul, Brasil. Ciênc. saúde coletiva 25 (9) 28 Ago 2020, Set 2020.
  • Schmidt, B.; Crepaldi, M. A. & Neiva-Silva, L. Saúde mental da população geral e dos profissionais da saúde durante a pandemia de COVID-19. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2020.
Compartilhar
Publicado por
Rafael Polakiewicz

Posts recentes

Metformina pode ser usada para prolongar a gestação em pré-eclâmpsia pré-termo?

Um ensaio clínico randomizado avaliou o uso da metformina de liberação estendida em pacientes com…

2 horas atrás

Whitebook: anemia por deficiência de ferro

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook vamos fazer a apresentação clínica da…

6 horas atrás

Blog do Nurse: live “O suicídio como um problema de saúde pública”!

Na próxima segunda-feira (27/09), às 20h, o Nursebook convida Cleudo Menezes e Rafael Polakiewicz para…

22 horas atrás

Podcast Integrado: prevenção ao Suicídio: como detectar fatores de risco? [podcast]

Confira o podcast dos canais da PEBMED sobre fatores de risco na prevenção ao suicídio.…

23 horas atrás

Como diferenciar doenças inflamatórias desmielinizantes em crianças por exames de imagem?

“Crianças não são adultos em miniatura”. Devemos nos lembrar disso na avaliação das doenças desmielinizantes…

24 horas atrás

Qual é o melhor tratamento para fraturas do terço distal do rádio a longo prazo em idosos?

Um estudo avaliou qual é o melhor tratamento a longo prazo para fraturas instáveis do…

1 dia atrás