Página Principal > Colunistas > Lactobacillus reuteri no tratamento da gastroenterite em crianças é eficaz?
gastroenterite

Lactobacillus reuteri no tratamento da gastroenterite em crianças é eficaz?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Várias sociedades científicas já forneceram recomendações sobre o uso de probióticos para o tratamento da gastroenterite aguda (GEA). A maioria, embora não todos, concorda que o uso de probióticos com eficácia documentada podem ser considerados no manejo de crianças com GEA além da terapia de reidratação oral. Probióticos como o Lactobacillus rhamnosus GG (LGG) e o Saccharomyces boulardii estão entre aqueles com eficácia mais bem documentada, embora a eficácia do LGG tenha sido recentemente questionada.

Lactobacillus reuteri x gastroenterite

Evidências menos convincentes estão disponíveis para L. reuteri DSM 17938 (doravante, L. reuteri). Uma metanálise de três estudos randomizados controlados (n = 256) revelou que, em comparação com placebo ou nenhum tratamento, a administração de L. reuteri DSM 17938 reduziu significativamente a duração da diarreia e aumentou a chance de cura nos dias 1 e 2 da doença.

No entanto, a heterogeneidade e os amplos intervalos de confiança (IC) exigiram cautela na interpretação desses resultados e indicaram que mais pesquisas são necessárias. Um dos mecanismos propostos de ação de L. reuteri é a sua atividade antimicrobiana. As cepas de L. reuteri produzem reuterina, uma substância antibacteriana de amplo espectro, que é capaz de inibir o crescimento de um amplo espectro de microrganismos, como bactérias Gram-positivas ou negativas, leveduras, fungos ou parasitas. As cepas de L. reuteri também podem regular respostas imunes.

PaCrianças previamente saudáveis com menos de cinco anos de idade, internadas com diarreia aguda (definida como uma mudança na consistência das fezes para uma forma líquida e/ou um aumento na frequência de evacuações [≥3 em 24 horas] com duração não maior do que cinco dias), foram elegíveis para inclusão.

Leia maisSobrevida de crianças com insuficiência respiratória submetidas à ECMO

Um total de 100 crianças internadas foram recrutadas e distribuídas aleatoriamente para receber o L. reuteri em uma dose 2 × 108 unidades formadoras de colônias (UFC) ou placebo durante cinco dias, além da terapia padrão de reidratação. O resultado primário foi a duração da diarreia.

Noventa e uma das 100 crianças randomizadas foram incluídas na análise de intenção de tratar (L. reuteri n = 44; placebo n = 47). A duração de diarreia após a randomização em ambos os grupos foi semelhante (P = 0,6). Os grupos também foram semelhantes em relação a todos os desfechos secundários, com uma exceção. Comparado com o grupo placebo, os pacientes do grupo L. reuteri tiveram uma menor duração da hospitalização, que foi seis horas mais curta (P = 0,048). Eventos adversos foram semelhantes em ambos os grupos.

Conclusão

Os autores concluíram que, entre crianças com GEA previamente saudáveis com menos de cinco anos de idade, o L. reuteri, comparado ao placebo, como adjuvante à terapia de reidratação, não reduziu a duração da diarreia, mas reduziu a duração da hospitalização em seis horas.

No entanto, uma redução de seis horas no tempo de internação hospitalar, embora pouco significativa do ponto de vista estatístico, não é clinicamente significativa. Para Holland (2019), probióticos a base de L. reuteri não devem ser prescritos como terapia ainda não comprovada (e um pouco refutada) com a expectativa de que tenham qualquer tipo de benefício clínico.

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

  • Szymański H and Szajewska H. Lack of efficacy of Lactobacillus reuteri DSM 17938 for the treatment of acute gastroenteritis: A randomized controlled trial. Pediatr Infect Dis J 2019 Apr 25.
  • Holland C. Lactobacillus for Acute Gastroenteritis: Unfortunately, It Doesn’t Work. 2019.
  • The Pediatric Infectious Disease Journal. Publish Ahead of Print():, APR 2019. DOI: 10.1097/INF.0000000000002355, PMID: 31033909
    .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.