Enfermagem

Leite materno com anticorpos contra Covid-19 é produzido após lactantes serem vacinadas

Tempo de leitura: 2 min.

Um artigo publicado no último dia 12 de abril mostrou evidências científicas de que mulheres lactantes que tomaram a vacina contra Covid-19 produziram leite materno com anticorpos contra a doença. 

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

O estudo

Um estudo de coorte prospectivo realizado em Israel em dezembro 2020 e janeiro 2021, recrutou 84 mulheres que estavam em aleitamento materno de maneira exclusiva ou não, que eram profissionais de saúde e haviam recebido duas doses da vacina Pfizer-BioNTech, com 21 dias de intervalo entre elas. 

Amostras de leite materno foram coletadas em todas as lactantes, da seguinte maneira, totalizando 504 amostras para análise:

  • Antes da administração da vacina;
  • uma vez por semana, por um período de seis semanas, começando na semana 2 após a administração da primeira dose da vacina;

As análises clínicas identificaram um aumento de anticorpos do tipo IgA específicos anti-SARS-CoV-2 entre a 2ª semana e a 4ª semana, respectivamente 2 semanas após a primeira dose e 1 semana após a segunda dose.  

Os anticorpos IgG específicos anti-SARS-CoV-2, começaram a apresentar níveis crescentes após a 4ª semana, e na 6ª semana, 97% das amostras eram positivas para a presença da proteína. 

Leia também: Ministério da Saúde retira grávidas sem comorbidades do grupo de vacinação contra a Covid-19

A reação adversa mais comum relacionada à vacina foi dor no local da aplicação. Reações mais graves não foram relatadas. Em relação aos bebês, 4 apresentaram febre e quadros com sintomas respiratórios. Em 3 bebês, os sintomas se resolveram espontaneamente, entretanto em um bebê foi iniciado a antibioticoterapia. 

Considerações

Os resultados sugerem fortes evidências de que os anticorpos produzidos após a vacinação e transmitidos através do leite materno, conferem proteção aos bebês.  O estudo também correlacionou os achados com outros estudos que apresentaram resultados semelhantes, no que tange aos anticorpos, em mulheres que obtiveram a doença Covid-19

Autora:

Referência bibliográfica:

  • Perl SH, Uzan-Yulzari A, Klainer H, et al. SARS-CoV-2–Specific Antibodies in Breast Milk After COVID-19 Vaccination of Breastfeeding Women. JAMA. 2021;325(19):2013–2014. doi: 10.1001/jama.2021.5782

 

Compartilhar
Publicado por
Nathalia Schuengue

Posts recentes

Aumento de casos de puberdade precoce tem relação com a pandemia?

O crescimento incomum da puberdade precoce foi identificado por pesquisadores ao compararem os números de…

60 minutos atrás

Intubação na escassez de sedativo: quais as alternativas medicamentosas? [podcast]

Neste episódio, o Dr. Filipe Amado falará sobre como realizar intubação no cenário de escassez…

15 horas atrás

Diagnóstico de mieloma múltiplo: o papel dos exames de imagem

O mieloma múltiplo (MM) é uma neoplasia hematológica que resulta da proliferação clonal de plasmócitos…

16 horas atrás

5 mnemônicos para salvar o plantão

Os mnemônicos, que já são consagrados como estratégia de estudo, também podem nos ajudar na…

17 horas atrás

Tapentadol x Oxicodona para controle da dor pós-operatória

A busca por um opioide com maior perfil de segurança para dor pós-operatória é altamente…

18 horas atrás

Dor no ombro após cirurgia de vesícula: foi a posição?

A dor no ombro é uma queixa bastante frequente após a cirurgia laparoscópica. Foi estudada…

19 horas atrás